31 de agosto de 2008

Rui Filipe


Rui Filipe Tavares de Bastos nasceu no dia 8 de Março de 1968 em Vale de Cambra.
Deu os primeiros pontapés na bola no A.D. Valecambrense até despertar a cobiça do Futebol Clube do Porto, clube para o qual se mudou na temporada de 1889/90. Foi depois emprestado, primeiro ao S.C. Espinho e na temporada seguinte ao Gil Vicente F.C.
Na época de 1991/92, Rui Filipe passou a integrar o plantel portista que era comandado pelo técnico brasileiro Carlos Alberto Silva, e pela primeira vez sagrou-se Campeão Nacional.
Na temporada seguinte e ainda com o treinador brasileiro, os Dragões voltam a conquistar o Título Nacional ao que juntaram a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira.
Na época de 1993/94 Rui Filipe ajudou a conquistar a Taça de Portugal, que o F.C. Porto venceu ao derrotar o Sporting C.P. na finalíssima por 2-1. Ainda nessa temporada e na sua participação na Liga dos Campeões, e já com Bobby Robson no comando técnico, o F.C. Porto realizou um dos seus mais brilhantes jogos ao vencer na Alemanha o Werder Bremen por 5-0 com Rui Filipe a sair do banco e a inaugurar o marcador.
Na temporada de 1994/95, Rui Filipe começava a ser um dos pilares do meio-campo dos Dragões. E foi ele que na primeira jornada contra o S.C. Braga marcou o primeiro golo da vitória do F.C. Porto por 2-0, contribuindo assim para a conquista do título de Campeão Nacional. Poucos dias depois os portistas visitaram o estádio da Luz para o jogo da primeira-mão da Supertaça Cândido de Oliveira que terminou com um empate por 1-1. De novo Rui Filipe apontou o golo portista. Um golo cheio de classe e talento onde o ainda jovem jogador, apenas com uma simulação tirou o famoso guarda-redes Preud´Homme do caminho da bola. Nesse mesmo jogo Rui Filipe viu o cartão vermelho que lhe impediu de ser convocado para a partida contra o S.C. Beira-Mar. No fim de semana desse jogo teve um acidente que o vitimou.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

24 de agosto de 2008

Jaburu

Jorge de Sousa Mattos (Jaburu), nasceu no dia 19 de Abril de 1933 no Rio de Janeiro.
No Brasil representou o Olaria A.C., Fluminense F.C. e o América F.C.
Ingressou no Futebol Clube do Porto na época de 1955/56 onde encontrou Dorival Yustrich como treinador.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 18 de Setembro de 1955 no Estádio Municipal da Guarda onde o F.C. Porto defrontou o S.C. Covilhã, o jogo terminou empatado 2-2 e contou para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1955/56.
Nessa temporada, Jaburu formou a dupla do ataque portista com António Teixeira, e dos 99 golos marcados pelos Dragões 29 foram de sua autoria. No final do campeonato o F.C. Porto sagrou-se Campeão Nacional. Os portistas venceram também a Taça de Portugal ao vencer na final o S.C. União Torreense por 2-0.
Na temporada de 1956/57 conquistou a Taça Associação de Futebol do Porto e foi um dos jogadores titulares na equipa portista que se estreou nas competições europeias ao defrontar os espanhois do Athletic Club Bilbao na 1ª eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus.
Em 1957/58 voltou a repetir a vitória na Taça de Portugal, com o F.C. Porto a vencer o S.L. Benfica por 1-0 na final disputada na Estádio do Jamor e também na Taça Associação de Futebol do Porto.
Na época de 1958/59 rumou a Espanha para jogar pelo R.C. Celta de Vigo onde foi vítima de uma doença grave. Regressou a Portugal na temporada seguinte onde teve uma passagem pelo Leixões S.C. tendo voltado a conquistar a Taça de Portugal da temporada de 1960/61. No final da época de 1962/63 deixou o clube de Matosinhos e voltou ao Brasil onde acabaria por falecer.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taça de Portugal
2 Taça Associação de Futebol do Porto

17 de agosto de 2008

Rodolfo

Rodolfo dos Reis Ferreira nasceu no dia 29 de Janeiro de 1954 em Cedofeita, na cidade do Porto.
ingressou nos iniciados do Futebol Clube do Porto com 11 anos e percorreu todos os escalões de formação dos portistas até passar a sénior em 1971.
No inicio da época de 1970/71 integrou o plantel principal dos Dragões.
A sua estreia com a camisola do F.C. Porto aconteceu no dia 12 de Março de 1972 no Estádio Municipal de Coimbra, quando os portistas venceram os estudantes por 1-0, numa partida a contar para a 22ª jornada do Campeonato Nacional de 1971/72.
Em 1976/77 conquistou o seu primeiro troféu como sénior ao vencer a Taça de Portugal.
Foi o capitão da equipa que ao fim de um longo jejum de 19 anos se sagrou Campeã Nacional na época de 1977/78. Sobre esse campeonato e principalmente sobre o jogo contra o S.L. Benfica no Estádio das Antas, Rodolfo disse no livro t´antas glórias de Júlio Magalhães: “As coisas estavam complicadas depois do auto-golo do Simões, até que empatamos com um golo do Ademir em que a bola passou no meio de 20 jogadores que estavam dentro da área do Benfica. Recordo-me que fomos festejar com o Ademir e ajoelhamo-nos a agradecer a Deus aquele golo que nos salvou de viver o que seria, com toda a certeza, um dos momentos desportivos mais tristes da história do estádio. Eram muitos milhares à espera daquele título e que não acreditavam que o perdêssemos ali. E estivemos quase a perder”.
Na temporada seguinte 1978/79, o F.C. Porto volta a sagrar-se Campeão Nacional ainda com Rodolfo como capitão.
Na época de 1980/81 conquistou a Taça Associação de Futebol do Porto e a primeira Supertaça Cândido de Oliveira para o F.C. Porto.
Repetiu a vitória na Supertaça Cândido de Oliveira e também na Taça de Portugal na temporada de 1982/83, quando colocou um ponto final na sua carreira de futebolista.
Mas não foram só os Títulos que ficaram na história de Rodolfo e do F.C. Porto. Em Novembro de 1977 os Dragões vão a Inglaterra disputar a 2ª mão da 2ª eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças com o Manchester United F.C., os portistas partem com uma vantagem de 4 golos mas no Estádio de Old Trafford sofrem para passar à fase seguinte já que os ingleses vencem o jogo por 5-2, com Seninho a marcar os golos dos azuis e brancos e com Rodolfo a títular. Em setembro do ano seguinte e de novo nas competições europeias, mas na Taça dos Clubes Campeões Europeus, o F.C. Porto consegue a primeira vitória na prova ao vencer os gregos do A.E.K. de Atenas no Estádio das Antas por 4-1, no jogo da 2ª mão da 1ª eliminatória, Rodolfo volta a ser títular.
Foi o único jogador do Futebol Clube do Porto que nunca vestiu outra camisola. Desde os seus 11 anos, altura em que ingressou nos iniciados do F.C. Porto, até aos 30 anos quando pôs um ponto final na sua carreira. Foram 19 anos sempre a defender a camisola azul e branca.
Nas 13 épocas em que, como sénior, representou os Dragões, Rodolfo disputou 331 joos oficiais, marcou 9 golos e conquistou 7 Títulos.
Depois de deixar o futebol, Rodolfo iniciou a carreira de treinador nos juniores do F.C. Porto. Passou por diversos clubes até que na tempodada de 1998/99 voltou ao Futebol Clube do Porto para ser adjunto de Fernando Santos onde saiu em 2000/01.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

10 de agosto de 2008

Mlynarczyk

Józef Mlynarczyk nasceu no dia 20 de Setembro de 1953 na cidade de Nowa Sol, a Polónia.
Começou a jogar futebol no Dozamet Nowa Sól onde fez a sua formação até se mudar para o B.K.S.S. Bielsko-Biala em 1974 para integrar o plantel sénior. Na temporada de 1977/78 mudou-se para o O.K.S.Odra Opole, clube onde permaneceu até a temporada de 1979/80. Na temporada seguinte transferiu-se para o Widzew Lodz onde esteve durante quatro épocas, tendo-se sagrado campeão da Polónia pela primeira vez na sua carreira em 1980/81, Título que voltaria a repetir em 1981/82.
Na época de 1984/85 foi para França defender as cores do S.C. Bastia, onde esteve uma temporada e meia.
Em Janeiro de 1986 ingressou no Futebol Clube do Porto. A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 4 de Janeiro de 1986 no Estádio da Luz, em Lisboa, onde os portistas empataram 0-0 com o S.L. Benfica, numa partida a contar para a 16ª jornada do Campeonato Nacional de 1985/86.
Mlynarczyk esteve durante quatro temporadas ao serviço do F.C. Porto. No plantel portista teve sempre a concorrência de Zé Beto, guarda-redes com quem partilhou a conquista de dois campeonatos nacionais e ainda caminhada triunfal até chegar a Final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1987 onde teve pela frente os alemães do F.C Bayern de Munique e onde demonstrou toda a sua classe, tendo sido um dos pilares para que o Futebol Clube do Porto se sagra-se pela primeira vez na sua história, Campeão Europeu.
Na época de 1987/88, o guardião polaco continuou a ser o dono da baliza dos Dragões que conquistaram o Título de Campeão Nacional com 15 pontos de vantagem sob o segundo classificado. Mas a maior vitória dessa temporada aconteceu no dia 13 de Dezembro na longínqua cidade de Tóquio onde sobre um terreno de jogo completamente coberto de neve os portistas bateram os Campeões Sul-Américanos do C.A. Peñarol por 2-1, e de novo com uma excelente exibição de Mlynarczyk. Apenas 1 mês mais tarde, voltaria a ser o titular da baliza do F.C. Porto que defrontou no estádio das Antas os holandeses do Ajax F.C. na 2ª mão da Supertaça Europeia que os Dragões venceram por 1-0, igual resultado conseguido na Holanda no jogo da 1ª mão. Ainda nessa temporada, O F.C. Porto venceu a Taça de Portugal ao ganhar a final por 1-0 contra o V. Guimarães.
Mlynarczyk manteve-se no F.C. Porto até terminar a sua carreira na época de 1989/90 devido a uma lesão grave, não sem antes ver o seu sucessor, um jovem de nome Vítor Baía, a ocupar o lugar que lhe tinha pertencido na defesa da baliza dos Dragões.
Depois de terminada a sua carreira como futebolista, Mlynarczyk continuou no F.C. Porto a fazer parte da equipa técnica onde tinha a função de treinador de guarda-redes, cargo que ocupou até ao final da temporada de 1999/2000. Voltou depois para o seu país para desempenhar idênticas funções primeiro na Selecção Polaca e depois no Widzew Lodz.
Vestiu por 42 vezes a camisola da Selecção da Polónia e esteve presente no Campeonato do Mundo de 1982 e 1986. No primeiro Mundial, os polacos terminaram em 3º lugar, já em 1986 não passaram a fase de grupos.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Taça dos Campeões Europeus
1 Supertaça Europeia
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Campeonatos da Polónia