7 de dezembro de 2008

André

António dos Santos Ferreira André nasceu no dia 24 de Dezembro de 1957 em Vila do Conde.
Fez toda a sua formação no Rio Ave F.C. até que em 1976/77 integrou o plantel principal dos vilacondenses. na temporada seguinte ingressou no G.D. Ribeirão e em 1978/79 passou a defender as cores do Varzim S.C., onde jogou durante 5 temporadas e começou a despertar o interesse de clubes maiores com as suas boas exibições.
Em 1984/85 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 21 de Outubro de 1984 no Estádio das Antas qundo os portistas receberam e venceram o S.C. Farense por 5-0, com André a marcar o ultimo golo, o jogo contou para a 7ª jornada do Campeonato Nacional de 1984/85.
Logo na primeira temporada com a camisola dos azuis e brancos, André sagrou-se Campeão Nacional, Título que viria a repetir na temporada seguinte.
Em 1986/87 aconteceu a primeira grande conquista da sua carreira ao vencer a Taça dos Clubes Campeões Europeus depois da vitória sobre os alemães do F.C. Bayern Munique por 2-1 na final em Viena na Áustria. Juntou ainda a vitória na Supertaça Cândido de Oliveira.
Na temporada seguinte continuou no caminho das vitórias, ao conquistar o título de Campeão Nacional, a Taça de Portugal, e mais importante, a Taça Intercontinental ganha no Japão frente ao C.A. Peñarol do Uruguai, ao que se juntou a vitória na Supertaça Europeia ao derrotar os holandeses do Ajax F.C.
Em 1989/90 voltou a sagrar-se Campeão Nacional e a vencer a Supertaça Cândido de Oliveira.
Na época de 1990/91 esteve presente no estádio do Jamor onde ganhou mais uma Taça de Portugal, e venceu também mais uma Supertaça Cândido de Oliveira.
Na temporada seguinte de novo foi Campeão Nacional, Título que repetiu na época que se seguiu onde voltou a conquistar mais uma Supertaça Cândido de Oliveira.
Em 1993/94 venceu a sua terceira Taça de Portugal.
Na época de 1994/95 conquistou mais uma Supertaça Cândido de Oliveira e sagrou-se Campeão Nacional, o que seria a sua última vitória como jogador já que no final dessa época colocou um ponto final na sua brilhante carreira de futebolista.
André esteve 11 temporadas ao serviço do F.C. Porto. Conquistou 18 Títulos, disputou 382 partidas oficiais e marcou 27 golos.
Vestiu também a camisola da Selecção Nacional por 19 vezes e marcou presença no Campeonato do Mundo de 1986.
Continuou ligado ao Futebol Clube do Porto onde fez parte da equipa de técnica e de Scout.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Taça dos Campeões Europeus
1 Supertaça Europeia
7 Campeonato Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taça de Portugal
5 Supertaça Cândido de Oliveira

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Meu caro Paulo, como sabes eu considero o André o meu trinco de eleição. Sendo assim vou colocar aqui, aquilo que publiquei num post que fiz: "regresso ao futebol, para falar de um verdadeiro craque e um Grande profissional: técnica, força - arrastava a equipa às costas -, raça, alma e um espírito de guerreiro, indomável, eis António André, o meu Nª 6 de eleição, ele que curiosamente, jogava com a camisola Nº 11.
Ah, e marcava golos, muitos golos!...
Chegado ao F.C.Porto por indicação de J.M.Pedroto, já com 26 anos e oriundo do Varzim - filial Nº1 do F.C.Porto, é sempre bom lembrá-lo - na época de 1984/1985, por custos que até fazem rir - equipamentos, bolas, sapatilhas, etc. - , só à 7ª jornada - em Penafiel e debaixo de um autêntico dilúvio -, André conquistou a titularidade, tendo pegado de estaca e a partir daí, só saindo da equipa, por lesão ou castigo.
Internacional A português, ganhou ao serviço do F.C.Porto, tudo o que havia para ganhar: Campeão Nacional, Europeu e Mundial, ganhou também, a Supertaça europeia e a Taça e Supertaça, portuguesas.
Manteve-se sempre fiel ao clube azul e branco, apesar de várias propostas, algumas muito tentadoras, que recebeu do exterior. Terminou discretamente a carreira, com 37 anos, na época 1994/1995, mas continuou a servir o clube, primeiro como técnico adjunto e agora, como elemento do Departamento de Scouting.
Numa altura que o F.C.Porto tem tido algumas dificuldades na posição 6 - Fernando dá sinais de poder resolver o problema - o exemplo do caxineiro André, seria o que eu apontaria, para servir de inspiração ao jovem brasileiro.

Um abraço

miguel87 disse...

Um dos maiores de sempre, sem dúvidas!

Anónimo disse...

Jogadores destes já não se fazem. Tomates pretos e do tamanho de bolas de basket. A mística vive em jogadores destes.