18 de maio de 2008

Jorge Costa

Jorge Paulo Costa Almeida nasceu no dia 14 de Outubro de 1971 o Porto.
Começou por jogar futebol no F.C. Foz, clube que representou até aos 13 anos.
Aos 14 ingressou nos juvenis do Futebol Clube do Porto onde passou por todos os escalões de formação até chegar a sénior.
Na temporada de 1990/91 estreou-se como sénior e foi emprestado ao F.C. Penafiel onde assumiu uma grande importância na equipa orientada por Victor Manuel para o clube assegurar a permanência. Na época seguinte de novo foi emprestado mas desta vez rumou à ilha da Madeira para jogar pelo Marítimo S.C.. Com a camisola do clube insular, Jorge Costa viveu um episódio caricato. No jogo contra o Futebol Clube do Porto no estádio dos Barreiros, marcou o único golo do encontro, mas na sua própria baliza. Foi um mau momento que com a ajuda dos colegas e do seu treinador, Paulo Autuori, ultrapassou. Nessa época no clube madeirense, Jorge Costa fez 31 jogos e falhou apenas 3 por castigo.
Na temporada de 1992/93 regressou ao Futebol Clube do Porto para fazer parte do plantel comandado pelo brasileiro Carlos Alberto Silva.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 25 de Agosto de 1992 no Estádio Municípal de Coimbra onde os portistas receberam e venceram o G.D. Estoril por 1-0, com Jorge Costa a ser o autor do golo da vitória, num jogo que contou para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1992/93.
Jorge Costa representou o F.C. Porto durante treze temporadas. Teve uma breve passagem pelo futebol inglês quando esteve emprestado ao Charlton Athletic F.C. entre Dezembro de 2001 e Maio de 2002.
Foi o sucessor da mítica camisola com o numero 2 de João Pinto e também Capitão e foi nessa condição de líder que ergeu os principais troféus internacionais de clubes conquistados pelos azuis e brancos em 2003 e 2004.
Durante os 13 anos que jogou de Dragão ao peito, Jorge costa conquistou 24 Títulos, disputou 383 jogos oficiais e marcou 25 golos. Foi um dos jogadores que participou em todos os campeonatos do Penta.
Em 2005/06 Jorge costa passou a ser a quarta opçãp do treinador Co Adriaanse e apenas jogou as partidas particulares da pré-época e decide deixar o F.C. Porto e rumar à Bélgica para se juntar ao seu ex-companheiro do F.C. Porto, Sérgio Conceição, no Standard de Liége, clube onde viria a terminar a sua brilhante carreira de futebolista em Outubro de 2006.
Jorge Costa foi também Internacional por Portugal e vestiu a camisola das Quinas por 50 vezes tendo marcado 2 golos. Esteve presente no Campeonato da Europa de 2000 e no Campeonato do mundo de 2002.
Em Dezembro desse mesmo ano começa uma nova fase da sua vida ao ser treinador adjunto de Rogério Gonçalves no S.C. Braga, para em Fevereiro de 2007 assumir o comando técnico dos bracarenses. Manteve-se a treinador dos minhotos até que em Outubro o clube prescindiu dos seus serviços. Em 2008/09 assumiu o comando técnico do S.C. Olhanense e levou os algarvios de novo ao escalão máximo do futebol português, isto depois de se ter sagrado Campeão Nacional da 2ª Liga. Jorge Costa continuou em Olhão na temporada seguinte. No verão de 2010 passou a treinar a Académica de Coimbra, no entanto em dezembro desse mesmo ano abandonou o comando dos estudantes e ao mesmo tempo anunciou que deixaria o mundo do futebol. Mas o afastamento durou poucos meses porque em Maio de 2011 assinou pelos romenos do F.C. Cluj, onde conquistou o Campeonato Romeno. Em Abril de 2012 foi afastado pela direcção do comando técnico do clube romeno. Rumou depois ao Chipre para comandar o A.E.L. Limassol na temporada de 2012/13 e o Anorthosis Famagusta F.C. em 2013/14, no entanto regressa a Portugal em Fevereiro de 2014 para assumir o comando do F.C. Paços de Ferreira, consegue manter os pacensses na 1ª Liga mas deixa o clube no final da temporada. Em Julho de 2014 aceitou o convite da Federação do Gabão para ser o treinador da sua Selecção Nacional, cargo que ocupou até 2017. Passou depois pelo comando técnico dos tunisinos do C.S. Sfaxien e no inicío da época de 2017/18 regressou a Portugal para orientar o F.C. Arouca mas deixa o clube apenas três meses depois.
No dia 25 de Julho de 2014 voltou a pisar o relvado do Estádio do Dragão e a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto para o jogo de homenagem e despedida de Deco.

Palmarés como jogador
1 Taça Intercontinental
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
8 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
5 Taças de Portugal
8 Supertaças Cândido de Oliveira

Palmarés Como treinador
1 Campeonato Nacional da 2ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Roménia

11 de maio de 2008

Américo

Américo Ferreira Lopes nasceu no dia 27 de Fevereiro de 1933 em Santa Maria de Lamas.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da década de 50 onde foi suplente de Barrigana. Foi depois emprestado ao Boavista F.C. e regressou ao F.C. Porto na época de 1958/59 ainda a tempo de se sagrar Campeão Nacional sob a orientação de Bella Guttman, isto quando era o terceiro guarda-redes da equipa, depois de Pinho e Acúrcio.
A sua estreia com a camisola dos dragões aconteceu no dia 21 de Dezembro de 1952 no Campo Estrela onde os portistas defrontaram o Lusitano Ginásio Clube de Évora, numa partida a contar para a 10ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1952/53.
A partir da temporada de 1963/64 passou a ser o guardião titular da baliza dos Dragões, lugar que manteve nas cinco épocas seguintes.
No dia 16 de Setembro de 1964 foi o guarda-redes titular na equipa que conseguiu a primeira vitória do F.C. Porto nas competições europeias ao derrotar o Olimpique de Lyon por 3-0 no Estádio das Antas.
Na época de 1967/68, contribuiu para o F.C. Porto conquistar a Taça de Portugal ao derrotar na final o V. Setúbal por 2-1.
Conquistou ainda por sete vezes a Taça Associação de Futebol do Porto.
Vestiu a camisola da Selecção Nacional por 15 vezes e esteve presente no Campeonato do Mundo de Inglaterra de 1966, onde foi um dos três portistas do plantel Português. Nesse Mundial não foi utilizado, facto que o treinador Otto Glória confessou anos depois que o seu maior erro foi não ter dado a titularidade a Américo em vez de José Pereira quando retirou Carvalho.
Terminou a carreira na temporada de 1969/70, devido a uma grave lesão num joelho.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
7 Taças Associação de Futebol do Porto

4 de maio de 2008

Dmitri Alenitchev

Dmitri Alenitchev nasceu no dia 20 de Outubro de 1972 em Veliki Luki, Rússia.
Começou a sua carreira de futebolista Professional em 1990 no modesto F.C. Mashinostroitel Pskov. Em 1991 ingressou no F.K. Lokomotiv de Moscovo, onde se manteve até 1993. Em 1994 mudou-se para o F.K. Spartak de Moscovo onde ficou até 1998, foi no emblema moscovita que conquistou os primeiros títulos da sua carreira ao vencer por quatro vezes o campeonato russo e por duas vezes a Taça da Rússia. Em 1997 foi eleito o jogador do ano. As boas exibições no clube Russo, valeram-lhe a transferência para o A.S. Roma de Itália, onde jogou durante duas épocas. Em 1999/00 foi emprestado ao A.C. Perugia.
Na temporada de 2000/01 ingressou no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 9 de Agosto de 2000 no Estádio Constant Vanden Stock, em Bruxelas, onde os portistas defrontaram o R.S.C. Anderlecht no jogo da 1ª mão da 3ª eliminatória da Liga dos Campeões de 2000/01, jogo que os belgas venceram por 1-0.
Na primeira temporada venceu a Taça de Portugal ao derrotar o Marítimo S.C. por 2-0 na final, tendo sido o autor do segundo golo do jogo.
A temporada de 2001/02 começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira depois de levar de vencido o Boavista F.C. por 1-0.
Em 2002/03, os portistas dominaram e conquistaram o Campeonato Nacional, Venceram a Taça de Portugal ao derrotar na final o União de Leiria por 1-0 no estádio do Jamor. Mas o ponto alto da época foi a Final da Taça UEFA que o F.C. Porto disputou contra o Celtic F.C. em Sevilha e onde ganhou por 3-2, com Alenitchev a marcar o segundo golo dos Dragões.
Na temporada seguinte Alenitchev sagrou-se Bi-Campeão e venceu a Supertaça Cândido de Oliveira, mas a principal conquista da época aconteceu em Gelsenkirchen, na alemanha, onde se disputou a Final da Liga dos Campeões, com o F.C. Porto a derrotar o A.S. Mónaco por 3-0 e mais uma vez com um golo de Alenitchev. O jogador Russo tornou-se um dos poucos jogadores a marcar golos em finais internacionais consecutivas.
No final da temporada de 2003/04 Dmitri Alenitchev deixou o F.C. Porto. Jogou de Dragão ao peito durante quatro épocas, disputou 129 jogos oficiais, marcou 23 golos e conquistou 8 Títulos.
Na temporada seguinte regressou ao seu pais de origem e ingressou no F.K. Spartak de Moscovo onde terminou a sua brilhante carreira de futebolista no dia 4 de Maio de 2008.
Alenitchev representou a Selecção da Rússia por 55 vezes e marcou 6 golos. esteve presente no Campeonato do Mundo de 2002 e no Campeonato da europa de 2004.
Em 2011 abraçou a carreira de treinador. Começou por comandar a formação de sub-19 da Selecção russa, ingressou depois no F.K. Arsenal Tula e no inicio da temporada de 2015/16 assumiu o comando do F.K. Spartak Moscovo, tendo levado o clube moscovita ao título de Campeão da Russia em 2016/17. Em 2017/18 mudou de ares para treinar o F.C. Yenisey.
No dia 25 de Julho de 2014 voltou a pisar o relvado do Estádio do Dragão e a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto no jogo de homenagem e despedida de Deco.

Palmarés como Jogador
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
3 Campeonatos da Rússia

Palmarés como Treinador
1 Campeonato da Russia