27 de agosto de 2012

Almeida

João Luis Pinto de Almeida nasceu no dia 25 de setembro de 1943 em Mafamude, Vila Nova de Gaia.
Começou a jogar futebol nas camadas jovens do Varzim S.C.
Em 1960/61, ainda júnior, ingressou no Futebol Clube do Porto e integrou o plantel principal na temporada seguinte.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 13 de Outubro de 1963 no Estádio das Antas onde os portistas venceram o Leixões S.C. por 4-0, numa partida a contar para a 2ª mão da 2ª eliminatória da Taça de Portugal da época de 1963/64.
Nas Antas permaneceu até ao final da época de 1968/69. Foram oito temporadas onde conquistou a Taça de Portugal em 1968 e a Taça Associação de Futebol do Porto em 1961/62, 1962/63, 1963/64, 1964/65 e 1965/66.
Foi um dos titulares da equipa portista que obteve a primeira vitória nas competições europeias, no dia 16 de Setembro de 1964, ao derrotar o Olimpique Lyonnais por 3-0 no Estádio das Antas, num jogo a contar apra a 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças.
Em 1969/70 transferiu-se para o F.C. Barreirense, clube onde atuou durante duas temporadas.
Mudou-se para o S.C. Farense em 1971/72 para jogar quatro anos nos algarvios.
Em 1975/76 ingressou no F.C. Famalicão e depois rumou ao S.C. Mirandela onde jogou mais duas épocas e onde terminou a sua carreira no final da temporada de 1978/79.

Palmarés
1 Taça de Portugal
5 Taças Associação Futebol do Porto

8 comentários:

Anónimo disse...

Estivemos com ele recentemente aquando do funeral de Nóbrega. Reside na Póvoa de Varzim; exerce no sector de seguros a actividade profissional.

Estreou-se no FCPorto substituindo
Miguel Arcanjo e saiu precisamente antes da pior época de sempre...9º lugar em 1969/70.

Foi como o mitico Pedroto deixou a equipa após "guerra surda" com AP Magalhães.

Ainda anteontem em "A Bola" o Tomé un antigo futebolista do V Setúbal contava um episódio em como aquela pseudo referência do Clube nos humilhou "utilizando" o malogrado Vitor Batista.

Almeida faz-nos lembrar as equipas que sabiamos de cor:Américo,Festa,
Valdemar, Almeida e Atraca, por exemplo..


Que saudades!

Armando Pinto disse...

Almeida foi um atleta que passou pelo clube em período de vacas magras, mas tinha valor. Fez ainda parte da equipa que venceu a Taça de 68, embora sem ter disputado a final. Pena foi que ao sair do clube tenha dado uma entrevista na Bolha a deixar um rasto pouco simpático. Mas antes, em seu tempo fez parte das nossas simpatias, pois era dos mais pendulares na defesa.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

a conquista do tricampeonato vai dar muita luta - e não me refiro aos jogos jogados dentro das quatro linhas.

tudo o que é "adversário" (ao bom estilo de rato de esgoto) vai começar a sair da toca para defender «gloriosos» interesses nacionais.

é bom que a massa adepta portista esteja unida e fale a uma só voz na defesa intransigente dos interesses do nosso clube d coração (o que não significa que sejamos como os carneirinhos da segunda Circular, sem massa encefálica e voz crítica positiva).
tempos muito difíceis e exigentes se aproximam!

(palavras escritas a propósito do "castigo" aplicado ao Jorge JeBus)

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II

dragao vila pouca disse...

A, posso dizer, única recordação que tenho do Almeida foi um Porto Hibernian? em que tínhamos perdido lá 3-0, cá ganhamos 3-1 e o golo dos escoceses? foi de penalty cometido pelo Almeida. Se as minhas memórias não me atraiçoam.

Abraço

Anónimo disse...

Por amor à História e à... Verdade.

O citado jogo com o Hibernian (3-1)cá (Estádio das Antas...) para a Taça Cidades com Feiras disputou-se em 04.10.1967 e jogamos com:

- Américo,Festa(Ricardo),Almeida, Rolando e Atraca; Pavão e C Pinto (Mário); Jaime, Djalma, Valdir e Nóbrega.

Golos de C Pinto e Valdir (2).


Até aqui é História.

Agora à... verdade.

Lembremos que logo aos 6m de jogo, de facto, e num lance faltoso de Almeida, mas fóra da área cerca de um metro,o senhor árbitro espanhol Rigo por indicação do juiz de linha
... português de nome Fernando Leite.

Este senhor juiz de linha viria a após apitar um Benfica-Sporting, no regresso a casa, faleceria num acidente de automóvel (sepultado em Arcozelo - no mesmo cemitério onde estão os restos mortais do nosso ex grande jogador Monteiro da Costa)

Esse lance daria grande celeuma e o FC Porto, inclusivé, jogaria cerca de uma hora com menos um jogador por expulsão de Rolando aos 35m.

Era treinador Pedroto que cumpria a segunda época da primeira vez que esteve no FC Porto, acabando a época com a conquista da TPortugal
(2-1 ao V Setúbal).

Já aqui se ganhava. E o Presidente era Pinto de Magalhães (falecido está sepultado em Agremonte) e o Director de Futebol era o Bento Amorim (tb falecido está sepultado na Lapa).

Anónimo disse...

É verdade sim que aquele penalti assinalado logo no inicio do jogo -e que não o era - por um lainer portuguesinho deu a "machadada" na eliminatória. Lembramo-nos bem; o fcp alinhou de branco e lembramo-nos que foi tal a raiva do Américo que ainda hoje não sabemos como não foi expulso.

Um lapso porém: o director do futebol chamava-se Flávio (e não Bento) Amorim, um prestigiado industrial de guarda sois. Está, de facto, sepultado na Lapa muto perto do... Hernâni.

Pormenores...

Impressionante como tantos nomes referidos já não estão entre nós.

Além dos já citados e a saber: o Pedroto, o Atraca, o Pavão, o C Pinto, o Djalma, o Nóbrega... pelo menos.

José Luis Almeida disse...

nesta momento encontra-se aposentado e reside na Póvoa de Varzim.

Rogério Freitas Gouveia disse...

Um abraço ao meu tio Almeida, sei que foi um grande jogador, graças a ele nasci no Barreiro, pois quando se mudou do FC Porto para o Barreirense trouxe alguma familia atrás para o Barreiro, eu resido no Barreiro e ainda hoje oiço pelas ruas do Barreiro por parte das gerações daquele tempo a dizerem maravilhas do meu tio, fico cheio de orgulho quando oiço os elogios sobre o meu tio Almeida, ele fez parte da equipa fantastica do Barreirense em que atingiu o seu melhor lugar de sempre no Campeonato Português, quarto lugar na época 1969/70, um grande abraço ao meu tio Almeida