23 de agosto de 2009

Zé Beto

José Alberto Teixeira Ferreirinha (Zé Beto), nasceu no dia 21 de Fevereiro de 1960 em Matosinhos.
Começou por jogar futebol nas camadas jovens do A.D.R. Pasteleira e as suas boas exibições propulsionaram uma disputa pelos seus serviços entre o Leixões S.C. e o Futebol Clube do Porto, com os portistas a levarem a melhor e a conseguirem levar o jovem guarda-redes para as Antas no início da temporada de 1977/78, quando ainda alinhava nos juniores.
Na temporada seguinte integrou o plantel senior dos Dragões mas não fez nenhum jogo já que tinha a forte concorrência de Fonseca e de Torres e acabou por seguir para o S.C. Beira-Mar, por empréstimo, onde actuou na época de 1979/80.
Na época seguinte regressou definitivamente ao F.C. Porto mas teve de esperar até 1983 para se estrear como titular da baliza portista.
A sua estreia em jogos oficiais aconteceu no dia 23 de Janeiro de 1983 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Famalicão F.C. por 5-0, num jogo a contar para a 4ª eliminatória da Taça de Portugal de 1982/83.
Então desde essa altura a sua importância no onze titular não parou de crescer e foi fundamental no sucesso do F.C. Porto.
Na temporada de 1983/84 venceu pela primeira vez a Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça de Portugal e esteve presente em Basileia na Final da Taça dos Clubes Vencedores das Taças, competição que os portistas foram finalistas juntamente com a Juventus F.C. de Itália. O resultado final foi 2-1 a favor dos italianos. No final do jogo, Zé Beto envolveu-se numa discussão com um dos árbitros assistentes e foi acusado de o ter agredido, o que valeu ao guarda-redes portista uma suspensão de 1 ano por parte da UEFA.
Em 1984/85 Zé Beto sagrou-se Campeão Nacional pela primeira vez, num campeonato onde apenas sofreu 9 golos em 30 jogos. Voltou a conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira.
Na época de 1985/86 de novo é Campeão Nacional, tendo sofrido 7 golos em 11 partidas disputadas.
Em 1986/87 Ganha pela terceira vez a Supertaça Cândido de Oliveira, e conquista a Taça dos Clubes Campeões Europeus, competição em que disputou cinco partidas com apenas um golo sofrido.
Zé Beto voltou a sagrar-se Campeão Nacional em 1987/88 e a vencer a Taça de Portugal nessa mesma temporada. Ao que juntou a vitória na Supertaça Europeia e a conquista da Taça Intercontinental.
A temporada de 1989/90 acabou por ser a última da sua carreira já que faleceu num acidente de viação na A1 em Fevereiro de 1990. Encontra-se sepultado no cemitério de Sendim em Matosinhos. Nas 8 épocas em que vestiu a camisola do F.C. Porto, Zé Beto conquistou 11 Títulos e disputou 180 partidas oficiais.
Foi Internacional por Portugal em 3 jogos oficiais.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
1 Supertaça Europeia
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira

6 comentários:

Armando Pinto disse...

Um grande guarda-redes, que chegou a ser internacional pela Selecção A, mas do qual ficou impressão que poderia ter sido ainda mais.

Saulo disse...

Um grande goleiro.

dragao vila pouca disse...

Tinha tudo para ser um grande guarda-redes...por várias razões, que não importa referir, desapareceu sem poder demonstar totalmente todas essas capacidades. Tive e tenho, muita pena.

Um abraço

Nogas disse...

Um dos meus ídolos de puto, o episódio da final da Taça das Taças diz-se que o assistente do árbitro dessa partida numa tentativa de brincadeira tentou espetar a bandeirola na barriga de Zé Beto, o qual reagiu mal, tendo tirado a respectiva da mão do assistente e a partiu à sua frente tendo ainda atirados com os pedaços ou para o chão ou mesmo para cima dele, dizem que barafustava muito em campo, naquele dia depois de acabar de perder um sonho (ainda por cima injustamente, por causa da má arbitragem) reagiu de forma irracional, mas que se torna desculpalvel face à situação em que sucedeu. Ainda se falou muito no seu caso com Artur Jorge, ao qual, contam as más linguas, deu um "supapo" nas bombas de gasolina que existiam junto ao estádio das Antas, por causa de ter sido preterido em lugar de Mlynarkzyc durante muito tempo. A sua falta na equipa por castigo da UEFA, sentiu-se nas provas europeias quando o Porto foi buscar Borota para o o substituir o resto da história ainda se devem lembrar ... Pode-se dizer que passou ao lado de uma carreira que poderia ter sido ainda maior.

Abraço.

Anónimo disse...

gostei muito deste guarda redes um espectaculo

Anónimo disse...

Zé Beto provavelmente depois da saída do Mly iria ser dono novamente da baliza do Porto e lutar pela da selecção, mas teve azar. Vi-o defender poucas vezes, mas tenho boa imagem deste autoproclamado "melhor do mundo"

RS