31 de janeiro de 2021

Aboubakar

Vincent Paté Aboubakar nasceu no dia 22 de Janeiro de 1992 em Yaoundé, Camarões.
Nos primeiros anos do novo milénio, Aboubakar iniciou a sua carreira de futebolista nas escolas de futebol Brasseries du Cameroun. Com 15 anos passou a jogar no Coton Sport F.C. onde fez a restante formação futebolística, tendo ascendido à categoria de sénior em 2010, bem a tempo de conquistar a Liga dos Camarões. No verão desse mesmo ano viajou para a Europa e aterrou em França, para jogar no Valenciennes F.C. onde permaneceu três temporadas.
Em 2013/14, transferiu-se para o F.C. Lorient e foi no clube da região da Bretanha que colocou em campo todo o seu valor e passou a despertar a cobiça dos clubes mais importantes da Europa.
Em Agosto de 2014 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no Estádio D. Afonso Henriques, no dia 14 de Setembro de 2014, onde portistas e vimaranenses empataram 1-1. Aboubakar saiu do banco de suplentes e substituiu Héctor Herrera já nos minutos finais da partida.
Apenas três dias depois, Aboubakar marcou o primeiro golo com a camisola azul e branca, quando o F.C. Porto recebeu e venceu por 6-0 o BATE Borisov, numa partida da 1ª jornada do Grupo H da Liga dos Campeões de 2014/15. Aboubakar apontou o último golo do encontro aos 76 minutos, depois de ter entrada a substituir Jackson Martínez aos 64 minutos de jogo.
Depois de duas épocas a jogar de Dragão ao peito, Aboubakar foi emprestado aos turcos do Besiktas J.K. na temporada de 2016/17, ajudando o emblema de Istambul a conquistar o titulo de campeão da Turquia dessa época.
Em 2017/18, regressou ao F.C. Porto. Ao longo da temporada, o avançado camaronês tornou-se num dos jogadores mais importantes da equipa orientada por Sérgio Conceição. Aboubakar realizou a sua melhor época da carreira, tendo marcado 26 golos em 43 jogos. No final da temporada, sagrou-se Campeão Nacional.
A época de 2018/19 começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira e uma semana depois, no jogo inaugural do campeonato, Aboubakar bisou na vitória do F.C. Porto por 5-0 perante o G.D. Chaves. Mas em Setembro, num jogo contra o C.D. Tondela, Aboubakar lesionou-se com gravidade. Uma rotura total do ligamento cruzado anterior e ligamento lateral interno do joelho esquerdo fez com que perde-se praticamente toda a restante temporada, voltando aos relvados em Maio de 2019.
Em 2019/20, Aboubakar voltou a ser assolado por lesões, disputando apenas 9 jogos durante toda a temporada. Ainda assim deixou a sua marca e apontou os dois golos da vitória do F.C. Porto no terreno do B.S.C. Young Boys, no jogo da 5ª jornada do Grupo G da Liga Europa. No final da época, Aboubakar voltou a sagrar-se Campeão Nacional e conquistou a Taça de Portugal.
No início da temporada de 2020/21, foi contratado pelo Besiktas J.K. regressando assim a um ambiente que bem conhece.
Vincent Aboubakar é internacional pelos Camarões. Esteve presente nos Campeonatos do Mundo em 2010 e 2014, na Taça das Confederações em 2017 e na Taça das Nações Africanas em 2015 e 2017, ano em que conquistou a competição.

Palmarés
1 Taça das Nações Africanas
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato dos Camarões
1 Campeonato da Turquia
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

24 de janeiro de 2021

Ivo Araújo

Ivo Coelho Teixeira de Araújo foi um antigo dirigente do Futebol Clube do Porto.
Começou por integrar a direcção presidida por Cesário Bonito a desempenhar a função de vogal, mas pouco tempo depois já era Secretário Geral e foi nesse cargo que se destacou, não só no mandato de Cesário Bonito, mas também mais tarde, nas direcções lideradas por Urgel Horta e José Carvalho Moreira de Sousa. Fez ainda parte do Conselho Fiscal do emblema azul e branco.
Foi um dos mais fervorosos defensores da construção do Estádio das Antas. Um sonho que viu ser realizado depois de muitas lutas travadas para a angariação de fundos e de vontades.

17 de janeiro de 2021

Rúben Micael

Rúben Micael Freitas da Ressureição nasceu no dia 19 de Agosto de 1986 em Câmara de Lobos na ilha da Madeira.
Tinha 10 anos de idade quando passou a representar o G.D. Estreito, mas para jogar futsal. No ano seguinte entrou para as escolinhas do C.F. União da Madeira onde passou por todos os escalões de formação até ascender à categoria de sénior na temporada de 2003/04, depois ainda permaneceu no União durante quatro épocas até se transferir para o rival C.D. Nacional, em 2008/09 e foi nos alvinegros que Rúben Micael começou a despertar o assédio dos clubes nacionais mais importantes e não tardou muito a deixar a ilha da Madeira.
Em Janeiro de 2010 foi contrato pelo Futebol Clube do Porto.
O seu primeiro jogo oficial com a camisola azul e branca aconteceu no dia 24 de Janeiro de 2010 no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril, onde os Dragões venceram o G.D. Estoril Praia por 2-0, numa partida que contou para a 3ª jornada da 2ª fase de grupos da Taça da Liga da época de 2009/2010.
Apesar de ser um centro campista, Rúben Micael sempre marcou golos em todos os clubes que passou e no F.C. Porto não foi diferente. O Primeiro que apontou de Dragão ao peito foi no jogo da 1ª mão da meia-final da Taça de Portugal de 2009/2010, quando os portistas visitaram o Rio Ave F.C. e venceram no Estádio dos Arcos os vilacondenses por 3-1, Rúben Micael inaugurou o marcador aos 20 minutos de jogo.
Apesar de ter chegado ao F.C. Porto já com meia temporada a decorrer, ainda foi a tempo de festejar a vitória na Taça de Portugal. Na época seguinte praticamente conquistou tudo o que poderia ter conquistado, apenas ficou a faltar a Taça da Liga, mas em compensação venceu a Supertaça Cândido de Oliveira, sagrou-se Campeão Nacional, repetiu a vitória na Taça de Portugal e ajudou a conquistar a Liga Europa.
Jogador tecnicamente disciplinado, foi sempre bastante útil aos treinadores portistas, Jesualdo Ferreira e André Villas-Boas, e foi sem grande surpresa que teve sobre si os olhares de vários clubes europeus.
Começou a temporada de 2011/12 como tinha iniciado a anterior, ou seja, a conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira. Sete dias depois jogou 38 minutos na partida inaugural do Campeonato Nacional de 2011/12 e quatro dias depois deixou os Dragões para rumar a Madrid junto com Radamel Falcao.
Foram 19 os meses que Rúben Micael esteve ao serviço do F.C. Porto. Disputou 56 partidas oficiais, marcou 6 golos e conquistou 7 títulos.
Em Agosto de 2011 foi contratado pelos espanhóis do Club Atlético de Madrid que imediatamente o emprestaram ao Real Zaragoza. Um ano mais tarde, Rúben Micael estava de regresso a Portugal para ingressar no S.C. Braga, também por empréstimo dos calchoneros, mas acabou por ficar em definitivo no clube da cidade dos arcebispos onde conquistou a Taça da Liga da época de 2012/13. Em 2015 rumou à China para jogar no Shijiazhuang F.C.. Em 2016 viajou para Israel onde vestiu a camisola do Maccabi Tel Aviv F.C.. Em Janeiro de 2018 voltou a Portugal para defender o emblema do F.C. Paços de Ferreira. Em 2018/19 foi contratado pelo V. Setúbal. Na época de 2019/20 regressou ao C.D. Nacional da Madeira.
Rúben Micael representou também a Selecção Nacional por 16 vezes, tendo marcado 2 golos. Esteve presente no Campeonato da Europa de 2012.

Palmarés
1 Liga Europa
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça da Liga

10 de janeiro de 2021

André André

André Filipe Brás André nasceu no dia 26 de Agosto de 1989 em Vila do Conde.
Foi no ano de 1999 que começou a jogar futebol no Varzim S.C., esteve sete anos seguidos nas camadas jovens do clube poveiro mas em 2007 ingressou nos juniores sub-19 do Futebol Clube do Porto. Na época de 2008/09 e já como sénior, regressa ao Varzim S.C. onde permaneceu durante quatro temporadas, ajudou a conquistar o título de Campeão Nacional da 2ª Divisão em 2011/12 e ainda teve uma curta passagem por Espanha e pelo R.C. Deportivo Coruña. Em 2012/13 transferiu-se para o V. Guimarães e foi no emblema vimaranense que se destacou, às suas boas exibições ainda ganhou a Taça de Portugal, na primeira época ao serviço dos vitorianos e passou a ter os olheiros dos principais clubes nacionais atentos ao seu desempenho.
No início da temporada de 2015/16 foi contratado pelo F.C. Porto.
Foi precisamente o V. Guimarães que apadrinhou André André na sua estreia com a camisola dos Dragões no jogo da 1ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16, quando no Estádio do Dragão os portistas venceram os vimaranenses por 3-0.
André André pôde assim cumprir o sonho de jogar no F.C. Porto, tal como o seu pai António André. Esteve três épocas ao serviço dos Dragões e se nem sempre foi um dos titulares indiscutíveis, ainda contribuiu de forma direta para a conquista de vitórias importantes, como foi o caso contra o S.L. Benfica que os portistas venceram por 1-0 no Estádio do Dragão, na partida da 5ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16, com a particularidade de ter sido esse o primeiro golo que André André marcou de Dragão ao peito. Nove dias mais tarde voltou a marcar na vitória dos portistas sobre o Chelsea F.C. por 2-1 na partida da 2ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões.
André André nas três temporadas em que representou o F.C. Porto disputou 94 jogos oficiais, marcou 9 golos e sagrou-se Campeão Nacional em 2017/18.
Em 2018/17 regressou ao V. Guimarães.
André André é internacional por Portugal, vestiu por 4 vezes a camisola das Quinas e marcou 1 golo.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato Nacional 2ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal

3 de janeiro de 2021

Taça Norman Hall

O Inglês Norman Hall representou o Futebol Clube do Porto a partir de 1920 e foi um futebolista marcante na história do clube. Pelas capacidades que demonstrava em campo e por grandes qualidades humanas, foi homenageado em 1930 numa festa que incluiu um jogo de futebol entre o F.C. Porto e o C.D. Candal, de Vila Nova de Gaia. A Taça Norman Hall foi disputada nessa partida de caracter particular e terminou com a vitória do F.C. Porto por 5-2.
Norman Hall era uma criança quando se mudou de Inglaterra para a cidade do Porto. Em 1920, com 24 anos de idade, desempenhava funções de empregado comercial quando teve a oportunidade de jogar pelo F.C. Porto. Hall inscreveu-se como sócio dos Dragões em Setembro de 1920, com o número 2337, após vários meses a jogar com a camisola azul e branca onde mostrou o seu talento natural para o futebol. Sob a orientação do treinador francês Adolphe Cassaigne, o inglês ganhou um papel de ponta-de-lança no plantel do F.C. Porto.
Em 1922, o F.C. Porto venceu a primeira competição oficial de sempre do futebol português, mas Norman Hall não foi utilizado nesse momento histórico. No entanto, seria ele o autor de um “hat-trick” frente ao S.C. Espinho que colocou o F.C. Porto na final do Campeonato de Portugal de 1924/25. O jogo decisivo teve lugar em Viana do Castelo, onde Hall, capitão de equipa, inaugurou o marcador numa vitória por 2-1 frente ao Sporting C.P., resultado que permitiu ao F.C. Porto conquistar o seu segundo título nacional.
A carreira de Norman Hall no F.C. Porto teria terminado em Junho de 1930 se o inglês não fosse seduzido a jogar mais um ano, participando na campanha do clube na época de 1930/31. Quando finalmente se despediu dos campos de futebol, o avançado somava 71 utilizações e 58 golos marcados ao longo dos anos em jogos do Campeonato de Portugal e do Campeonato Regional, números bastante elevados naquele período da história.
Hall foi elevado a Sócio Honorário do F.C. Porto e, depois de terminar a carreira de futebolista, viveu em Lisboa, por razões profissionais, onde chegou a exercer a funções no gabinete de comunicação na Embaixada dos Estados Unidos da América. Em 1952, ajudou à importação, de Inglaterra, das sementes que deram origem ao primeiro relvado do Estádio das Antas, inaugurado nesse ano.