29 de junho de 2020

Bino

Manuel Albino Morim Maças, conhecido como Bino, nasceu no dia 19 de Dezembro de 1972 na Póvoa de Varzim.
Foi nas escolas do Varzim S.C. que começou a jogar futebol, isto quando decorria o ano de 1983. Aos 14 anos de idade entrou para os juniores b do Futebol Clube do Porto, onde prosseguiu a sua formação até ascender à categoria de sénior na época de 1990/91.
A sua estreia na equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 30 de Março de 1991 no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o S.C. Braga por 2-0. Bino substituiu Semedo aos 45 minutos, num jogo que contou para a 29Ç jornada do Campeonato Nacional de 1990/91.
Na temporada seguinte esteve emprestado ao Rio Ave F.C.
Em 1992/93 regressou ao plantel portistas e na primeira partida que foi utilizado pelo treinador Carlos Alberto Silva, (entrou aos 67 minutos a substituir António Carlos), marcou dois golos, aos 83 e 90 minutos respectivamente, e que possibilitaram a vitória dos Dragões por 3-0 contra o F.C. Famalicão, um jogo que foi disputado em Coimbra e que valeu para a 6ª jornada do Campeonato Nacional.
No final dessa época sagrou-se Campeão Nacional.
Na temporada de 1993/94 e depois em 1994/95 esteve emprestado, primeiro ao S.C. Salgueiros e depois ao C.F. Belenenses.
Em 1995/96 voltou ao F.C. Porto, treinado por Bobby Robson. Foi utilizado por 22 vezes, marcou 2 golos e no final da época repetiu o título de Campeão Nacional.
Na temporada seguinte começou por vencer a Supertaça Cândido de Oliveira e voltou a sagrar-se Campeão Nacional. No entanto a meio dessa época foi emprestado ao C.S. Marítimo onde se manteve até ao final da temporada seguinte, sendo contratado pelo S.C. Portugal.
Bino esteve quatro temporadas ao serviço do F.C. Porto. Disputou 35 jogos oficiais, marcou 4 golos e conquistou 4 títulos (3 Campeonatos Nacionais e 1 Supertaça Cândido de Oliveira).
Entre 1998/99 e 2000/01 representou o S.C. Portugal, tendo voltado a sagrar-se Campeão Nacional por uma veze a vencer uma Supertaça Cândido de Oliveira. Em 2001/02 rumou a Espanha para ingressar no C.D. Tenerife, onde se manteve durante duas épocas. Em 2003/04 regressou a Portugal e ao C.S. Marítimo. Em 2005/06 transferiu-se para o Moreirense F.C., jogou no emblema de Moreira de cónegos durante quatro anos e no final da temporada de 2008/09 decidiu colocar um ponto final na sua carreira de futebolista.
Bino foi internacional por Portugal e vestiu por 3 vezes a camisola da Selecção Nacional.
Em 2010/11 deu início a carreira de treinador na Associação Juvenil Escola de Futebol Hernâni Gonçalves. Passou pelos juniores do Padroense F.C. e em 2011/12 voltou ao F.C. Porto para orientar os jovens Dragões, onde se manteve durante sete anos. Em Dezembro de 2019 assumiu o comando técnico da equipa B do V. Guimarães, mas em Abril de 2021, passou a orientar a equipa principal dos vimaranenses.

Palmarés
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
2 Supertaças Cândido de Oliveira

22 de junho de 2020

Artur Alves

Artur Alves foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de trinta.
Natural do Funchal, ingressou nos portistas na temporada de 1934/35.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 27 de Dezembro de 1934 no Campo da Constituição, onde o F.C. Porto a jogar como equipa visitante, derrotou o Leixões S.C. por 8-0, numa partida que valeu para a 10ª jornada do Campeonato do Porto de 1934/35.
Quanto aos golos, estreou-se com um hat-trick, no jogo da 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1934/35, quando no dia 27 de Janeiro os Dragões venceram a Académica de Coimbra por 7-1 no Campo da Constituição. Artur Alves apontou o terceiro golo do F.C. Porto aos 25 minutos, depois marcou o sexto aos 75 minutos e fechou a contagem aos 88 minutos de jogo.
Artur Alves representou o F.C. Porto apenas na temporada de 1934/35. Disputou 4 jogos oficiais e marcou 3 golos. Sagrou-se Campeão Nacional e Campeão Regional do Porto.
Artur Alves esteve ainda presente em jogos particulares contra clubes poderosos na época.
No dia 23 de Dezembro de 1934 o Ujpest F.C. (campeão da Hungria nesse ano), foi derrotado pelos portistas por 2-1, em jogo disputado no Campo do Ameal. No ano seguinte, no dia 27 de Abril, foram os austríacos do S.C. Wacken Wien a serem vergados perante os Dragões com uma derrota por 5-2.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto

15 de junho de 2020

Maxi Pereira

Victorio Maximiliano Pereira Paéz (Maxi Pereira), nasceu no dia 8 de Junho de 1984 em Montevidéu, Uruguai.
Era ainda criança quando começou a jogar futebol no Defensor Sporting Club, tendo percorrido todos os escalões de formação do clube da sua terra natal até chegar a sénior no ano de 2002. Na equipa principal do emblema de Montevidéu, Maxi Pereira ainda jogou durante sete anos. No verão de 2007 transferiu-se para o S.L. Benfica onde permaneceu durante oito épocas, tendo conquistado por três vezes o título de Campeão Nacional, ganhou seis vezes a Taça da Liga, venceu por uma vez a Taça de Portugal e a Supertaça Cândido de Oliveira.
No início da época de 2015/16 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no Estádio do Dragão no dia 15 de Agosto de 2015 quando os portistas receberam e venceram o V. Guimarães por 3-0, com Maxi Pereira a fazer a assistência para todos os golos da partida que contou para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16.
O primeiro golo que marcou de Dragão ao peito foi no Estádio Municipal de Braga no jogo da 25ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16, quando os portistas visitaram o S.C. Braga com os minhotos a vencer por 3-1.
Maxi Pereira esteve ao serviço do F.C. Porto durante quatro épocas. Em 2017/18 sagrou-se Campeão Nacional e na temporada seguinte ganhou a Supertaça Cândido de Oliveira, contribuindo de forma direta para a conquista do troféu ao apontar o segundo golo da vitória do F.C. Porto sobre o C.D. Aves por 3-1.
Nos quatro anos em que representou os Dragões Maxi Pereira disputou 130 jogos oficiais, marcou 5 golos e conquistou 2 títulos.
Maxi Pereira foi internacional pelo Uruguai, tendo disputado 123 jogos oficiais com 3 golos marcados pela sua seleção. Esteve presente na Taça das Confederações de 2013, na Copa América de 2007, 2011, 2015 e 2016, em que o Uruguai venceu e ainda marcou presença no Campeonato do Mundo de 2010, 2014 e 2018.


Palmarés
1 Copa América
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
6 Taças da Liga de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

8 de junho de 2020

Torcato Plácido

Torcato Plácido foi um antigo dirigente do Futebol Clube do Porto.
Fez parte de todas as direcções presididas por Cesário Bonito e também integrou a direcção liderada por Urgel Horta em 1952, quando aconteceu a inauguração do Estádio das Antas.
Torcato Plácido foi chefe da secção de basquetebol portista e delegado do F.C. Porto em várias Associações Regionais.
Foi ainda um dos principais responsáveis pela comissão Pró-Troféu F.C. Porto – Arsenal em 1949. Fez também parte da comissão Pró-Ringue de Patinagem, da comissão executiva Pró-Estádio das Antas e teve um papel preponderante na organização das Festas de Inauguração do Estádio.
Foi ainda presidente do Grupo “Os Portistas”, uma espécie de claque, onde era o responsável pela organização de caravanas de apoio sempre que alguma equipa do F.C. Porto, seja qual fosse a modalidade, se deslocava pelo país fora.
Tal como foi um dos principais responsáveis pelo Troféu F.C. Porto – Arsenal, teve igual papel na elaboração do “Bronze-Andebol”, um dos mais belos troféus do museu dos Dragões.

1 de junho de 2020

Quinzinho

Joaquim Alberto Silva, mais conhecido por Quinzinho, nasceu no dia 4 de Março de 1974 em Luanda, Angola.
Foi no ano de 1995 que começou a carreira de futebolista no Atlético Sport Aviação, um clube da sua terra natal.
No início de Janeiro de 1996 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões deu-se no dia 10 de Janeiro de 1996, no Estádio das Antas, onde os portistas receberam o C.F. União de Lamas no jogo da 5ª eliminatória da Taça de Portugal de temporada de 1995/96. A partida terminou empatada 0-0 tendo os azuis e brancos eliminado os unionistas, 15 dias mais tarde, ao vencer por 3-1.
O Primeiro golo que marcou de Dragão ao peito foi no jogo da 22ª jornada do Campeonato Nacional de 1995/96, quando o F.C. Porto recebeu e venceu por 6-2 o F.C. Felgueiras no Estádio das Antas. Quinzinho apontou o quarto golo dos portistas aos 70 minutos de jogo.
Nessa temporada ainda marcou mais um golo e no final do campeonato nacional sagrou-se Campeão.
Na época de 1996/97 foi emprestado ao U.D. Leiria, onde disputou 18 jogos e marcou 3 golos. Seguiu-se novo empréstimo mas ao Rio Ave F.C. na temporada seguinte, tendo marcado 8 golos em 25 partidas.
Em 1998/99 voltou ao F.C. Porto que era comandado na altura pelo treinador Fernando Santos. Nessa época foi utilizado por 13 vezes, marcou 6 golos e voltou a sagrar-se Campeão Nacional no que foi a conquista do Penta-Campeonato para os Dragões.
Quinzinho representou o F.C. Porto em 2 temporadas. Disputou 24 jogos oficiais, marcou 8 golos e conquistou 2 títulos de Campeão Nacional.
Na temporada seguinte rumou a Espanha onde, ainda por empréstimo dos portistas, teve uma breve passagem pelo Rayo Vallecano de Madrid. Nessa mesma época regressou a Portugal para ser emprestado ao S.C. Farense. Em 2000/01 esteve no C.D. Aves, de novo cedido. Na época que se seguiu foi contratado pelo F.C. Alverca. Passou depois pelo G.D. Estoril Praia. Em 2003 viajou para a China onde representou o Zhejiang Greentown F.C., Xiamen Lanshi e Pudong Zobon F.C.. Em 2010 voltou a Angola para jogar no C.R. Caála e no ano seguinte regressou ao seu primeiro clube, o Atlético Sport Aviação onde terminou a sua carreira de futebolista nesse ano de 2011.
Quinzinho foi também internacional pela Selecção de Angola. Disputou 36 jogos oficiais e marcou 7 golos. Esteve presente no Campeonato das Nações Africanas em 1996 e em 1998.
Na temporada de 2015/16 deu inicio à sua carreira de treinador ao assumir o cargo de treinador adjunto no U.D. Vilafranquense. Em 2017 e já em Angola, esteve também como treinador adjunto, no C.R.D. Libolo.
Faleceu no dia 15 de Abril de 2019, vítima de um ataque cardíaco.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)