1 de agosto de 2010

Taça Teresa Herrera

O Torneio Teresa Herrera é um dos mais prestigiados e antigos do mundo, A primeira edição foi disputada em 1946 e teve como vencedor a equipa do Sevilha F.C.
A origem do torneio, criado pela Câmara de Corunha, foi com o objectivo de obter fundos para o Hospital Dolores, que tinha sido fundado no final do século XVIII por Teresa Margarita Herrera y Posada.
Ao longo dos anos da sua existência, o torneio tem sido disputado por grandes clubes mundiais, como o F.C. Barcelona, C.A. Peñarol, Manchester United F.C. , F.C. Bayern de Munique, Fluminense F.C., entre outros.
O Futebol Clube do Porto já teve a honra de participar no torneio por seis vezes e conquistou o troféu em 1991.
Os Dragões foram o primeiro clube português a participar na prova em 1948. Nesse ano apenas se realizou um jogo, foi contra o F.C. Barcelona e os espanhóis venceram por 2-1.
Em 1964 o F.C. Porto voltou à Galiza juntamente com o Sporting C.P., A.S. Roma e R.C. Deportivo da Coruña, e mais uma vez a formação espanhola levou a melhor com uma vitória por 2-0.
Em 1980 os restantes convidados foram o R.S. Gijón, Real Madrid F.C. e C.R. Flamengo. Desta vez os carrascos foram os madrilistas que ganharam por 2-1.
Em 1985 o F.C. Porto foi mais uma vez convidado juntamente com o Atlético de Madrid, Real Madrid F.C. e C.R. Flamengo. Os portistas vencem os brasileiros por 1-0 mas depois na final foram derrotados pelo Atlético de Madrid.
Em 1991 já a história foi bem diferente. O F.C. Porto começa por vencer o Real Madrid F.C. por 2-1 e depois na final derrotaram o R.C. Deportivo da Coruña, que tinha vencido o F.C. Ajax, e trouxeram assim a bela taça para a vitrina do estádio das Antas.
A última participação do Futebol Clube do Porto na Torneio Teresa Herrera foi em 1994. R.C. Deportivo da Coruña, U.C. Sampdoria e Real Madrid F.C. foram as equipas. Os Dragões perderam para a equipa da casa por 2-1 e no jogo de atribuição do 3º lugar foram derrotados pelos italianos por idêntico resultado.
O torneio teve desde o seu início a organização a cargo da Câmara de Corunha, a partir de 2000 a organização do evento passou para o R.C. Deportivo da Coruña.
A taça é uma réplica da Torre de Hércules que é o farol mais antigo do mundo ainda a funcionar. É o Monumento nacional espanhol mais antigo e ilustre da região da Galiza e que figura no escudo da Corunha.

4 comentários:

Armando Pinto disse...

Recordo-me bem dessa prestigiante conquista, agraciada com tão bonito e valioso trofeu, conquistado pelo F C Porto, sendo o golo da vitória alcançado por Aloísio, já quase no final do encontro decisivo. Era nos tempos em que não havia transmissão televisiva de encontros do género e eu ouvi o relato de transistor colado ao ouvido, sentado à fresca, do calor que então se fazia sentir também, no jardim de minha casa...

Dragão Azul Forte disse...

Curiosidade da edição de 1991, Agosto - A Taça Teresa Herrera era um torneio de referência mas, nesse ano, tinha um valor acrescido: o troféu era mesmo em ouro, portanto valiosíssimo! O "cachet" do FC Porto era de quinze milhões de pesetas. Na véspera da final, como estava previsto, é entregue pela organização um cheque não bancário, avulso, sem nome do titular da conta. Pinto da Costa alerta para o incumprimento do contrato que previa o pagamento por cheque bancário. Garantem-lhe que qualquer banco aceitará o cheque. Não convencido, o Presidente do FC Porto desloca-se ao Porto onde, confirmando o seu receio, o cheque não é aceite para depósito. De volta à Corunha, exige que o pagamento seja feito por um verdadeiro cheque bancário ou por "notinhas". A posição do FC Porto era irredutível: "dinheiro na mão, botas nos pés; sem uma coisa não haveria a outra". Aproxima-se a hora da final e, chegado o autocarro ao hotel, os jogadores não descem dos quartos, o tempo passa e, então, lá chega um saco com os quinze milhões de pesetas.
O FC Porto trouxe os milhões e a Taça em Ouro!
Um abraço ao Paulo Moreira e a todos os leitores do blogue.

dragao vila pouca disse...

Paulo Moreira conduz o esférico, finta um, finta outro, indica o caminho da baliza e endossa o esférico a Fernando Moreira que conclui a jogada com mestria.

Um abraço

Anónimo disse...

Você completou alguns bons pontos lá. Eu fiz uma pesquisa sobre o tema e descobriu que a maioria das pessoas terá a mesma opinião com o seu blog.