31 de julho de 2022

Kazmierczak

Przemysław Tadeusz Kazmierczak nasceu no dia 5 de Maio de 1982 em Leczyca, Polónia.
Depois de ter passado por todos os escalões de formação do L.K.S. Lodz, Kazmierczak ascendeu à categoria de sénior no ano de 2000 e foi no K.S. Concordia Piotrków Trybunalski que iniciou a sua carreira de futebolista profissional, onde jogou durante três temporadas, tendo tido uma breve passagem pelo K.S. Gornik Leczna por empréstimo. Na temporada de 2003/04, ingressou no Pogoń Szczecin S.A. , clube que representou durante três épocas e onde começou a mostrar as suas qualidades que lhe valeram a chamada, por diversas vezes, à seleção da Polónia. Em 2006/07, deixou o seu país e viajou até Portugal para jogar no Boavista F.C.
No início da temporada de 2007/08 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 11 de Agosto de 2007, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, onde os portistas defrontaram o Sporting C.P. na partida da Supertaça Cândido de Oliveira, jogo que os lisboetas venceram por 1-0. Kazmierczak começou a partida como suplente, mas aos 75 minutos substituiu Marek Cech.
Com a camisola do F.C. Porto, Kazmierczak apenas marcou um golo. Foi no Campo de Jogos de Abegoaria, no dia 10 de Fevereiro de 2008, onde os Dragões visitaram e venceram por 4-0 o Sertanense F.C., numa partida que valeu para os Oitavos-de-Final da Taça de Portugal, com o médio polaco a apontar o terceiro golo do jogo, aos 45 minutos.
Apesar de não ter sido um dos habituais titulares da equipa orientada pelo treinador Jesualdo Ferreira, Kazmierczak disputou dezanove jogos oficiais, divididos entre o Campeonato Nacional, Supertaça Cândido de Oliveira, Taça da Liga, Taça de Portugal e Liga dos Campeões. No final dessa temporada de 2007/08, sagrou-se Campeão Nacional.
Na época seguinte foi emprestado aos ingleses do Derby County F.C. e em 2009/10 regressou a Portugal para vestir a camisola do V. Setúbal. Em Agosto de 2010, voltou à Polónia, tendo sido contratado pelo K.S. Slask Wroclaw, clube pelo qual venceu o campeonato polaco na temporada de 2011/12 e a Supertaça da Polónia de 2012. Em 2014/15, regressou ao K.S. Gornik Leczna, clube onde terminou a sua carreira de futebolista nessa mesma época.
Kazmierczak foi internacional pela Polónia, tendo representado a seleção polaca por 12 vezes e marcado um golo.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Polónia
1 Supertaça da Polónia

17 de julho de 2022

Taça António Pimenta

O Futebol Clube do Porto terminou a época de 1974/75 com uma viagem ao Brasil, onde disputou vários jogos. São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Maceió e Campos integraram o roteiro dos Dragões, que foi recheado de jogos e momentos emotivos junto dos muitos emigrantes portugueses.
A Taça António Pimenta, foi conquistada com uma vitória sobre o Sport Club do Recife, por 2-1. Júlio, aos 11 minutos e Fernando Gomes, aos 20 minutos, apontaram os golos dos portistas, com o treinador Monteiro da Costa a fazer alinhar a seguinte equipa: Quim, Murça, Ronaldo, Rolando e Leopoldo; Gabriel, Cubillas e Peres; Seninho, Júlio e Fernando Gomes. Jogaram ainda o guarda-redes Tibi e os médios Teixeira e António Oliveira.
O peruano Cubillas era a grande estrela do F.C. Porto, mas no plantel azul e branco começavam a aparecer talentos em crescimento, como o caso de António Oliveira e também Fernando Gomes, que se veio a tornar o maior goleador da história do F.C. Porto e que por duas vezes foi Bota de Ouro.
O jogo contra o S.C. Recife foi disputado no dia 21 de Junho de 1975, um dia após a data inscrita na taça e assinalou a inauguração da iluminação artificial do Estádio Adelmar da Costa Carvalho.
O troféu em disputa foi oferecido por António Pimenta Machado, um cidadão português de Guimarães, estabelecido no Brasil e que era um grande apaixonado pelo futebol.

10 de julho de 2022

Sérgio Oliveira

Sérgio Miguel Relvas de Oliveira nasceu no dia 2 de Junho de 1992 em Paços de Brandão.
Foi no clube da sua terra natal, o Clube Desportivo Paços de Brandão, que Sérgio Oliveira, ainda muito criança, começou a jogar futebol.
Em 2002 e com 10 anos de idade, ingressou no Futebol Clube do Porto. Passou por todos os escalões de formação dos Dragões, com uma breve passagem pelo Padroense F.C. em 2008, até chegar a sénior em 2009/10.
A sua estreia na equipa principal dos azuis e brancos aconteceu no dia 17 de Outubro de 2009, quando os portistas receberam e venceram o Sertanense F.C. por 4-0 no Estádio do Dragão, numa partida que contou para a 3ª eliminatória da Taça de Portugal da temporada de 2009/10. Essa foi a única partida que realizou na Taça de Portugal, mas com a conquista da prova pelos azuis e brancos foi o bastante para Sérgio Oliveira, ainda com 17 anos, vencer o seu primeiro título como sénior.
Nessa época ainda participou em mais três jogos oficiais, todos a contar para a Taça da Liga. Na temporada seguinte esteve emprestado ao S.C. Beira-Mar, seguiu-se depois novo empréstimo aos belgas do K.V. Mechelen e ao F.C. Penafiel.
Em 2012/13 regressou ao F.C. Porto para jogar na equipa b onde foi um dos jogadores mais utilizados pelo então treinador Rui Gomes.
Em 2013/14 Sérgio Oliveira transferiu-se para o F.C. Paços de Ferreira e começou logo a fazer parte da história do clube pacense ao alinhar no jogo de estreia na Liga dos Campeões do emblema da capital do móvel. Em Paços de Ferreira Sérgio Oliveira esteve duas épocas e sempre se destacou como um dos melhores jogadores dos auri-verdes.
Na época de 2015/16 regressou ao F.C. Porto. Na temporada seguinte esteve emprestado aos franceses do F.C. Nantes que eram treinados por Sérgio Conceição. Em 2017/18 voltou aos Dragões, que contrataram o treinador que encontrou em França, realizou uma das melhores épocas da sua carreira e foi um dos mais importantes jogadores do plantel e no final da temporada sagrou-se Campeão Nacional.
Em 2018/19 começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira, mas aos poucos foi perdendo espaço na equipa azul e branca. Em Janeiro de 2019 foi mais uma vez emprestado e rumou à Grécia para vestir a camisola do P.A.O.K. Salónica, tendo sido um jogador fundamental para o clube grego conquistar o titulo de Campeão da Grécia e a Taça da Grécia no final dessa época.
Na temporada seguinte voltou a integrar o plantel do F.C. Porto. Tornou-se um dos principais jogadores utilizados pelo treinador Sérgio Conceição e voltou a sagrar-se Campeão Nacional, venceu a sua segunda Taça de Portugal e também a segunda Supertaça Cândido de Oliveira.
Em 2020/21, Sérgio Oliveira continuou a ser um dos futebolistas mais importantes do plantel portista e foi mesmo o quinto jogador que mais jogos realizou, contabilizando 48 partidas oficiais disputadas. Apesar de ser um centro-campista marcou 20 golos, alguns deles decisivos, como os dois que apontou contra a Juventus F.C. em Turim e que foram fundamentais para o F.C. Porto eliminar os italianos nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.
Na temporada de 2021/22, Sérgio Oliveira começou a perder algum destaque na equipa portista e em Janeiro de 2021, foi emprestado aos italiano do A.S. Roma, treinados por José Mourinho. Em Itália, Sérgio Oliveira mostrou logo no primeiro jogo que disputou toda a sua classe, não só foi titular, como apontou o único golo da partida que valeu a vitória dos romanos sobre o Cagliari Calcio. Em Maio de 2022, Sérgio Oliveira conquistou a Liga Conferência, o seu primeiro titulo internacional.
Em Julho de 2022, foi contratado ao F.C. Porto pelos turcos do Galatasaray S.K.
Ao serviço dos Dragões, Sérgio Oliveira disputou 174 jogos oficiais, marcou 39 golos e conquistou 8 titulos.
Sérgio Oliveira é internacional por Portugal. Representou a Seleção Nacional por diversas vezes e esteve presente no Campeonato da Europa de 2020.

Palmarés
1 Liga Conferência da Europa
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Grécia
3 Taças de Portugal
1 Taça da Grécia
2 Supertaçs Cândido de Oliveira

26 de junho de 2022

Fábio Vieira

Fábio Daniel Ferreira Vieira nasceu no dia 30 de Maio de 2000 em Argoncilhe, uma freguesia de Santa Maria da Feira.
Filho de um operário da construção civil e de uma empregada doméstica, Fábio Vieira começou a jogar futebol com cinco anos de idade no clube da sua terra natal, o A.D. Argoncilhe. Com sete anos, participou num torneio no Algarve, inserido na equipa do C.D. Feirense, tendo despertado o interesse de alguns clubes nacionais que chegaram a falar com o seu pai para contratar o jovem futebolista, mas depois chegou uma oferta do seu clube do coração e Fábio Vieira, em 2008, ingressou no Futebol Clube do Porto.
Entre 2008 e 2020, Fábio Vieira passou por todos os escalões de formação dos Dragões, com excepção da temporada de 2015/16 em que esteve cedido ao Padroense F.C.. Nesse período, foi um dos jovens Dragões que conquistou a UEFA Youth League em 2018/19.
No dia 10 de Junho de 2020, Fábio Vieira estreou-se com a camisola da equipa principal do F.C. Porto no Estádio do Dragão, na recepção ao C.S. Marítimo, no jogo da 26ª jornada do Campeonato Nacional que os portistas venceram por 1-0. Fábio Vieira começou como suplente, mas aos 72 minutos substituiu Moussa Marega.
O primeiro golo que marcou de Dragão ao peito, aconteceu na cobrança perfeita de um livre directo e que na altura deu o 4º golo da vitória do F.C. Porto sobre o Belenenses SAD por 5-0, na partida da 30ª jornada do Campeonato Nacional.
No final dessa temporada de 2019/20, Fábio Vieira sagrou-se Campeão Nacional.
Depois de ter sido utilizado em 29 jogos oficiais pelo treinador Sérgio Conceição, na época de 2020/21, Fábio Vieira elevou as suas qualidades de futebolista na temporada seguinte e nos 39 jogos que realizou, marcou sete golos e fez 16 assistências para golo. No final dessa época, sagrou-se pela segunda vez, Campeão Nacional e conquistou a Taça de Portugal.
As excelentes exibições que sempre realizou com a camisola do F.C. Porto não passaram despercebidas aos grandes clubes europeus e em Junho de 2022, os ingleses do Arsenal F.C., contrataram o jovem Dragão.
Ao serviço do F.C. Porto, Fábio Silva realizou 76 jogos oficiais, marcou 10 golos e conquistou 3 títulos.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal

19 de junho de 2022

Tiago

Tiago César Moreira Pereira nasceu no dia 4 de Julho de 1975 na cidade da Trofa.
Foi no clube da sua terra natal, o C.D. Trofense, que Tiago começou a jogar futebol e onde efectuou toda a sua formação de futebolista. Em 1993/94 e já como sénior ingressou no F.C. Famalicão, seguindo-se o C.S. Marítimo em 1995/96. No início do ano de 1997, trocou os madeirenses pelo S.L. Benfica. Em 1998/99, rumou a Espanha para representar o Rayo Vallecano e o C.D. Tenerife, na época seguinte. Em 2000/01, voltou a Portugal para jogar no U.D. Leiria e foi no emblema da cidade do Lis que Tiago mostrou a sua categoria de futebolista, tendo despertado o interesse dos maiores emblemas nacionais.
No início da temporada de 2002/03, Tiago foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no Estádio do Bessa onde os portistas visitaram e venceram o Boavista F.C. por 1-0, num jogo que contou para a 2ª jornada do Campeonato Nacional 2002/03. Tiago saiu do banco de suplentes aos 86 minutos para substituir Maniche.
Foi preciso esperar apenas 21 dias, para Tiago marcar o primeiro golo de Dragão ao peito. Aconteceu na vitória do F.C. Porto contra o V. Guimarães por 2-0, na partida da 4ª jornada do campeonato, com Tiago a apontar o 2º golo dos Dragões aos 75 minutos de jogo.
Nessa época de 2002/03, apesar de não ser um titular indiscutível, Tiago disputou 35 jogos, divididos entre o Campeonato Nacional, Taça de Portugal e Taça UEFA, tudo competições que ajudou a ganhar no final da temporada.
Na época seguinte, Tiago efectuou apenas 4 jogos oficiais pelos Dragões (3 para o campeonato e 1 na Taça de Portugal). Em Janeiro regressou ao U.D. Leiria, por empréstimo, mas as 3 partidas que disputou de azul e branco foram o bastante para se sagrar Campeão Nacional pela segunda vez na sua carreira.
Em 2004/05, foi contratado pelo Boavista F.C. onde permaneceu três épocas. Em 2007/08, voltou mais uma vez ao U.D. Leiria, tendo conquistado a Taça Intertoto nessa temporada. Em 2009/19, regressou ao C.D. Trofense, tendo jogado durante sete temporadas no clube da Trofa e no final da época de 2015/16 colocou um ponto final na sua carreira de futebolista.

Palmarés
1 Taça UEFA
1 Taça Intertoto
2 Campeonatos Nacionais
1 Taça de Portugal

12 de junho de 2022

Garrafa de Vinho do Porto - 1987

O Futebol Clube do Porto e o Vinho do Porto, são os dois maiores expoentes da cidade do Porto. Ambos têm a identidade da região do Douro e são ilustres embaixadores de Portugal em todo o mundo.
Foi António Nicolau d´Almeida, um comerciante de Vinho do Porto, que depois de ter viajado até Inglaterra apaixonou-se pelo futebol e quando regressou a Portugal decidiu fundar o Futebol Clube do Porto, em pleno ano de 1893.
É bem conhecida a expressão “quanto mais velho, melhor”, uma referência associada ao Vinho do Porto, mas que também pode ser aplicada ao emblema azul e branco que no ano de 1987, quando festejou os 94 anos de vida, tornou-se Campeão da Europa e do Mundo em futebol. O F.C. Porto é o único clube português que conseguiu esses dois títulos e que repetiu a proeza em 2004.
Após ter conquistado a Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1987, foram muitas as formas de celebração e esta garrafa de Vinho do Porto Borges é a número 1 de um lote de 2400 criado naquele ano, precisamente para celebrar o primeiro título europeu dos portistas em provas da UEFA.

5 de junho de 2022

Ricardo Silva

Ricardo Emídio Ramalho da Silva, nasceu no dia 26 de Setembro de 1975 no Porto.
Foi no Gatões F.C., um pequeno clube da freguesia de Guifões, em Matosinhos, que Ricardo Silva começou a jogar futebol mais a sério, isto quando contava com 13 anos de idade. Em 1989, mudou-se para o Boavista F.C. e percorreu os vários escalões de formação do emblema do Bessa até ascender a sénior no final da temporada de 1994/95. Na época seguinte, integrou o plantel principal do A.D. Esposende, sendo um dos jogadores mais utilizados pelo treinador Luís Campos, nessa temporada.
No início da época de 1996/97, Ricardo Silva foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Depois de ter jogado três temporadas por empréstimo no F.C. Felgueiras, C.S. Marítimo e U.D. Leiria, onde foi sempre um dos jogadores mais em evidência, Ricardo Silva estreou-se com a camisola dos Dragões no dia 23 de Outubro de 1999 no Estádio Municipal de Guimarães, onde os portistas visitaram e empataram 1-1 com o Vitória S.C.. Ricardo Silva foi titular, jogou todos os minutos do jogo e marcou o seu primeiro golo de Dragão ao peito.
No decorrer dessa época, o defesa-central foi utilizado pelo treinador Fernando Santos em mais dez jogos, tendo apontado mais um golo na vitória portista, por 3-0, sobre o Rio Ave F.C. no jogo da meia-final da Taça de Portugal. Nessa temporada, Ricardo Silva conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça de Portugal.
Em 2000/01, Ricardo Silva voltou a conquistar a Taça de Portugal naquela que foi a sua melhor temporada com a camisola azul e branca, pois disputou 16 jogos oficiais e marcou 3 golos.
Na época seguinte, Ricardo Silva venceu pela segunda vez a Supertaça Cândido de Oliveira, naquela que foi a sua última temporada de Dragão ao peito.
Nas três épocas em que Ricardo Silva esteve ao serviço do F.C. Porto, disputou 42 jogos oficiais, marcou 5 golos e conquistou 4 títulos (2 Taças de Portugal e 2 Supertaças Cândido de Oliveira).
Depois de deixar os Dragões, Ricardo Silva passou pelo V. Guimarães, Boavista F.C., S.C. Beira-Mar. Rumou à Rússia onde em 2008 e 2009 jogou no F.C. Shinnik Yaroslavl. Em 2010, regressou a Portugal para vestir a camisola do V. Setúbal, onde permaneceu quatro anos. Seguiu-se o retorno ao Boavista F.C. em 2013/14, quando o clube axadrezado militava no 3º escalão. Na temporada seguinte, Ricardo Silva ingressou no Padroense F.C., clube onde colocou um ponto final na sua carreira de futebolista no ano de 2014.
Nessa mesma época de 2014/15, Ricardo Silva assumiu o comando técnico do Padroense F.C.. Depois assumiu o cargo de treinador adjunto e passou pelo Varzim S.C., Rio Ave F.C. e C.D. Mafra. Em 2020/21, regressou mais uma vez ao Boavista F.C. para orientar a equipa de sub-23 do emblema do Bessa.
Em Novembro de 2021 e em Maio de 2022, Ricardo Silva voltou a vestir a camisola do F.C. Porto para disputar dois jogos amigáveis entre velhas glórias dos Dragões e do S.C. Salgueiros e do Gil Vicente F.C.

Palmarés
2 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

1 de maio de 2022

Galhardete F.C. Porto

No ano de 1956, o Futebol Clube do Porto foi presenteado com um galhardete para celebrar a primeira “dobradinha” do emblema azul e branco, a conquista dos títulos de Campeão Nacional e da Taça de Portugal.
O galhardete foi bordado à mão pela mãe de Henrique Cardoso Pereira, um adepto portista que, na época, residia no Rio de Janeiro, e que apesar da distância que o separava de Portugal, não quis deixar de homenagear todos aqueles que contribuíram para as conquistas que os Dragões venceram.
O galhardete tem uma inscrição frontal, que identifica o seu autor. Já na parte de trás, está mencionada a data da conquista do Campeonato Nacional, que foi no dia 29 de Abril, assim como o dia da vitória na Taça de Portugal, no dia 27 de Maio, ambas com o brasileiro Dorival Kniper “Yustrich”, a comandar a equipa.
Nessa temporada e nessas duas conquistas, os jogadores que F.C. Porto utilizou incluiu Pinho, Acúrsio, Valle, Sá Pereira, Romeu, Gonçalves, Correia, Sarmento, Eleutério, Carlos Duarte, José Maria, Perdigão, Teixeira, Pedroto, Hernâni, Jaburu, Osvaldo, Monteiro da Costa, Miguel Arcanjo, Gastão e Virgílio.

20 de março de 2022

Luis Díaz

Luis Fernando Díaz Marulanda nasceu no dia 13 de Janeiro de 1997 na cidade de Barrancas, no departamento de La Guajira, Colômbia.
Foi no Corporación Deportiva Barranquilla Fútbol Club, que Luis Díaz começou a jogar futebol e onde se estreou como sénior em 2016. No ano seguinte, transferiu-se para o Corporación Popular Deportiva Junior e foi no clube de maior dimensão da cidade de Barranquilla que Luis Díaz conquistou os seus primeiros títulos. Depois de vencer a Copa da Colômbia em 2017, ganhou a Liga Colombiana Finalización em 2018, a Supercopa da Colômbia e a Liga Colombiana Apertura em 2019. Foi também ao serviço do C.P. Deportiva Junior que Luis Díaz começou a despertar o interesse dos clubes europeus.
Em Julho de 2019, Luis Díaz foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Agosto de 2019, no Krasnodar Stadium, na Rússia, onde os portistas venceram por 1-0 o F.K. Krasnodar, na partida da 1ª mão da 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões de 2019/20. Luis Díaz foi a jogo aos 55 minutos a substituir Romário Baró.
Seis dias depois, no Estádio do Dragão e no jogo da 2ª mão, Luis Díaz marcou o seu primeiro golo com a camisola azul e branca. O Colombiano apontou o segundo golo do F.C. Porto, aos 77 minutos, que acabou por ser insuficiente, já que os russos venceram por 3-2.
Nessa temporada de 2019/20, Luis Díaz disputou 50 jogos oficiais e marcou 14 golos que foram importantes para, no final da época, se sagrar Campeão Nacional e conquistar a Taça de Portugal.
Na época de 2020/21, Luis Díaz continuou a ser um dos futebolistas mais utilizados pelo treinador Sérgio Conceição. O extremo colombiano disputou 47 partidas oficiais, apontou 11 golos e fez 6 assistências para golo. Nessa temporada, em Dezembro, venceu a Supertaça Cândido de Oliveira.
Em 2012/22, Luis Díaz iniciou a temporada em grande forma física e enquanto a época se desenrolava, foi-se tornando um dos jogadores mais influentes da equipa, tanto em golos marcados como em assistências. As suas boas exibições, despertaram ainda mais a cobiça dos principais clubes europeus e, no final de Dezembro de 2021, foi contratado pelos ingleses do Liverpool F.C.. De Agosto até Dezembro, Luis Díaz disputou 28 jogos oficiais, marcou 16 golos e efectuou 5 assistências.
Nos dois anos e meio em que esteve ao serviço do F.C. Porto, Luis Díaz disputou 128 partidas oficiais, marcou 41 golos e conquistou 3 títulos (1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça Cândido de Oliveira). Em Janeiro de 2022, vestiu pela primeira vez a camisola do Liverpool F.C. e dois meses depois, venceu a Taça da Liga Inglesa, ao que juntou a conquista da Taça de Inglaterra. Apesar de ter deixado os Dragões em Janeiro, Luis Díaz sagrou, pela segunda vez, Campeão Nacional pelo F.C. Porto e venceu a sua 2ª Taça de Portugal.
Luis Díaz é internacional pela Colômbia e já vestiu por várias vezes a camisola da seleção cafetera. Esteve presente na Copa América de 2019 e de 2021, tendo sido o melhor marcador com 4 golos marcados.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Liga da Colômbia Apertura
1 Liga Colombiana Finalizácion
2 Taças de Portugal
1 Copa da Colômbia
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Supercopa da Colômbia
1 Taça da Liga Inglesa

6 de março de 2022

Ivan

Ivan Palmeira nasceu no dia 28 de Agosto de 1931 no Brasil.
Depois de ter jogado no S.C. Palmeiras chegou a Portugal no verão de 1960 para ingressar no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 18 de Setembro de 1960 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Leixões S.C. por 1-0, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1960/61.
Ivan representou o F.C. Porto nas temporadas de 1960/61 e 1961/62, disputou 63 jogos oficiais e apontou 6 golos. Na sua segunda temporada com a camisola azul e branca foi um dos totalistas, junto com Paula, Virgílio e Serafim ao alinharem em todos os 26 jogos do Campeonato Nacional e nas 6 partidas que os portistas disputaram na Taça de Portugal.
Depois de deixar o F.C. Porto regressou ao Brasil e ao S.C. Palmeiras.

20 de fevereiro de 2022

Jorge Plácido

Jorge Manuel Plácido Bravo da Costa nasceu no dia 19 de Junho de 1964 em Luanda, Angola.
Em 1975, deixou as terras angolanas para trás e rumou a Portugal. Ainda durante esse ano entrou para as escolas do Sporting C.P., mas no ano seguinte regressou a Angola para voltar a Portugal em 1977, tendo passado a viver na cidade do Barreiro e pouco tempo depois ingressou nas escolas do F.C. Barreirense. No ano seguinte, mudou de ares e passou a jogar no Amora F.C., onde ascendeu à categoria de sénior em 1981, tendo permanecido no emblema amorense em 1982/83. Na época seguinte, Jorge Plácido transferiu-se para o V. Setúbal, vestindo a camisola dos sadinos durante duas temporadas e onde foi um dos jogadores mais utilizados pelo técnico sadino, Manuel de Oliveira. Em 1985/86, rumou ao G.D. Chaves, onde esteve duas épocas, tendo voltado a ser um dos jogadores mais importantes e mais utilizados do plantel orientado pelo treinador Raúl Águas e ajudou a levar o clube flaviense pela primeira vez às competições europeias.
No início da temporada de 1987/88 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 6 de Setembro de 1987, no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 2-0, num jogo que contou para a 3ª jornada do Campeonato Nacional de 1987/88. Jorge Plácido começou como suplente mas aos 82 minutos substituiu Sousa.
O primeiro golo que marcou de Dragão ao peito, foi já em Março de 1988, também no Estádio das Antas, numa partida da 5ª eliminatória da Taça de Portugal contra o A.C. Marinhense. o F.C. Porto venceu por 4-0, com Jorge Plácido a inaugurar o marcador aos 50 minutos de jogo.
Nessa temporada, Jorge Plácido foi utilizado pelo treinador, Tomislav Ivic, em quatro das cinco competições que o F.C. Porto disputou. Apenas não jogou a partida da Taça Intercontinental, mas marcou presença como suplente.
No final da época, Jorge Plácido somou 23 jogos oficiais disputados, 2 golos marcados e sagrou-se Campeão Nacional, venceu a Taça de Portugal, a Supertaça Europeia e a Taça Intercontinental. A nível de jogos particulares, deu o seu contributo para o F.C. Porto conquistar o Troféu Joan Gamper, ao vencer o F.C. Barcelona e também o Bayern Munique F.C.
Em 1988/89, Jorge Plácido rumou a França para jogar no Matra Racing de Paris. No entanto, acabou por sofrer uma lesão que o afastou dos relvados durante algum tempo. Em Novembro, regressou a Portugal para jogar no Sporting C.P. por empréstimo do clube francês. Na temporada seguinte, voltou ao Matra Racing de Paris tendo disputado 25 partidas e marcado 2 golos.
Em 1990/91, Jorge Plácido regressou ao F.C. Porto, onde reencontrou o treinador Artur Jorge e os futebolistas João Pinto, Bandeirinha, Jaime Magalhães, André, Semedo e Madjer, que tinha jogado consigo na sua anterior passagem pelo clube azul e branco. No entanto, nesta época, Jorge Plácido nunca esteve ao seu melhor nível e apenas disputou 6 partidas oficiais. Ainda assim, conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça de Portugal.
Na temporada seguinte, ingressou no S.C. Salgueiros e não precisou de muito tempo para escrever o seu nome na história do emblema de Paranhos, ao ser o autor do primeiro e único golo com que os salgueiristas venceram o seu primeiro jogo numa competição europeia, ao derrotar os franceses do A.S. Cannes, por 1-0, no jogo da 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça UEFA de 1991/92. No final dessa temporada e depois de 29 jogos disputados, Jorge Plácido deixou o clube de Vidal Pinheiro e voltou a França, onde jogou no U.S. Créteil e também no U.S. Lusitanos.
De regresso a Portugal, esteve três anos no Padroense F.C. e em 2002 passou a trabalhar para o Ministério das Relações Exteriores angolano, em Portugal.
Na temporada de 2003/04 regressou aos relvados e teve uma breve passagem pelo A.D.C. Lobão.
Jorge Plácido vestiu também a camisola da Seleção de Portugal por 3 vezes, tendo marcado 2 golos.
Em 2009, voltou a Angola para assumir o cargo de treinador do Sport Luanda e Benfica. Depois abraçou um projeto de formação numa instituição desportiva, a Escola Kikuxi Villas Club.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Supertaça Europeia
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

6 de fevereiro de 2022

Aníbal

Aníbal Fernando Parada Rodrigues Martins nasceu no dia 18 de Agosto de 1949 na freguesia do Bonfim, cidade do Porto.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do Futebol Clube do Porto, Aníbal ascendeu à categoria de sénior no final da década de sessenta e desde logo passou a integrar o plantel profissional dos Dragões na época de 1968/69.
A sua estreia na equipa principal portista aconteceu no dia 7 de Setembro de 1969, no Estádio do Restelo, onde os Dragões empataram a uma bola com o C.F. Belenenses, numa partida que contou para a jornada inaugural do Campeonato Nacional de 1969/70.
Aníbal começou a temporada como guarda-redes titular do F.C. Porto, devido a uma lesão do então guardião Rui. O jovem guarda-redes deu o seu contributo em nove partidas oficiais, sei a contar para o Campeonato Nacional e duas na Taça das Cidades com Feira (a competição que antecedeu a Taça UEFA). Nessas nove partidas, Aníbal sofreu dez golos e contribuiu para os portistas vencerem quatro jogos, dois no Campeonato Nacional e os outros dois em ambas as partidas da 1ª eliminatória da Taça das Cidades com Feira, em que o F.C. Porto levou de vencida os dinamarqueses do Hvidrove I.F..
No final da temporada de 1969/70, Aníbal deixou o F.C. Porto.
Depois de deixar os Dragões, Aníbal passou pela Académica de Coimbra, F.C. Penafiel, S.C. Espinho, F.C. Paços de Ferreira, G.D. Riopele, A.D. Sanjoanense e U.D. Valonguense, onde terminou a sua carreira de futebolista na época de 1984/85.

30 de janeiro de 2022

Jesus Corona

Jesús Manuel Corona Ruíz nasceu no dia 6 de Janeiro de 1993 em Hermosillo, México.
Depois de ter completado toda a sua formação futebolística no C.F. Monterrey, Jesús Corona estreou-se, em 2010, como sénior nos “Los Rayados”, no ano em que ajudou a conquistar o título de campeão da Liga Apertura Mexicana. Seguiu-se a vitória na Liga dos Campeões CONCACAF nas épocas de 2010/11, 2011/12 e 2012/13. Em 2013, deixou o C.F. Monterrey e rumou à Holanda para ingressar no F.C. Twente, onde jogou durante duas temporadas e onde começou a mostrar todas as suas qualidades.
No final do mês de Agosto de 2015, Jesús Corona foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no Estádio Municipal de Arouca, onde os portistas venceram por 3-1 o F.C. Arouca, num jogo que contou para a 4ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16. Jesús Corona foi titular e marcou os dois primeiros golos dos azuis e brancos, aos 15 e 61 minutos de jogo.
Corona esteve ao serviço do F.C. Porto durante seis épocas e meia. Tornou-se, desde a sua chegada, um dos jogadores mais importantes do plantel portista e um dos melhores jogadores estrangeiros a actuar em Portugal. Com uma qualidade técnica bem acima da média, Jesús Corona não só marcou golos importantes, como fez muitas assistências para golo que resultaram em vitórias.
Com a camisola dos Dragões, Jesús Corona disputou 287 jogos oficiais. Marcou 31 golos e realizou 59 assistências. Sagrou-se Campeão Nacional por duas vezes, em 2017/18 e 2019/20. Venceu uma Taça de Portugal, em 2019/20, e conquistou duas Supertaças Cândido de Oliveira, em 2018 e 2020. Foi eleito o melhor jogador do Campeonato Nacional de 2018/19.
Em Janeiro de 2022, deixou o F.C. Porto e foi contratado pelo Sevilha F.C., ainda assim sagrou-se Campeão Nacional pelo F.C. Porto.
Jesús Corona é internacional pelo México e já vestiu por várias vezes a camisola da seleção mexicana. Esteve presente na Copa América de 2015 e de 2016, na CONCACAF Cup de 2015, na GOLD Cup de 2015 e de 2021, e no Campeonato do Mundo de Futebol de 2018.

Palmarés
1 CONCACAF Cup (Seleções)
1 Gold Cup (Seleções)
3 Ligas dos Campeões CONCACAF
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato Apertura do México
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

23 de janeiro de 2022

Dinis

Joaquim António Dinis nasceu no dia 1 de Dezembro de 1947 em Luanda, Angola.
Depois de ter jogado futebol no A.S. Aviação de Luanda, Dinis chegou a Portugal em 1969, com 21 anos de idade, para ingressar no Sporting C.P.. No emblema leonino, Dinis jogou durante seis temporadas, tendo conquistado dois Campeonatos Nacionais e três Taças de Portugal.
No início da época de 1975/76, Dinis foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Setembro de 1975, no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o União de Tomar por 6-1, num jogo que valeu para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1975/76.
Dinis, que jogava a extremo-esquerdo, era um jogador rápido e com uma técnica apurada, no entanto foi preciso aguardar meia ano até apontar o seu primeiro golo de Dragão ao peito, que aconteceu na partida da 17ª jornada do Campeonato Nacional, na vitória do F.C. Porto sobre a Académica de Coimbra por 6-1. Dinis marcou o segundo golo dos azuis e brancos quando estavam decorridos 61 minutos de jogo.
Nessa temporada de 1975/76, Dinis foi o quarto jogador portista mais utilizado, com 35 partidas oficiais disputadas, repartidas pelo Campeonato Nacional (35), Taça de Portugal (3) e Taça UEFA (5). Marcou 3 golos, 2 no Campeonato Nacional e 1 na Taça de Portugal.
Em 1976/77, disputou apenas o primeiro jogo do Campeonato Nacional, tendo depois regressado ao seu país.
No ano seguinte, voltou a Portugal para tirar o curso de treinador e ainda jogar mais duas épocas no U.D. Leiria. Em 1980, retornou a Angola para acumular as funções de jogador e treinador do A.S. Aviação, tendo levado o clube de Luanda à conquista do título de campeão angolano. Passou ainda pelo Sporting de Luanda e pelo Progresso de Sambizanga, onde ganhou uma Taça de Angola. Foi ainda treinador dos sub-17 da Seleção de Angola e mais tarde fez parte da equipa técnica que esteve presente no Campeonato do Mundo de Futebol de 2006.
Dinis foi internacional por Portugal, tendo vestido por 14 vezes a camisola das Quinas e apontado 5 golos.

Palmarés como jogador
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Angola
3 Taças de Portugal

Palmarés como treinador
1 Campeonato de Angola
1 Taça de Angola

16 de janeiro de 2022

Stéphane Paille

Stéphane Christophe Paille, nasceu no dia 27 de Junho de 1965 em Scionzier, França.
Com oito anos de idade começou a jogar futebol no U.S. Manaz, um pequeno clube da sua terra natal. Em 1979, mudou de ares e viajou para o norte de França, para jogar no C.S. Thonon. Dois anos depois, voltou a trocar de clube e ingressou no F.C. Sochaux, onde finalizou a sua formação de futebolista e ascendeu à categoria de sénior, integrando o plantel principal do clube de Montbéliard na temporada de 1981/82. Stéphane Paille defendeu as cores do F.C. Sochaux durante oito épocas e nesse período conquistou, em 1982/83, a Taça Gambardella (Uma competição de futebol realizada anualmente em França, desde 1954/55, no principal campeonato de juniores e que é disputada apenas por jogadores com idade de até 19 anos), e o Campeonato da 2ª Liga em 1987/88. Em Julho de 1989 transferiu-se para o Montpellier S.C. onde formou a dupla atacante com o seu compatriota Éric Cantona, no entanto a estadia em Montpellier durou pouco e em Dezembro desse mesmo ano rumou a Bordeaux, tendo defendido as cores do F.C. Girondins de Bordeaux até Maio do ano seguinte.
No início da temporada de 1990/91, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Agosto de 1990, no Estádio José Gomes, onde os portistas defrontaram o C.F. Estrela da Amadora, no jogo da 1ª mão da Supertaça Cândido de Oliveira, em que o clube da Reboleira venceu por 2-1.
Sete dias depois, na partida da 2ª mão disputada no Estádio das Antas, Stéphane Paille marcou o seu primeiro golo de Dragão ao peito, aos 8 minutos de jogo, e abriu o caminho para a vitória do F.C. Porto sobre o C.F. Estrela da Amadora por 3-0 e assim o avançado gaulês conquistou o seu primeiro título em solo português.
Um mês mais tarde, Paille bisou pela primeira vez na vitória dos portistas por 5-0 sobre o Portadown F.C., no jogo da 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Quinze dias depois, na Irlanda do Norte, o F.C. Porto venceu por 8-1 e Paille voltou a bisar.
Nos jogos que se seguiram, Paille marcou quatro golos no Campeonato Nacional, na vitória do F.C. Porto sobre o F.C. Penafiel, F.C. Famalicão, S.C. Marítimo e V. Guimarães e apontou o único golo do jogo dos dezasseis avos de final da Taça de Portugal no Complexo Desportivo Monte da Forca, onde os portistas defrontaram o S.C. Vila Real. O F.C. O Porto viria a vencer a Taça de Portugal e assim Paille conquistava o seu segundo título de Dragão ao peito.
Stéphane Paille, que se tornou o primeiro futebolista francês a marcar golo na história dos azuis e brancos, esteve apenas uma época ao serviço dos Dragões. Disputou 26 jogos oficiais, marcou 10 golos e conquistou 2 títulos.
Em 1991/92, Paille regressou a França para jogar no S.M. Caen. Em 1993/94, voltou ao F.C. Girondins de Bordeaux. Na época seguinte passou pelo O. Lyon e pelos suíços do Servette F.C.. Voltou a França em 1995 para representar o F.C. Mulhouse da 2ª Divisão. Em 1996/97, viajou para a Escócia onde vestiu a camisola do Hearts F.C., tendo colocado um ponto final na sua carreira de futebolista no fim dessa temporada.
Em 1999, regressou ao F.C. Sochaux para assumir o cargo de treinador da equipa B. Passou depois pelo Besançon R.C., R.C. Paris, Angers S.C.O., A.S. Cannes, Evian T.G.. Em 2011 foi contactado por Zinedine Zidane, seu antigo companheiro de equipa no F.C. Girondins de Bordeaux, para integrar o departamento de Scouting dos espanhóis do Real Madrid C.F.. Em 2013, regressou a França para assumir o comando técnico do A.S. Minguettes Vénissieux. Em 2014/15, rumou à Argélia para treinar o J.S.M. Béjaïa.
Stéphane Paille faleceu no dia 27 de Junho de 2017, precisamente no dia em que completava 52 anos de idade, vítima de cancro.

Palmarés
1 Campeonato Francês 2ª Divisão
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça Gambardella

9 de janeiro de 2022

Fernando Rocha

Fernando Barbosa de Sousa Rocha nasceu no dia 24 de Abril de 1942 em Vila Nova de Gaia.
Fernando, que jogava como defesa, ingressou no Futebol Clube do Porto na temporada de 1967/68.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 10 de Setembro de 1967 no Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde os portistas visitaram e venceram o C.F. Belenenses por 2-0, numa partida que contou para a jornada inaugural do Campeonato Nacional de 1967/68.
Fernando esteve apenas uma época ao serviço do F.C. Porto, tendo disputado três jogos a contar para o Campeonato Nacional e as duas partidas dos oitavos de final da Taça de Portugal contra o S.C. Covilhã, jogos que os Dragões venceram por 5-0 e 4-0 respectivamente. Ao alinhar nesses dois jogos, Fernando deu o seu contributo para o F.C. Porto conquistar a Taça de Portugal em Junho no Estádio do Jamor, ao derrotar o V. Setúbal por 2-1.
No final dessa temporada Fernando deixou os Dragões.

Palmarés
1 Taça de Portugal

2 de janeiro de 2022

Hugo Almeida

Hugo Miguel Pereira Almeida, nasceu no dia 23 de Maio de 1984 na Figueira da Foz.
Foi no G.D. Buarcos que Hugo Almeida começou a jogar futebol aos 9 anos de idade. Três anos depois, mudou de ares e foi jogar para a Associação Naval 1º Maio.
Em 2001, quando tinha 17 anos e ainda era júnior, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Nos Dragões continuou a sua formação futebolística. Passou pelos sub-17, sub-19 e ainda pela equipa B.
No dia 24 de Novembro de 2002, Hugo Almeida estreou-se na equipa principal dos Dragões, no jogo da 4ª eliminatória da Taça de Portugal disputado no Estádio das Antas contra o C.D. Trofense, jogo que os azuis e brancos venceram por 2-0. Hugo Almeida foi a jogo aos 60 minutos, substituindo César Peixoto.
Em Janeiro de 2003, foi cedido por empréstimo ao U.D. Leiria e ajudou o clube da cidade do Lis a chegar à final da Taça de Portugal, onde encontrou o F.C. Porto que venceu por 1-0. Hugo Almeida não jogou essa final, mas acabou por também conquistar o troféu, graças aos 30 minutos que jogou na partida em que se estreou com a camisola dos Dragões.
Na época de 2003/04, regressou ao F.C. Porto. Disputou três jogos no Campeonato Nacional, dois na Taça de Portugal e outros dois na Liga dos Campeões. Apesar de ter sido de novo emprestado ao U.D. Leiria, a meio da temporada, sagrou-se Campeão Nacional e venceu a Liga dos Campeões. Ainda durante essa época, em Novembro, no dia 16, Hugo Almeida esteve presente na inauguração do Estádio do Dragão. Aos 63 minutos, entrou para o lugar de Ricardo Fernandes e cinco minutos depois marcou o segundo golo do jogo em que os portistas derrotaram o F.C. Barcelona por 2-0. Hugo Almeida entrou assim na história dos Dragões.
Na temporada seguinte, voltou a fazer parte do plantel portista, mas disputou apenas cinco partidas oficiais (três no Campeonato Nacional e duas na Liga dos Campeões). Em Janeiro de 2005, foi de novo emprestado, mas desta vez ao Boavista F.C.
Em 2005/06, regressou ao F.C. Porto e pela primeira vez integrou o plantel portistas durante toda a temporada. Com Co Adriaanse como treinador, Hugo Almeida disputou 38 jogos oficiais e apontou 5 golos, alguns decisivos e que valeram mesmo vitórias, como foi o caso dos triunfos sobre o Naval 1º Maio por 3-2, o C.D. Nacional por 1-0 e a Académica de Coimbra, também por 1-0. na final da época, Hugo Almeida sagrou-se Campeão Nacional e conquistou a Taça de Portugal.
Em 2006/07, rumou à Alemanha para ingressar, por empréstimo, no Werder Bremen, tendo sido contratado em definitivo pelos alemães, no final dessa temporada. No clube de Bremen, Hugo Almeida jogou até Dezembro de 2010 e conquistou uma Taça da Alemanha, uma Taça da Liga Alemã e uma Supertaça Alemã. Em Janeiro de 2011, transferiu-se para os turcos do Besiktas J.K. onde se manteve durante três anos e conquistou uma Taça da Turquia. Depois passou pelos italianos do A.C. Cesena, pelos russos do F.K. Krasnodar e também pelo F.K. Anzhi. Em 2015 voltou à Alemanha onde teve uma breve passagem pelo Hannover 96, seguiu-se os gregos do A.E.K. de Atenas, onde venceu o campeonato grego, e os croatas do H.N.K Hajduk Split.
Em 2018, regressou a Portugal e no início da temporada de 2018/19 foi contratado pela Académica de Coimbra. No final dessa época colocou um ponto final na sua carreira de futebolista e iniciou uma nova etapa da sua vida, ao assumir o cargo de treinador-adjunto dos sub-23 da briosa.
Em 2020, passou também a jogar futebol de praia no A.D. Buarcos 2017, onde é atualmente o presidente do clube da Figueira da Foz.
Hugo Almeida vestiu também a camisola da Seleção Nacional por 57 vezes, tendo marcado 19 golos. Esteve presente no Campeonato da Europa de 2008 e no de 2012 e também no Campeonato do Mundo de 2010 e no de 2014.

Palmarés
1 Liga dos Campeões
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Grécia
2 Taças de Portugal
1 Taça da Alemanha
1 Taça da Turquia
1 Taça da Liga Alemã
1 Supertaça da Alemanha

12 de dezembro de 2021

Dicão

Osvaldo Iembo, mais conhecido por Dicão, nasceu no dia 17 de Fevereiro de 1932 em São Paulo, Brasil.
Foi no Rio Preto E.C. que começou a sua carreira de futebolista profissional. Passou depois pelo C.E. América e pelo Botafogo F.C. de Ribeirão Preto, onde se sagrou Campeão Paulista da Segunda Divisão de 1956, sendo o autor do golo da vitória no torneio final. Posteriormente ingressou no S.E. Palmeiras, onde ajudou a conquistar o título de Campeão Paulista de 1959.
Em Agosto de 1960, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A primeira vez que Dicão vestiu a camisola azul e branca foi no dia 18 de Setembro de 1960, no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o Leixões S.C. por 1-0, no jogo da 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1960/61.
Dicão, que jogava como lateral-esquerdo, foi sempre titular nos oito primeiros jogos da temporada, todos a contar para o Campeonato Nacional. Em Março de 1961, sofreu uma lesão no joelho direito e voltou ao Brasil para recuperar. Após um curto tempo de inatividade, começou a treinar no C.E. América e chegou a disputar alguns jogos amigáveis, mas no final dessa temporada, de 1960/61, decidiu colocar um ponto final na sua carreira de futebolista.
Dicão esteve apenas uma época ao serviço do F.C. Porto. Disputou 14 jogos oficiais (13 no Campeonato Nacional, 1 na Taça de Portugal).
Pouco tempo depois, Dicão abraçou a carreira de treinador e assumiu as suas novas funções no Rio Preto E.C.. Em 1963, levou o C.E. América à conquista do campeonato da Segunda Divisão. Passou depois por diversos clubes até se retirar em definitivo do futebol em 1987, indo viver para Fernandópolis para se dedicar à família.
Dicão faleceu no dia 11 de Junho de 2018.

Palmarés
1 Campeonato Paulista
1 Campeonato Paulista A2

5 de dezembro de 2021

Fredrik Söderström

Sven Olof Fredrik Söderström nasceu no dia 30 de Janeiro de 1973 em Ludvika, Suécia.
Aos catorze anos de idade começou a jogar futebol no Östansbo, um pequeno clube da sua terra natal. Três anos mais tarde muda de cidade e também de emblema, passando a jogar no I.K. Brage e foi no clube sediado em Borlänge que passou a sénior em 1991, tendo representado o clube da cidade de Borlänge durante seis anos.
No início do ano de 1997, Fredrik Söderström chegou a Portugal para representar o V. Guimarães. Depois de ter alinhado em apenas seis partidas na segunda parte da época de 1996/97, Fredrik agarrou a titularidade da equipa da cidade berço e tornou-se um jogador de extrema importância sendo um dos mais utilizados nas quatro temporadas que passou em Guimarães. Com a camisola do Vitória minhoto, Söderström realizou boas exibições e despertou o interesse dos maiores clubes nacionais.
No início da época de 2001/02 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 25 de Julho de 2001 no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o Barry Town United F.C. por 8-0, numa partida que contou para a 1ª mão da 2ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões de 2001/02. Uma estreia em grande com a marcação do 4º golo da partida aos 41 minutos.
No jogo seguinte, Fredrik, voltou a ser titular e conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira depois do F.C. Porto ter vencido o Boavista F.C. por 1-0 no Estádio dos Arcos.
Nessa época, Fredrik Söderström disputou 40 jogos, 31 como titular e 9 saindo do banco de suplentes. 24 Foram para o Campeonato Nacional, 12 na Liga dos Campeões, 3 na Taça de Portugal e 1 na Supertaça Cândido de Oliveira. Para alem do golo que apontou no jogo inaugural, Fredrik marcou por mais uma vez e abriu o marcador na vitória por 3-0 do F.C. Porto contra o C.F. Estrela da Amadora, na partida da 4ª eliminatória da Taça de Portugal.
Fredrik Söderström esteve ao serviço do F.C. Porto apenas na temporada de 2001/02. Disputou 40 jogos oficiais, marcou 2 golos e conquistou 1 título.
Em 2002/03 foi emprestado ao Royal Standard de Liége. Na época seguinte voltou a Portugal para jogar no S.C. Braga, também por empréstimo. Em 2004/05, voltou a ser emprestado e representou o C.F. Estrela da Amadora.
Em Fevereiro de 2005 desvinculou-se do F.C. Porto e foi contratado pelos espanhóis do Córdoba C.F.. Já em 2007 transferiu-se para o U.D. Lanzarote.
Em 2008, regressou à Suécia para jogar no Hammarby I.F., clube onde terminou a sua carreira de futebolista no ano de 2010.
Fredrik Söderström foi internacional pela Suécia por 5 vezes.

Palmarés
1 Supertaça Cândido do Oliveira

28 de novembro de 2021

Marega

Moussa Marega nasceu no dia 14 de Abril de 1991 em Les Ulis, França.
Foi no Évry F.C. que Marega, de origem francesa mas naturalizado malinês, deu início à sua carreira de futebolista profissional na época de 2011/12. Na temporada seguinte mudou de ares e ingressou no Le Poiré-sur-Vie. Em 2013/14, transferiu-se para o Amiens Sporting C.F.. Na última metade do ano de 2014, foi contratado pelos tunisianos do Espérance Sportive de Tunis. Em Janeiro de 2015, chegou a Portugal para representar o C.S. Marítimo. No clube madeirense, Marega confirmou todas as suas potencialidades e tornou-se num dos jogadores mais importantes dos maritimistas, tendo disputado 34 jogos e marcado 15 golos no espaço de um ano. Sendo um avançado rápido e possante, Marega depressa despertou o interesse de vários clubes de maior nomeada.
Em Janeiro de 2016, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 3 de Fevereiro de 2016 no Estádio Cidade de Barcelos, onde os portistas venceram o Gil Vicente F.C. por 3-0, numa partida que valeu para a 1ª mão da meia-final da Taça de Portugal de 2015/16.
O primeiro golo que marcou de Dragão ao peito foi precisamente no jogo da 2º mão da meia-final da Taça de Portugal, quando o F.C. Porto recebeu e venceu o Gil Vicente F.C. por 2-0, no Estádio do Dragão. Aos 80 minutos, o maliano apontou o segundo e último golo da partida.
Em 2016/17, Marega foi emprestado ao V. Guimarães. Nessa temporada apontou 14 golos em 31 jogos.
Na época seguinte, regressou ao F.C. Porto e manteve o nível que tinha demonstrado em Guimarães. Nas 41 partidas oficiais que disputou nessa temporada, marcou 23 golos e foi um dos jogadores mais importantes para a conquista do título de Campeão Nacional.
Em 2018/19, a época começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira após a vitória sobre o C.D. Aves por 3-1. Ainda nessa temporada, Marega marcou 6 golos em 6 jogos consecutivos na Liga dos Campeões e tornou-se no primeiro jogador do F.C. Porto a conseguir esse feito.
Na época de 2019/20, Marega contribuiu com golos importantes que ajudaram o F.C. Porto a ganhar o título de Campeão Nacional e ainda a Taça de Portugal.
Em 2020/21, Marega venceu pela segunda vez a Supertaça Cândido de Oliveira ao derrotar o S.L. Benfica por 2-0, no Estádio Municipal de Aveiro. No final dessa temporada, decidiu deixar os Dragões.
Marega esteve quatro épocas e meia ao serviço do F.C. Porto. Disputou 191 jogos oficiais, marcou 72 golos e conquistou cinco títulos.
Em 2021/22, rumou à Arábia Saudita para vestir a camisola do Al Hilal Saudi F.C., tendo conquistado a Liga dos Campeões Asiática e a Supertaça da Arábia Saudita nessa temporada.
Marega vestiu a camisola da Seleção do Mali por diversas vezes, tendo marcado presença no Campeonato das Nações Africanas em 2017 e em 2019.

Palmarés
1 Liga dos Campeões Ásia
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Supertaça da Arábia Saudita

21 de novembro de 2021

Williams Chambers

Williams Chambers foi um dos primeiros futebolistas do Futebol Clube do Porto.
Dias depois de ter sido fundado por António Nicolau de Almeida, no dia 23 de Setembro de 1893, o F.C. Porto realizou uma partida de futebol entre os seus atletas, no dia 8 de Outubro desse mesmo ano. Nesse primeiro jogo de futebol do F.C. Porto marcou presença o britânico Williams Chambers, que também alinhou, no mesmo dia, numa partida entre o F.C. Porto e uma seleção de futebolista vinda de Aveiro e que era liderada por Mário Duarte, um conceituado atleta aveirense.
Williams Chambers, que tal como outros britânicos, disputou algumas das histórias e primeiras partidas de Futebol dos Dragões.
No dia 2 de Março de 1894, Chambers alinhou na equipa portistas que defrontou o Football Club Lisbonense, no Campo do The Oporto Cricket Club and Lawn Tennis, no Campo Alegre, conhecido como Campo dos Ingleses e que teve a presença nas bancadas do Rei Dom Carlos, a Rainha Dona Amélia, o Príncipe Real Luís Filipe e o Infante Dom Manuel.
Williams Chambers ainda fez parte dos quadros do F.C. Porto quando o clube foi refundado por José Monteiro da Costa em Agosto de 1906.

14 de novembro de 2021

Marco Aurélio

Marco Aurélio Berg nasceu no dia 20 de Janeiro e 1950 em Porto Alegre, Brasil.
Depois de ter começado a jogar futebol no Brasil, em clubes de menor dimensão, chegou a Portugal em 1971 para representar o Tramagal S.U. que militava na 2ª divisão-zona sul. Esteve ao serviço do clube de Abrantes durante duas temporadas, tendo com as suas boas exibições despertado a cobiça dos melhores clubes nacionais.
No início da época de 1973/74 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A primeira vez que vestiu a camisola dos Dragões foi na jornada inaugural do Campeonato Nacional de 1973/74, no dia 9 de Setembro de 1973 no Estádio do Restelo, onde os portistas visitaram e perderam por 1-0 com o C.F. Belenenses. O único golo do jogo foi marcado por Alfredo Quaresma, tio-avô de Ricardo Quaresma.
Na partida da 3ª jornada desse mesmo campeonato, Marco Aurélio apontou o seu primeiro golo de Dragão ao peito. Foi no Estádio de São Luís, em Faro, onde o F.C. Porto e o S.C. Farense empataram a duas bolas e o médio portista marcou o segundo golo dos azuis e brancos aos 40 minutos.
Nessa época de 1973/74, Marco Aurélio disputou 22 jogos (21 para o Campeonato Nacional e 1 para a Taça de Portugal) e marcou 11 golos, (todos a contar para o Campeonato Nacional), sendo o segundo melhor marcador dos Dragões.
Na temporada seguinte o seu nível exibicional não foi o mesmo, tendo sido utilizado por 11 vezes (9 no Campeonato Nacional, 1 na Taça de Portugal e 1 na Taça UEFA), e apenas marcou 1 golo.
Em 1975/76 transferiu-se para o Varzim S.C.. No clube da Póvoa de Varzim permaneceu durante três épocas, tendo apontado 9 golos em 64 jogos oficiais disputados e sagrou-se Campeão Nacional da 2ª Divisão na época de 1975/76.
Na temporada de 1978/79 regressou ao F.C. Porto e no final dessa época sagrou-se Campeão Nacional. Para esse título conquistado, Marco Aurélio contribuiu com três golos, nos 14 jogos que disputou nessa prova, ainda jogou por mais duas vezes na Taça de Portugal.
Ainda nessa temporada, em Janeiro de 1979, sofreu uma grave lesão (fractura da tíbia e do perónio) numa falta violenta do benfiquista Toni, no jogo da 17ª jornada contra o S.L. Benfica no Estádio da Luz, que terminou empatado 1-1. Esse lance praticamente terminou com a carreira de Marco Aurélio que só voltou aos relvados mais de um ano mais tarde, quando em Março de 1980 os Dragões visitaram a Madeira e derrotaram o C.S. Marítimo por 1-0 e Marco Aurélio substituiu Frasco aos 87 minutos de jogo. Essa foi aliás a última vez que vestiu a camisola azul e branca.
Marco Aurélio esteve ao serviço do F.C. Porto durante 4 temporadas. Disputou 50 jogos oficiais. Marcou 15 golos e conquistou 1 título.
Em 1980/81 transferiu-se para o V. Setúbal. Na época seguinte representou o Juventude S.C. de Évora. Em 1982/83 vestiu a camisola do C.D. Nacional da Madeira. Na temporada que se seguiu transferiu-se para o Vilanovense F.C. e em 1984/85 rumou ao F.C. Barreirense onde colocou um ponto final na sua carreira de futebolista no final dessa época.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato Nacional 2ª Divisão (Portugal)

7 de novembro de 2021

Liedson

Liedson Milito Ferreira da Silva Muniz Chagas, nasceu no dia 17 de Dezembro de 1977 em Cairú, um município do estado da Bahia, Brasil.
Filho de um pescador e de uma dona de casa, Liedson desde tenra idade que começou a trabalhar num supermercado para ajudar as finanças familiares e aos fins de semana jogava futebol numa pequena equipa amadora, o Liga Valenciana de Futebol. Depois de também ter trabalhado como ajudante de pintor, mecânico, carpinteiro, pedreiro, porteiro num hospital e mensageiro de hotel, começou a jogar no E.C. Poções, com 21 anos. Em 2001, mudou-se para o Prudentópolis E.C.. Depois de uma breve passagem pelo E.C. Internacional, de Santa Maria, rumou ao Coritiba F.C. onde foi o melhor marcador da Copa Sul-Minas com 14 golos em 2002. Ainda nesse ano foi jogar para o C.R. Flamengo e em 2003, mudou novamente de ares e passou a vestir a camisola do S.C. Corinthians, tendo vencido o Campeonato Paulista. Em Agosto de 2003, Liedson deixou o Brasil e viajou para Portugal para jogar no Sporting C.P.. Apesar de ter estado sete anos e meio no clube de Alvalade, sendo um dos melhores avançados a jogar em Portugal, apenas venceu duas Taças de Portugal e também duas Supertaças Cândido de Oliveira. Em Fevereiro de 2011, deixou o Sporting C.P. e regressou ao S.C. Corinthians, tendo ajudado o clube paulista a vencer o Campeonato Brasileiro de 2011 e a Copa Libertadores da América em Julho de 2012. Em Agosto de 2012, voltou ao C.R. Flamengo, onde jogou durante quatro meses.
Em Fevereiro de 2012, regressou a Portugal para jogar, por empréstimo, no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 2 de Fevereiro de 2013, no Estádio Dom Afonso Henriques, onde os portistas venceram o V. Guimarães por 4-0, numa partida que contou para a 17ª jornada do Campeonato Nacional. Liedson iniciou o jogo como suplente mas aos 76 minutos substituiu João Moutinho.
Liedson participou ainda em mais seis partidas (5 no Campeonato Nacional e 1 na Taça de Portugal), sempre como suplente utilizado. Apesar de não ter marcado nenhum golo, fez a assistência para o seu compatriota Kelvin marcar o golo ao S.L. Benfica, aos 92 minutos e que teve importância vital para o F.C. Porto passar para a frente do Campeonato Nacional na penúltima jornada. No dia 19 de Maio de 2013, em Paços de Ferreira, o F.C. Porto conquistou o Campeonato Nacional e assim Liedson sagrou-se Campeão Nacional em apenas quatro meses, naquele que foi o seu último jogo como futebolista.
Ao serviço do F.C. Porto, Liedson disputou 7 jogos e conquistou 1 título.
Liedson foi internacional por Portugal, após ter obtido a cidadania portuguesa em Agosto de 2009. Disputou 15 jogos e marcou 4 golos, tendo marcado presença no Campeonato do Mundo de 2010.

Palmarés
1 Copa Libertadores da América
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Brasil
1 Campeonato Paulista
2 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

31 de outubro de 2021

Ferreira da Silva

Ferreira da Silva foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de trinta.
Estreou-se com a camisola dos Dragões no dia 20 de Outubro de 1935, no Campo do Leça, onde os portistas visitaram e empataram a três golos com o Leça F.C., numa partida que contou para a 2ª jornada do Campeonato Regional do Porto.
No jogo da quarta jornada desse mesmo campeonato, contra o S.C. Salgueiros, Ferreira da Silva estreou-se a marcar e bisou na vitória do F.C. Porto por 5-0 no Estádio do Lima.
O empate com o Leça F.C. foi o único jogo, entre os dez, que os portistas não venceram nesse campeonato, mas não impediu que conquistassem o título de Campeões Regionais do Porto, com Ferreira da Silva a dar um importante contributo.
Ferreira da Silva esteve ao serviço do F.C. Porto apenas na temporada de 1935/36. Disputou 4 jogos oficiais, marcou 2 golos e conquistou 1 título.

Palmarés
1 Campeonato do Porto

24 de outubro de 2021

Dito

Eduardo José Gomes Camassele Mendez, mais conhecido por Dito, nasceu no dia 18 de Janeiro de 1962 em Barcelos.
Depois de ter começado a jogar futebol num pequeno clube da sua terra, o F.C. Alheira, Dito continuou a sua formação no Gil Vicente F.C., passando depois para o S.C. Braga, onde ascendeu à categoria de sénior na temporada de 1979/80. No emblema minhoto, Dito jogou durante sete temporadas e começou a mostrar todo o seu talento e categoria. No verão de 1986, transferiu-se para o S.L. Benfica, onde permaneceu duas épocas e onde conquistou o título de Campeão Nacional e venceu a Taça de Portugal, ambos na temporada de 1986/87.
No início da época de 1988/89, Dito foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A primeira vez que vestiu a camisola dos Dragões aconteceu no dia 2 de Setembro de 1988, no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o S.C. Espinho por 2-1, numa partida que valeu para a jornada inaugural do campeonato nacional.
Dito apenas representou o F.C. Porto durante essa temporada de 1988/89. Mostrou sempre um enorme talento, forte nas bolas altas e uma boa cultura técnica, o que agradou aos dois treinadores, Quinito e Artur Jorge, que conheceu enquanto esteve ao serviço do F.C. Porto. Com a camisola azul e branca, Dito disputou 19 jogos oficiais (18 como titular e 1 como suplente utilizado). Nas 19 partidas que jogou, em 15 completou a totalidade do jogo.
Em 1989/90, Dito ingressou no V. Setúbal, onde jogou durante duas épocas. Em 1992/93, vestiu a camisola do S.C. Espinho. Na temporada de 1993/94, regressou ao seu primeiro clube, o Gil Vicente F.C.. Seguiu-se o S.C. União Torreense, em 1994/95 e o A.D. Ovarense em 1995/96, clube onde terminou a carreira de jogador nessa época.
Dito ainda vestiu a camisola da Seleção de Portugal por 17 vezes e marcou 1 golo.
Pouco tempo depois, Dito, abraçou a carreira de treinador. Começou no A.D. Esposende, depois passou pelo S.C. Salgueiros, F.C. Felgueiras, G.D. Chaves, Portimonense S.C., G.D. Ribeirão, Moreirense F.C.. Treinou os juniores do S.C. Braga entre 2008 e 2010, depois o Varzim S.C., F.C. Famalicão e o S.C. Covilhã.
Em 2019, Dito voltou ao Gil Vicente F.C. para assumir a função de Diretor Geral de Futebol.
No dia 3 de Setembro de 2020, Dito faleceu vítima de ataque cardíaco.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal

17 de outubro de 2021

Hernâni Fortes

Hernâni Jorge Santos Fortes, nasceu no dia 20 de Agosto de 1991 em Lisboa.
Foi no C.D. Cova da Piedade que, aos 11 anos de idade, Hernâni começou a jogar futebol. Depois de ter passado sete anos no clube de Almada, mudou-se para o Atlético C.P. em 2009, onde terminou a sua formação futebolística e ascendeu à categoria de sénior, integrando o plantel principal do emblema de Alcântara na temporada de 2010/11. Na época seguinte, jogou no S.C. Mirandela por empréstimo, tendo regressado ao Atlético C.P. na temporada seguinte. Em 2012/13, transferiu-se para o V. Guimarães. Começou por alternar entre a equipa B e a equipa principal dos vimaranenses nas duas primeiras temporadas, até se impor na primeira formação dos vitorianos na temporada de 2014/15, onde efectuou excelentes exibições e despertou a cobiça dos principais clubes nacionais.
Em Janeiro de 2015, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 13 de Fevereiro de 2015, no Estádio do Dragão, precisamente contra o V. Guimarães, numa partida que contou para a 21ª jornada do campeonato nacional de 2014/15. Os portistas venceram por 1-0 e Hernâni, que começou o jogo como suplente, entrou aos 87 minutos a substituir Quaresma.
Dois meses depois, no jogo da 28ª jornada do campeonato nacional, contra o Rio Ave F.C., no Estádio dos Arcos, Hernâni marcou o seu primeiro golo de Dragão ao peito na vitória dos portistas por 3-1. O avançado azul e branco apontou o terceiro golo do F.C. Porto aos 83 minutos.
Ainda nesse mês de Abril, estreou-se a jogar nas competições europeias quando os Dragões receberam e venceram, no Estádio do Dragão, o F.C. Bayern Munique por 3-1, na partida da 1ª mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões de 2014/15.
Apenas três dias depois, Hernâni foi a principal figura do jogo entre o F.C. Porto e a Académica de Coimbra. Pela primeira vez, desde que chegou ao Dragão, jogou os 90 minutos e foi o autor do único golo da partida, aos 12 minutos, dando assim a vitória e os três pontos aos azuis e brancos na partida da 29ª jornada do campeonato nacional.
Na temporada seguinte esteve emprestado aos gregos do Olympiacos, tendo conquistado o título de Campeão da Grécia. Na época de 2016/17, regressou a Portugal e ao V. Guimarães, onde jogou durante essa temporada por empréstimo, tendo sido um dos melhores jogadores do plantel vimaranense. Em 35 jogos marcou 12 golos e fez 4 assistências.
Em 2017/18, voltou a integrar o plantel do F.C. Porto. Em 19 jogos oficiais disputados, marcou 1 golo e teve uma assistência. No final da temporada sagrou-se Campeão Nacional.
Hernâni começou a época de 2018/19 a conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira. Numa temporada em que efectuou 23 jogos e marcou 4 golos, todos eles importantes e que valeram três vitórias (Boavista F.C. e Moreirense F.C. para o campeonato nacional e Leixões S.C. para a Taça de Portugal), e um empate 1-1 contra o G.D. Chaves, para a Taça da Liga. No final dessa época decidiu deixar os Dragões.
Hernâni esteve ao serviço do F.C. Porto durante três temporadas. Disputou 52 jogos oficiais, marcou 7 golos e conquistou 2 títulos.
Em 2019/20 rumou a Espanha para jogar no Levante U.D.. Na temporada de 2020/21, foi emprestado aos árabes do Al Wehda Club. Em 2021/22, regressou ao clube valenciano, mas em Outubro de 2021 rescindiu o contrato com o Levante U.D. e em Dezembro foi contratado pelo U.D. Las Palmas.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Grécia
1 Supertaça Cândido de Oliveira

10 de outubro de 2021

Joaquim Costa

Joaquim José Alves da Costa nasceu no dia 26 de Junho de 1926 em Paredes.
Começou a jogar futebol nos juniores do clube da sua terra natal, o U.S.C. Paredes.
Na temporada de 1951/52, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 25 de Novembro de 1951 no Estádio do Lima onde os portistas receberam e venceram a Académica de Coimbra por 3-0, numa partida que contou para a 10ª jornada do Campeonato Nacional.
Joaquim Costa esteve ao serviço do F.C. Porto durante três temporadas consecutivas, tendo disputado 13 partidas oficiais.
No período em que vestiu a camisola azul e branca, Joaquim Costa viveu por dentro um acontecimento memorável na história do F.C. Porto que foi a inauguração do Estádio das Antas no dia 28 de Maio de 1952.

26 de setembro de 2021

Souza

Josef de Souza Dias, nasceu no dia 11 de Fevereiro de 1989 em São Gonçalo, um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro.
Começou a jogar futebol, ainda criança, nas escolas do C.R. Vasco da Gama e depois de ter passado por todos os escalões de formação do clube carioca, integrou o plantel principal em 2008. Quando começava a ganhar o seu espaço na equipa, sofreu uma grave lesão no pé direito que o afastou dos relvados durante largos meses. Em 2009 e já completamente recuperado, voltou a ocupar o seu lugar no meio-campo do “Gigante da Colina” e rapidamente passou a ser um dos principais jogadores da equipa, e foi fundamental para a conquista do Campeonato Brasileiro Série B nesse ano de 2009. No ano seguinte, confirmou todo o seu potencial ao continuar as boas exibições que começaram a despertar o interesse de vários clubes europeus.
No verão de 2010, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A primeira vez que vestiu a camisola dos Dragões aconteceu no dia 14 de Agosto de 2010, no Estádio Municipal José Bento Pessoa, na Figueira da Foz, onde os portistas visitaram e venceram a Associação Naval 1º de Maio por 1-0, numa partida que valeu para a jornada inaugural do Campeonato Nacional de 2010/11. Souza começou o jogo como suplente, mas aos 85 minutos substituiu João Moutinho.
Cinco dias após a estreia, Souza marcou o seu único golo de Dragão ao peito quando o F.C. Porto foi à Bélgica vencer o K.R.C. Genk por 3-0, num jogo que contou para a 1ª mão do Playoff da Liga Europa. Souza voltou a ser suplente, substituiu Varela aos 60 minutos e a oito minutos do fim, apontou o segundo golo do jogo.
Nessa temporada, Souza disputou 24 jogos oficiais, sendo titular por 9 vezes, e no final da época não faltaram motivos para festejar, pois sagrou-se Campeão Nacional, conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira, a Taça de Portugal e a Liga Europa.
Souza começou a temporada seguinte tal como tinha terminado a anterior, a vencer. Pela segunda vez conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira. Depois de ter disputado 15 jogos, em Janeiro de 2012, foi emprestado ao Grémio de Porto Alegre, que o contratou no final dessa época. Apesar de estar no Brasil, Souza, voltou a sagrar-se Campeão Nacional, valendo os 8 jogos que disputou pelo F.C. Porto no Campeonato Nacional entre Agosto de 2011 e Janeiro de 2012.
Enquanto esteve ao serviço dos Dragões, Souza disputou 39 jogos oficiais, marcou 1 golo e conquistou 6 títulos.
Em 2013, jogou no Grémio de Porto Alegre e em 2014 rumou, por empréstimo, ao São Paulo F.C., acabando por ser adquirido pelo clube paulista em 2015. No verão desse ano, transferiu-se para os turcos do Fenerbahçe F.K. onde jogou durante três temporadas. Apesar de ter iniciado a época de 2018/19 no emblema de Istambul, tendo disputado 2 jogos e marcado 1 golo, Souza rumou à Arábia Saudita para vestir a camisola do Al-Ahli S.C. durante duas temporadas. Na época de 2020/21, voltou à Turquia para jogar no Besiktas J.K. e logo nessa temporada venceu o campeonato turco, a Taça da Turquia e a Supertaça turca.
Souza é Internacional pelo Brasil e já vestiu por 3 vezes a camisola da Seleção brasileira.

Palmarés
1 Liga Europa
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Turquia
1 Campeonato do Brasil Série B
2 Taças de Portugal
1 Taça da Turquia
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Supertaça da Turquia

19 de setembro de 2021

Marc Janko

Marc Janko nasceu no dia 25 de Junho de 1983 em Viena, Áustria.
Foi no F.C. Admira Wacker que começou a sua carreira de futebolista no ano de 1990, quando contava com 16 anos de idade. Depois de ter passado pelos vários escalões de formação do clube de Mödling, Marc Janko integrou o plantel principal em 2003 e estreou-se como sénior em Dezembro de 2004. Em 2005/06, transferiu-se para o F.C. Red Bull Salzburgo onde jogou durante cinco temporadas, tendo vencido por três vezes o campeonato austriaco e foi o melhor marcador em 2008/09, com 39 golos em 34 jogos. Em 2010/11, rumou aos holandeses do F.C. Twente, onde conquistou duas Supertaças holandesas e uma Taça da Holanda.
Em Janeiro de 2012, Marc Janko foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 5 de Fevereiro de 2012 no Estádio do Dragão, onde os portistas receberam e venceram o V. Setúbal por 2-0, no terceiro jogo do Grupo D da Taça da Liga de 2011/12. Foi também nessa partida que Janko marcou o seu primeiro golo. O avançado austriaco fechou o marcador aos 67 minutos.
Nos dois jogos seguintes, que contaram para o campeonato nacional, contra o U.D. Leiria e novamente o V.Setúbal, voltou a marcar um golo em cada partida e assim contribuiu para a vitória do F.C. Porto nesses dois jogos, 4-0 contra os leirienses e 3-1 perante os sadinos. Janko marcou mais dois golos, um na vitória por 2-0 dos Dragões na Madeira contra o C.D. Nacional, e outro na recepção ao S.C. Beira-Mar que os azuis e brancos venceram por 3-0.
Na pré-época de 2012/13, Marc Janko sofreu uma lesão muscular e os portistas viram-se na obrigação de contratar Jackson Martínez para substituir o avançado austriaco, que assim decidiu deixar os Dragões.
Apesar de ter estado apenas meio ano ao serviço do F.C. Porto, Marc Janko contribuiu para a conquista do título de Campeão Nacional de 2011/12. O austriaco disputou 12 jogos oficiais e marcou 5 golos.
De seguida rumou à Turquia onde jogou no Trabzonspor. Passou pelos australianos do Sydney F.C.. Em 2015, regressou à Europa para jogar nos suíços do F.C. Basel, onde conquistou o campeonato suíço por duas vezes e venceu por uma vez a Taça da Suíça. Teve depois uma breve passagem pelo A.C. Sparta de Praga, antes de voltar à Suíça para ingressar no F.C. Lugano, onde terminou a sua carreira de futebolista no ano de 2019.
Marc Janko foi internacional pela Áustria. Vestiu a camisola da seleção por 70 vezes, marcou 28 golos e esteve presente no Campeonato da Europa de 2016.

Palmarés
1 Campeonato da 1ª Divisão (Portugal)
3 Campeonatos da Áustria
2 Campeonatos da Suíça
1 Taça da Holanda
1 Taça da Suíça
2 Supertaças da Holanda

12 de setembro de 2021

Rico

José Augusto Duarte, mais conhecido como Rico, nasceu no dia 9 de Maio de 1940 em Luanda, Angola.
Foi no F.C. Luanda que começou a jogar futebol, onde despertou o interesse de vários clubes portugueses.
No início do ano de 1960, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
O seu primeiro jogo de Dragão ao peito aconteceu no dia 27 de Março de 1960, no Campo José Santos Pinto, na Covilhã, onde os portistas visitaram e empataram 1-1 com o S.C. Covilhã, num jogo que contou para a 1ª mão dos oitavos de final da Taça de Portugal de 1959/60. Na partida da 2ª mão, no Estádio das Antas, os Dragões não deram hipóteses aos serranos e venceram por 5-0.
Ainda nessa temporada, Rico foi utilizado pelo treinador Francisco Reboredo no jogo da 25ª jornada do Campeonato Nacional, contra o Atlético C.P. em que os portistas venceram por 4-0.
Nas três épocas seguintes, Rico não disputou nenhum jogo oficial na equipa principal do F.C. Porto.
Na temporada de 1963/64, Rico voltou a vestir a camisola portista por duas vezes, nos dois jogos dos oitavos-de-final da Taça de Portugal contra o V. Guimarães. Os Dragões venceram os vimaranenses em ambas as partidas, 3-1 no Estádio das Antas e 2-1 no Municipal de Guimarães.
Na época seguinte, Rico voltou a disputar dois jogos, ambos no mês de Outubro. No dia 14, integrou o onze titular que venceu o O. Lyon por 1-0 no Estádio Gerland, numa partida que contou para a 2ª mão da 1ª eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças, depois da vitória do F.C. Porto, na partida da 1ª mão, disputada no Estádio das Antas, por 3-0. Quatro dias depois, Rico voltou a merecer a confiança do técnico Otto Glória, ao ser titular na recepção ao Lusitano G.C. de Évora, numa partida que os portistas venceram por 1-0 e que valeu para a 2ª jornada do Campeonato Nacional.
Apesar de ter estado seis temporadas ao serviço do F.C. Porto, Rico apenas disputou seis jogos oficiais, divididos por três épocas.
Em 1965/66, ingressou no F.C. Barreirense. Na temporada seguinte transferiu-se para o G.D. CUF. Em 1968/69, foi contratado pelo Varzim S.C., onde jogou durante quatro temporadas.
No dia 20 de Abril de 1972, Rico faleceu durante um jogo treino entre o Varzim S.C. e o F.C. Tirsense, consequência de congestão cerebral.