25 de maio de 2020

Álvaro Vasconcelos

Álvaro Madureira Vasconcelos foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de 40.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 16 de Abril de 1944 no Estádio do Lima, onde os portistas receberam e venceram o Sporting C.P. por 2-0, numa partida a contar para a 1ª mão dos quartos-de-final da Taça de Portugal da temporada de 1943/44. O F.C. Porto eliminou os sportinguistas depois de um empate 3-3 oito dias mais tarde no Campo do Lumiar em Lisboa, mas acabou afastado da prova na eliminatória seguinte pelo G.D. Estoril Praia.
Ainda nessa época de 1943/44, Álvaro Vasconcelos participou ainda em mais dois jogos, todos a contar para a Taça de Portugal.
Na temporada seguinte foi utilizado em cinco partidas do Campeonato Nacional. Apesar de pouco jogar nas partidas oficiais, Álvaro Vasconcelos esteve presente no jogo particular que os azuis e brancos realizaram com o Real Madrid F.C. no dia 3 de Junho no Estádio do Lima e que venceram por 3-0.
Na época de 1945/46 apenas disputou 1 jogo. Foi na 17ª jornada do Campeonato Nacional, no Estádio Padinha em Olhão, com o resultado 3-1 a favor da equipa da casa. Esse acabou por ser a última vez que vestiu a camisola do F.C. Porto.
Álvaro Vasconcelos esteve três temporadas ao serviço dos Dragões, tendo disputado 9 partidas oficiais.
Apesar de nessas três temporadas o F.C. Porto ter conquistado o Campeonato do Porto, Álvaro Vasconcelos não foi utilizado em nenhum jogo dessa competição.

18 de maio de 2020

Brahimi

Yacine Nasr Eddine Brahimi nasceu no dia 8 de Fevereiro de 1990 em Paris, França.
De nacionalidade argelina, Brahimi começou por jogar futebol em pequenos clubes da região de Ilha de França em Paris. Onde tudo começou foi no A.S.B. Montreuil, depois passou para o Club Olympique Vincennois e pouco tempo depois ingressou no Stade Rennes F.C. onde completou a sua formação de futebolista e passou a sénior no final da temporada de 2008/09. Na época seguinte foi emprestado ao Clermont Foot Auvergne 63 da segunda divisão francesa. Em 2010/11 regressou ao Stade Rennes F.C. onde permaneceu durante duas temporadas até ser de novo emprestado aos espanhóis do Granada C.F. em 2012/13, que compraram o seu passe no final dessa mesma época.
Já no clube francês da cidade de Rennes, Brahimi começou a despertar a cobiça dos principais clubes europeus, o que aumentou ainda mais depois das suas prestações no emblema espanhol, sendo mesmo considerado o melhor jogador africano do campeonato espanhol da temporada de 2013/14.
No início da época de 2014/15 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
O primeiro jogo em que vestiu a camisola dos Dragões aconteceu no dia 15 de Agosto de 2014 no Estádio do Dragão onde os portistas receberam e venceram o C.S. Marítimo por 2-0, num jogo que valeu para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 2014/15.
11 Dias depois e no seu quarto jogo de Dragão ao peito, Brahimi marcou o seu primeiro golo. Foi também no Estádio do Dragão, na vitória contra os franceses do Lille O.S.C. por 2-0 com o argelino a inaugurar o marcador aos 49 minutos, numa partida que contou para a 2ª mão do Play-Off da Liga dos Campeões de 2014/15.
Brahimi esteve cinco épocas ao serviço do F.C. Porto. Foi sempre um dos jogadores mais influentes do plantel, sendo ao mesmo tempo um dos mais tecnicistas, daqueles jogadores de quem se espera a qualquer momento uma jogada genial para golo.
Na temporada de 2017/18 sagrou-se Campeão Nacional e venceu a Supertaça Cândido de Oliveira na época seguinte.
Nos cinco anos que defendeu o F.C. Porto, foi utilizado por 215 vezes, marcou 54 golos e conquistou 2 títulos.
Brahimi é internacional pela Argélia. Apesar de ter representado a Selecção de França em todos os escalões de formação, em 2013 decidiu defender a equipa nacional argelina. Esteve presente na CAN em 2015, 2017 e 2019 e também no Campeonato do Mundo de 2014, tendo vestido a camisola da Argélia por 49 vezes e marcado 12 golos.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Supertaça Cândido de Oliveira

11 de maio de 2020

Bento José Correia

Bento José Correia nasceu no dia 3 de Fevereiro de 1887 em Vila Verde.
Desde bastante novo que passou a viver na cidade do Porto e se apaixonou pelo F.C. Porto.
Em 1928 integrou a direcção presidida por Sebastião Ferreira Mendes e integrou os Corpos Sociais dos Dragões tendo-se mantido durante dez anos nesse cargo.
Foi através de Bento José Correia que os jogadores: Pinga, Valdemar Mota e Álvaro Pereira passaram a vestir de azul e branco.
Bento José Correia foi também o principal responsável por o F.C. Porto ser declarado instituição de Utilidade Publica por Decreto do dia 13 de Março de 1928.
Para além da sua ligação ao F.C. Porto, Bento José Correia teve passagens por outras instituições da cidade Invicta, como: S.C. Salgueiros, Sport Progresso, Clube Fenianos Portuenses, Sociedade Protectora dos Animais e Clube de Caçadores do Porto.
Foi ainda Gerente Comercial na “British Co-operative Stores”, situada na Rua do Infante D. Henrique no Porto.

4 de maio de 2020

Francisco Ferreira

Francisco Ferreira nasceu no dia 23 de Agosto de 1919 na cidade de Guimarães.
Foi no Campo da Constituição, onde o seu pai era o guarda do campo, que começou a jogar futebol. Começou como uma brincadeira de criança, mas depressa passou a ser algo mais sério e ingressou nas escolas do clube azul e branco onde percorreu todos os escalões de formação até ascender a sénior no final da temporada de 1935/36.
A sua estreia com a camisola principal do F.C. Porto aconteceu no dia 11 de Outubro de 1936, precisamente no Campo da Constituição, onde os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 2-1, numa partida que contou para a 1ª jornada do Campeonato do Porto.
Na época em que vestiu pela primeira vez a camisola principal do F.C. Porto, Francisco Ferreira começou por ajudar a conquistar o Campeonato do Porto, onde disputou quatro jogos, e terminou a temporada com a vitória no Campeonato de Portugal, tendo sido utilizado sete vezes pelo treinador François Gutkas.
Na época seguinte voltou a sagrar-se Campeão do Porto, o que foi o seu último título com a camisola azul e branca.
Francisco Ferreira, como sénior, esteve duas temporadas ao serviço dos Dragões, conquistou 3 títulos e formou com Carlos Pereira e Pocas um trio de meio-campo de grande qualidade que ficou conhecido como: “Linha Maginot”.
No final da temporada de 1937/38, Francisco Ferreira desentendeu-se com os dirigentes portistas. Queria 300 escudos de ordenado, o que lhe foi prontamente negado. Dias depois encontrou-se com um responsável do S.L. Benfica que aceitou pagar o que ele tinha pedido ao F.C. Porto e assim rumou a Lisboa onde jogou pelos encarnados durante 14 temporadas, tendo conquistado 4 Campeonatos Nacionais, 6 Taças de Portugal e 1 Campeonato de Lisboa.
Francisco Ferreira foi internacional por Portugal. Vestiu a camisola das Quinas por 25 vezes.
Francisco Ferreira esteve presente no jogo de homenagem e despedida ao portista Artur de Sousa Pinga, seu antigo companheiro no F.C. Porto. A partida teve lugar no Estádio do Lima no dia 7 de Julho de 1946.
Faleceu no dia 14 de Fevereiro de 1986.

Palmarés
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
6 Taças de Portugal
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto
1 Campeonato de Lisboa