27 de dezembro de 2020

Joaquim Silva

Joaquim Silva foi um antigo dirigente do Futebol Clube do Porto.
Foi na década de vinte do século passado, numa altura em que o clube azul e branco ainda estava a cimentar os alicerces, que desempenhou funções nos Corpos Gerentes dos Dragões.
Numa época onde o chamado profissionalismo não existia, Joaquim Silva integrava uma Comissão que dava algum apoio financeiro aos jogadores que chegavam para reforçar a equipa de futebol.
Joaquim Silva era um grande admirador do guarda-redes portista Mihaly Siska, os dois fortaleceram uma grande amizade e passaram a ser quase inseparáveis, como consequência dessa forte união, Joaquim Silva ficou conhecido como o Pai de Siska.
Joaquim Silva foi um dos mais dedicados dirigentes portistas, numa época onde ainda imperava o verdadeiro amor ao clube.

20 de dezembro de 2020

Tomás Costa

Tomás Alberto Costa nasceu no dia 30 de Janeiro de 1985 em Oliveros, Argentina.
Foi no C.A. Rosario Central que começou a jogar futebol e foi também no clube de Santa Fé que se estreou como sénior, isto no decorrer da temporada de 2006/07. As boas exibições que foi tendo ao serviço do C.A. Rosario Central, tanto na época de 2006/07 como em 2007/08, começaram a despertar o interesse não só dos melhores clubes da Argentina mas também dos europeus.
No início da temporada de 2008/09 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 24 de Agosto de 2008 no Estádio do Dragão onde os portistas receberam e venceram o C.F. Belenenses por 2-0, um jogo que valeu para a jornada inaugural do Campeonato Nacional de 2008/09.
O primeiro golo que apontou foi também nesse campeonato no jogo da jornada 27 em que o F.C. Porto visitou e venceu o C.S. Maritimo por 3-0. Tomás Costa fechou o marcador aos 83 minutos de jogo.
No final da sua primeira época a jogar de azul e branco, conquistou a Taça de Portugal e sagrou-se Campeão Nacional.
Em 2009/10 as vitórias continuaram. Começou a temporada a vencer a Supertaça Cândido de Oliveira, com os portistas a vencer o F.C. Paços de Ferreira por 2-0 e acabou a época a conquistar novamente a Taça de Portugal, depois de os Dragões derrotarem na Final o G.D. Chaves por 2-1, tendo sido esse o ultimo jogo em que alinhou de Dragão ao peito.
Tomás Costa esteve duas temporadas ao serviço do F.C. Porto. Disputou 73 jogos oficiais, marcou 2 golos e conquistou 4 títulos.
Em 2010/11 foi emprestado aos romenos do C.F.R. Cluj, onde venceu a Supertaça da Roménia. Na segunda metade da época rumou ao Chile, ainda por empréstimo dos portistas, para se juntar ao C.D. Universidad Católica, tendo ganho a Taça do Chile de 2011. Em 2012 foi contratado pelos argentinos do C.A. Colón, mas a meio do ano regressou ao Chile e ao C.D. Universidad Católica onde permaneceu cinco anos e onde conquistou a Liga Clausura em 2015. Em 2016 viajou para o Uruguai onde defendeu o emblema do C.A. Peñarol por dois anos, tendo conquistado o campeonato uruguaiu por duas vezes. Em 2018 transferiu-se para os peruanos do Club Alianza Lima e começou por vencer a Supertaça do Peru.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonato do Uruguai
1 Campeonato do Chile
2 Taças de Portugal
1 Taça do Chile
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Supertaça da Roménia
1 Supertaça do Peru

13 de dezembro de 2020

Luís Peixoto

Luís Peixoto foi um guarda-redes que representou o Futebol Clube do Porto na década de 20 do passado século.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 11 de Novembro de 1923 no Campo da Constituição, onde os portistas jogaram como equipa visitante e venceram o Boavista F.C. por 1-0, numa partida que contou para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1923/24.
Luís Peixoto actuou em todas as partidas desse campeonato e dessa forma esteve directamente ligado à conquista do Campeonato Regional do Porto.
Ainda jogou na partida inaugural do Campeonato de Portugal em que o F.C. Porto venceu a Associação Académica de Coimbra por 3-2 no Campo da Constituição.
Na temporada seguinte voltou a sagrar-se Campeão Regional do Porto, mas apenas disputou o ultimo jogo do campeonato que foi disputado no Estádio do Bessa onde os portistas venceram o Boavista F.C. por 1-0.
Luís Peixoto esteve duas temporadas ao serviço do F.C. Porto. Disputou 8 jogos oficiais e conquistou 2 Títulos.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto

6 de dezembro de 2020

Óliver Torres

Óliver Torres Muñoz nasceu no dia 10 de Novembro de 1994 em Navalmoral de la Mata, da província de Cáceres da comunidade autónoma da Estremadura, Espanha.
Fez toda a formação futebolística no Club Atlético de Madrid até que em 2012/13 integrou o plantel principal dos madrilenos. A estreia aconteceu no dia 20 de Agosto quando substituiu Adrián López aos 64 minutos de jogo, numa partida contra o Levante U.D. e que terminou empatada 1-1.
Nessa época de estreia a nível profissional conquistou a Taça de Espanha, tendo sido utilizado por duas vezes na caminhada vitoriosa dos madrilenos.
No dia 1 de Outubro de 2013 pisou pela primeira vez o relvado do Estádio do Dragão, quando contava com 18 anos e 10 meses. O “Colchoneros” defrontaram o F.C. Porto num jogo da Liga dos Campeões e o médio espanhol disputou os últimos 12 minutos de jogo.
Em Janeiro de 2014 foi emprestado ao C.F. onde foi utilizado em nove partidas, tendo apontado um golo.
Apesar de ter permanecido apenas meia época em Madrid, Óliver Torres sagrou-se Campeão de Espanha de 2013/14 pois disputou 6 partidas e contribuiu com um golo.
No início da temporada de 2014/15 ingressou no Futebol Clube do Porto por empréstimo do Club Atlético de Madrid.
A estreia em jogos oficiais com a camisola azul e branca aconteceu no dia 15 de Agosto no Estádio do Dragão quando os portistas receberam e venceram o C.S. Marítimo por 2-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional. Já o primeiro golo que marcou ao serviço dos Dragões apareceu quinze dias mais tarde na recepção ao Moreirense F.C. e onde o F.C. Porto venceu por 3-0, com Óliver Torres a apontar o primeiro golo da partida que contou para a 3ª jornada do Campeonato Nacional.
Óliver Torres foi um dos jogadores mais utilizados pelo treinador Julen Lopetegu, o médio espanhol disputou 40 partidas oficiais e marcou sete golos.
Em 2015/16 regressou ao Club Atlético de Madrid.
Na temporada de 2016/17 regressou ao F.C. Porto, que era orientado na época por Nuno Espírito Santo e que tal como Lopetegui, apostou em Óliver Torres que falhou apenas quatro jogos de toda a temporada.
Na época seguinte o F.C. Porto chegou a acordo com o Club Atlético de Madrid e contratou o jovem médio. Já com Sérgio Conceição a comandar a equipa, Oliver teve menos protagonismo mas ainda assim, continuou a ser um jogador importante no meio campo azul e branco. No final dessa época sagrou-se pela primeira vez, Campeão Nacional.
A temporada seguinte começou com nova conquista, com os Dragões a vencer a Supertaça Cândido de Oliveira depois de derrotarem o C.D. Aves por 3-1. Óliver começou o jogo no banco de suplentes, mas foi a jogo aos 39 minutos a substituir Brahimi e aos 84 minutos fez a assistência para Jesús Corona marcar o terceiro golo do F.C. Porto.
Nessa época, Óliver continuou a ser um dos jogadores mais utilizados do plantel portista e começou a ter vários clubes estrangueiros interessados em contrata-lo. O jogo da 33ª jornada do campeonato nacional, contra o C.D. Nacional da Madeira, disputado no Funchal, foi a última partida em que Óliver Torres vestiu a camisola do F.C. Porto. Os Dragões venceram por 4-0 e Óliver foi o autor do segundo golo aos 28 minutos de jogo.
Em Julho de 2019, foi contratado pelo Sevilha F.C.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Espanha
1 Taça de Espanha
1 Supertaça Cândido de Oliveira