28 de junho de 2021

Trindade

Trindade foi um futebolista, jogou na posição de guarda-redes, que representou o Futebol Clube do Porto na época de 1931/32.
Para além do futebol, Trindade, praticou andebol, atletismo e basquetebol, sempre com a camisola do F.C. Porto vestida.
Em Fevereiro de 1932, o guarda-redes titular dos Dragões, Siska, lesionou-se e Trindade foi chamado a defender a baliza portista. A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 14 de Fevereiro de 1932 no Estádio do Candal, em Vila Nova de Gaia, onde os azuis e brancos receberam e venceram o Sport Progresso por 9-1, num jogo a contar para a 6ª jornada do Campeonato do Porto.
Trindade jogou as restantes duas partidas do Campeonato do Porto contra o Leixões S.C., com vitória dos Dragões por 12-2, e contra o S.C. Salgueiros, jogo que o F.C. Porto venceu por 4-1. Trindade disputou ainda o jogo da 1ª eliminatória do Campeonato de Portugal, em Abril de 1932, contra o Ginásio Sportivo Lis, tendo os Dragões ganho por 18-0.
Trindade apenas esteve uma temporada ao serviço do F.C. Porto. Disputou 4 jogos oficiais e conquistou dois títulos.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto

20 de junho de 2021

André Castro

André Castro Pereira nasceu no dia 2 de Abril de 1988 em Gondomar.
Começou por jogar futebol de 5, quando tinha cinco anos de idade, no Grupo Dramático e Beneficente de Rio Tinto. Aos oito anos foi para o Gondomar S.C. onde esteve três anos.
No ano de 1999 e quando contava com 11 anos ingressou nos infantis do Futebol Clube do Porto.
Nos Dragões passou por todos os escalões de formação até ascender a sénior no final da época de 2006/07. Na temporada seguinte integrou o plantel principal portista que era comandado por Jesualdo Ferreira.
Castro estreou-se como sénior em jogos oficiais no dia 2 de Fevereiro de 2008 no Estádio do Dragão, onde o F.C. Porto recebeu e venceu o U.D. Leiria por 4-0, num jogo que contou para a 18ª jornada do Campeonato Nacional de 2007/08. Castro entrou aos 79 minutos de jogo para substituir Paulo Assunção.
Na sua primeira época como sénior, Castro sagrou-se Campeão Nacional, tendo disputado três jogos oficiais (dois a contar para o campeonato e um para a Taça de Portugal).
Nas temporadas de 2008/09 e 2009/10 esteve emprestado ao S.C. Olhanense, onde conquistou o Campeonato Nacional da II Liga na primeira época em que representou os algarvios.
Em 2010/11 regressou ao F.C. Porto. De novo sagrou-se Campeão Nacional, venceu a Taça de Portugal e conquistou a Liga Europa.
A meio dessa temporada foi emprestado aos espanhóis do R.S. Gijón, onde se manteve também na época seguinte.
Em 2012/13 regressou mais uma vez ao F.C. Porto para ser outra vez Campeão Nacional ao que juntou a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira. Foi a sua melhor temporada de Dragão ao peito tendo disputado 25 jogos oficiais e ainda marcou o único golo com a camisola portista, na vitória do F.C. Porto sobre a Académica de Coimbra por 3-0, Castro apontou o ultimo golo aos 89 minutos de jogo que foi disputado na cidade dos estudantes no final de Março de 2013. Essa acabou por ser a sua última época no F.C. Porto.
Castro esteve três temporadas ao serviço dos Dragões. Disputou 34 jogos oficiais, marcou 1 golo e conquistou 6 títulos.
Em 2013/14, rumou à Turquia para jogar no Kasimpasa S.K., onde esteve quatro épocas. Em 2017/18, transferiu-se para o Goztepe S.K. e no clube da cidade de Izmir permaneceu durante quatro temporadas. Na época de 2020/21, regressou a Portugal para jogar no S.C. Braga e ajudou o emblema bracarense a conquistar a Taça de Portugal.
Castro é bisneto de Francisco Castro, antigo futebolista do F.C. Porto que foi Campeão Nacional em 1934/35 e vencedor do Campeonato de Portugal em 1931/32.

Palmarés
1 Liga Europa
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato Nacional 2ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

13 de junho de 2021

Alessandro

Alessandro Andrade de Oliveira nasceu no dia 27 de Maio de 1973 em Teixeira de Freitas, um município do estado da Bahia, Brasil.
Alessandro começou a jogar futebol no Novorizontino. Depois de ter passado pelos escalões de formação do pequeno clube de Belo Horizonte, passou a sénior em 1993 e no ano seguinte conquistou o título de Campeão Brasileiro da Série C. Depois de passar pelo C.R. Vasco da Gama e pelo Santos F.C., Alessandro rumou ao Japão onde jogou durante dois anos no Júbilo Iwata, tendo vencido o Campeonato do Japão em 1997 e a Taça da Liga do Japão em 1998. Ainda em 1998, regressou ao Brasil e ao Santos F.C., tendo conquistado a Taça Conmebol e tornou-se um dos jogadores mais importantes da equipa, o que lhe valeu a chamada à seleção brasileira e o interesse de vários clubes europeus.
No início da época de 1999/2000, Alessandro foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 15 de Agosto de 1999 no Estádio das Antas, onde os portistas receberam e venceram o S.C. Beira-Mar por 3-1, num jogo a contar para a 2ª mão da Supertaça Cândido de Oliveira. Um troféu que o F.C. Porto conquistou depois de ter vencido a partida da 1ª mão por 2-1 em Aveiro.
O primeiro golo que Alessandro marcou com a camisola do F.C. Porto, foi no jogo da 18ª jornada do Campeonato Nacional de 1999/2000 contra o Boavista F.C. no Estádio das Antas. Alessandro saltou do banco de suplentes aos 63 minutos, a substituir Chaínho, e aos 79 minutos marcou o único golo da partida.
Alessandro disputou 34 jogos oficiais e marcou 1 golo. Apesar de não ter sido um titular indiscutível (foi por 12 vezes titular e 4 vezes jogou os 90 minutos), Alessandro sempre foi uma opção útil durante os jogos, por ser um jogador veloz e com boa técnica.
Na temporada seguinte, Alessandro voltou ao Brasil onde jogou, por empréstimo, no Fluminense F.C. e no Cruzeiro E.C.
Em 2001/02, Alessandro regressou ao F.C. Porto, mas apenas esteve presente nos dois primeiros jogos oficiais da temporada, quando os portistas defrontaram os galeses do Barry Town F.C. para a 2ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões. No jogo da 1ª mão os Dragões venceram por 8-0 e Alessandro foi suplente não utilizado. Na partida da 2ª mão foi titular e jogou os 90 minutos, os últimos com a camisola do F.C. Porto.
Alessandro voltou ao Brasil e ao Cruzeiro E.C.. Mais tarde teve uma curta passagem pelo Kuwait S.C., também pelo Al-Ahli da Arabia Saudita e ainda pelos turcos do Denizlispor. Pelo meio jogou no Clube Atlético Mineiro, S.C. Corinthians, Figueirense F.C..
Em 2012, regressou às origens, ao extinto Novorizontino, mas que passou a chamar-se: Grêmio Novorizontino, clube que tem as mesmas cores, o mesmo emblema, a mesma mascote e joga no mesmo estádio. Alessandro e mais cinco financiadores, pagaram quase 1 milhão de reais da inscrição do clube na Federação Paulista. Alessandro assumiu a função de dirigente, mas ainda jogou no clube durante um ano, onde terminou a sua carreira de futebolista.
Alessandro foi internacional pelo Brasil, representou por uma vez a seleção brasileira num jogo contra a Coréia do Sul, disputado no dia 28 de março de 1999.

Palmarés
1 Taça Conmebol
1 Campeonato do Japão
1 Campeonato Brasileiro Série C
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça da Liga do Japão

6 de junho de 2021

Danilo Pereira

 
Danilo Luís Hélio Pereira nasceu no dia 9 de Setembro de 1991 em Bissau, Guiné Bissau.
Foi no Arsenal 72, um pequeno clube de Mem Martins, que Danilo começou a jogar futebol com pouco mais de 10 anos de idade. Passou depois pelos juniores do G.D. Estoril Praia e ainda pelo S.L. Benfica. Em 2010 viajou para Itália onde foi representar o Parma F.C., alinhando na equipa de sub-19. Em Janeiro de 2011, foi emprestado aos gregos do F.C. Aris Salónica, tendo disputado 5 jogos no campeonato grego. Na temporada de 2011/12, regressou ao Parma F.C. e estreou-se na Serie-A em Dezembro, tendo sido utilizado em mais quatro partidas. Na época seguinte voltou a ser emprestado e rumou aos holandeses do Roda, onde foi um dos jogadores mais utilizados do plantel.
No início da temporada de 2013/14 regressou a Portugal para representar o C.S. Marítimo. No clube madeirense, Danilo esteve duas épocas, realizando boas exibições e tornando-se um dos jogadores mais uteis do plantel maritimista, começando a despertar a cobiça e o interesse dos maiores clubes nacionais.
No verão de 2015, foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 15 de Agosto de 2015 no Estádio do Dragão, onde os portistas receberam e venceram o V. Guimarães por 3-0, numa partida que valeu para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16.
Apesar de jogar como médio defensivo, Danilo não se coibia de tentar alvejar a baliza adversária, conseguindo ter sucesso por várias vezes. A primeira vez que isso aconteceu foi no jogo da 9ª jornada do campeonato nacional da época de 2015/16, quando o F.C. Porto visitou o C.F. União da Madeira e venceu por 4-0, com Danilo a apontar o ultimo golo da partida já nos minutos finais.
Para além dessa temporada de 2015/16, Danilo jogou de Dragão ao peito por mais quatro anos, sendo sempre um dos jogadores mais utilizados pelos treinadores que passaram nesse período pelos Dragões, que não abdicavam do seu sentido táctico, agressividade defensiva e do seu excelente jogo de cabeça que valeram muitos golos e algumas vitórias.
Ao serviço do F.C. Porto, Danilo disputou 202 jogos oficiais, marcou 19 golos e conquistou 4 títulos (2 Campeonatos Nacionais, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça Cândido de Oliveira).
Em Outubro de 2020, já depois de ter iniciado a temporada de 2020/21 e de Danilo ter disputado 3 partidas com a camisola do F.C. Porto, rumou a França para jogar no Paris S.G., tendo conquistado a Taça de França e a Supertaça de França.
Danilo é internacional por Portugal. Esteve presente no Campeonato da Europa de 2016 e na Taça das Nações de 2019, competições que venceu. Marcou também presença na Taça das Confederações em 2017.

Palmarés
1 Campeonato da Europa (Selecções)
1 Taça das Nações (Selecções)
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça de França
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Supertaça de França