14 de abril de 2019

Nano

Juveniano Freitas Amorim, conhecido como Nano, foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de quarenta.
Chegou aos Dragões em 1945.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 8 de Abril de 1945 no Estádio do Lima, no Porto, onde os portistas receberam e venceram o V. Setúbal por 3-0, numa partida que valeu para a 18ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1944/45.
Na temporada seguinte Nano ajudou os Dragões a conquistar o Campeonato do Porto, competição onde os azuis e brancos colecionaram goleadas, sobretudo contra o Ramaldense F.C. (8-3 e 14-0) e S.C. Salgueiros (10-1 e 10-3).
No final da época de 1945/46 Nano deixou os azuis e brancos.
Ao serviço do F.C. Porto disputou 11 jogos oficiais e conquistou 1 título.

Palmarés
1 Campeonato do Porto

8 de abril de 2019

Luís Retumba

Luís Retumba foi um dos primeiros futebolistas do Futebol Clube do Porto.
Atleta de alta qualidade e ao mesmo tempo muito versátil, pois foi praticante de natação, hipismo, automobilismo e ainda natação, modalidade em que ganhou vários Campeonatos Nacionais.
Luís Retumba foi também guarda-redes na equipa principal dos Dragões. Defendeu a baliza do F.C. Porto durante algum tempo e alternou entre a equipa principal e de reservas.
Depois de deixar o futebol continuou ligado ao clube azul e branco como dirigente.

31 de março de 2019

Mielcarski

Grzegorz Mielcarski nasceu no dia 19 de Março de 1971 em Chelmno, Polónia.
Depois de jogar nos escalões de formação do Orzel Chelmon ingressou no K.P. Poloni Bydgoszcz onde fez a sua estreia como sénior na temporada de 1987/88. Em 1989/90 transferiu-se para o Olimpia Poznan. Na época de 1992/93 rumou à Suíça para jogar no Servette F.C.. Na temporada seguinte voltou à Polónia para defender as cores do K.S. Górnik Zabrze. Em 1994/95 retornou ao Olimpia Poznan mas logo de seguida ingressou no Widzew Lódz.
No início da temporada de 1995/96 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 6 de Agosto de 1995 no Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde os portistas defrontaram o Sporting C.P. no jogo da 1ª mão da Supertaça Cândido de Oliveira que terminou empatado 0-0.
Mielcarski esteve ao serviço do F.C. Porto durante quatro temporadas. Na primeira época e quando se começava a afirmar na equipa portista, uma grave lesão acabou por o afastar largos meses dos relvados, recuperou e deu o seu contributo para se sagrar Campeão Nacional por 4 vezes, venceu 1 Taça de Portugal e 2 Supertaças Cândido de Oliveira.
De Dragão ao peito, Mielcarski disputou 56 partidas oficiais e marcou 11 golos. No final da temporada de 1998/99 deixou os Dragões.
Na época seguinte ingressou nos espanhóis do U.D. Salamanca. Em 2000/01 regressou à Polónia para jogar no M.K.S. Pogon Szczecin. Em 2001/02 transferiu-se para o A.E.K. de Atenas onde conquistou a Taça da Grécia. Na temporada seguinte estava de volta à Polónia para vestir a camisola do K.S. Amica Wronki, onde jogou duas temporadas, e deu por terminada a sua carreira de futebolista no final da temporada de 2003/04.
Mielcarski foi internacional pela Polónia, disputou 10 jogos oficiais e marcou 1 golo.

Palmarés
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça da Grécia
2 Supertaças Cândido de Oliveira

25 de março de 2019

Alexandre Lopes Martins

Alexandre Lopes Martins foi um dirigente do Futebol Clube do Porto inda nos primeiros anos de existência do clube azul e branco.
Desempenhou a difícil função de tesoureiro sempre com um grande sentido de responsabilidade, isto numa época em que o clube passava por difíceis situações financeiras.
Alexandre Lopes Martins foi também um dos mais asserimos defensores da ideia de construção do novo campo de jogos na Constituição e foi um dos homens mais influentes para a realização desse sonho.
Grande parte da sua vida foi dedicada ao F.C. Porto e esse amor clubístico foi herdado também pelos seus dois filhos, David Lopes Martins e João Lopes Martins, este ultimo um dos mais, senão mesmo o mais eclético atleta da história do F.C. Porto.

17 de março de 2019

Rolando Fonseca

Rolando Jorge Pires da Fonseca nasceu no dia 31 de Agosto de 1985 em São Vicente; Cabo Verde.
Com uma passagem pelas camadas jovens do S.C. Campomaiorense, entre 1999 e 2003, Rolando ingressou nos juniores do C.F. Belenenses no início da temporada de 2003/04 e logo na temporada seguinte integrou o plantel principal do clube de Belém onde jogou mais três temporadas. Foi durante esse período que passou a ser um dos defesas centrais nacionais de maior categoria e começou a ter os maiores clubes de olho em si.
Em 2008/09 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no Estádio da Luz no dia 30 de Agosto de 2008, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 2008/09 e que terminou com um empate 1-1. O primeiro golo que apontou ao serviço dos portistas foi para a Liga dos Campeões de 2008/09 na deslocação do F.C. Porto à Ucrânia, onde defrontou e venceu o F.C. Dynamo Kyiv com Rolando a abrir o marcador aos 69 minutos, na partida que terminou com o resultado de 2-1.
Rolando esteve quatro épocas ao serviço do F.C. Porto, desde 2008/09 até 2011/12, no entanto ainda foi utilizado em duas partidas no início da temporada de 2012/13.
No tempo que passou ao serviço dos portistas, Rolando disputou 175 partidas oficiais e marcou 17 golos. Foi por quatro vezes Campeão Nacional (2008/09, 2009/10, 2010/11 e 2011/12), conquistou a Taça de Portugal por três ocasiões (2008/09, 2009/10 e 2010/11), ganhou a Supertaça Cândido de Oliveira por quatro vezes (2009, 2010, 2001 e 2012) e venceu a Liga Europa em 2010/11 quando o F.C. Porto venceu o S.C. Braga em Dublin por 1-0, no que foi a única final europeia disputada entre clubes portugueses.
Em 2012/13 Rolando esteve por empréstimo dos Dragões ao serviço dos italianos do S.S. Nápoles, na temporada seguinte e também por empréstimo, ingressou no F.C. Inter de Milão, novo empréstimo na época de 2014/15 mas desta vez na Bélgica ao serviço do R.S.C. Anderlecht. Em 2015/16 e já desvinculado do F.C. Porto, Rolando rumou a França para representar o Olympique de Marselha, clube de representa atualmente.
Rolando representou a Selecção Nacional por várias vezes, esteve presente no Campeonato do Mundo de 2012 na África do Sul e também no Campeonato da Europa de 2012 na Polónia/Ucrânia.

Palmarés
1 Liga Europa
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
4 Supertaças Cândido de Oliveira

11 de março de 2019

Pratas

Carlos Joaquim Pratas nasceu no dia 1 de Janeiro de 1916 em Lisboa.
Começou por jogar futebol no Carcavelinhos F.C. e esteve no clube de Alcântara até ao final da época de 1939/40, tendo ajudado o emblema lisboeta a vencer por duas vezes o Campeonato Nacional da 2ª Divisão (1934/35 e 1938/39).
Em 1940/41 ingressou no Futebol Clube do Porto.
Estreou-se com a camisola dos Dragões no dia 20 de Outubro de 1940 no Campo da Constituição quando os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 7-1, num jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto.
Era difícil a sua estreia ter corrido melhor, pois inaugurou o marcador logo no primeiro minuto de jogo.
Pratas esteve três temporadas ao serviço dos portistas, tendo sido utilizado em 72 partidas oficiais e marcou 48 golos.
Pratas conquistou o Campeonato do Porto por duas vezes.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto

4 de março de 2019

Percy Sewel

Percy Sewel foi um dos primeiros futebolistas do Futebol Clube do Porto.
Jogador de origem inglesa, Percy Sewel pertencia aos quadros do Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club mas vestia a camisola do F.C. Porto sempre que os portistas tinham jogos de grande importância e elevada dificuldade, tal como acontecia com outros futebolistas, também britânicos, que igualmente alinhavam no Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club.
Percy Sewel foi um dos titulares na equipa portista que venceu o Real Fortuna de Vigo por 2-1 no dia 3 de Abril de 1910, um jogo realizado no Campo da Raínha e que ficou na história do futebol nacional por ter sido a primeira vitória de um clube português contra uma equipa estrangeira.
Percy Sewel não disputou muitos jogos pelo F.C. Porto, mas deixou o seu nome no história do clube.

25 de fevereiro de 2019

Ovchinnikov

Sergei Ivanovich Ovchinnikov nasceu no dia 10 de Novembro de 1970 em Moscovo na Rússia.
Com 12 anos entrou para as escolas de formação do F.K. Dinamo de Moscovo, clube onde se estreou a nível profissional no ano de 1990. Ainda nesse ano transferiu-se para os georgianos do F.C. Dinamo Sokhumi. No ano seguinte rumou ao F.K. Lokomotiv Moscovo, no emblema da capital russa Ovchinnikov permaneceu durante sete épocas tendo disputado 190 partidas oficiais e vencido a Taça da Rússia por duas vezes (1996 e 1997), foi ainda eleito o guarda-redes do ano em 1994 e em 1995. No início da temporada de 1997/98 mudou de ares, viajou para Portugal para vestir a camisola do S.L. Benfica onde esteve duas épocas. Em 1999/00 ingressou no F.C. Alverca.
No início da temporada de 2000/01 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 13 de Agosto de 2000 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e empataram 1-1 com o Sporting C.P., num jogo a contar para a 1ª mão da Supertaça Cândido de Oliveira.
Nos Dragões Ovchinnikov foi utilizado em 66 partidas oficiais. Mereceu a confiança de três treinadores: Fernando Santos, Octávio Machado e José Mourinho. Ajudou os portistas a conquistar a Taça de Portugal em 2000/01, quando derrotaram o C.S. Marítimo por 2-0 no Estádio do Jamor no dia 10 de Junho de 2001. Venceu também a Supertaça Cândido de Oliveira em 2001, mais precisamente no dia 4 de Agosto, uma partida disputada no Estádio dos Arcos e onde o Boavista F.C. saiu derrotado por 1-0.
Em 2002 regressou ao seu país natal e ao F.K. Lokomotiv Moscovo. No clube moscovita esteve mais cinco anos, tendo ganho a Liga da Rússia por duas vezes (2002 e 2004) e a Supertaça da Rússia também por duas ocasiões (2003 e 2005). Em 2006 voltou ao F.K. Dynamo Moscovo, clube que representou duas temporadas e onde terminou a sua carreira de futebolista quando tinha 36 anos.
Sergei Ovchinnikov foi internacional pela Rússia. Disputou 35 jogos oficiais, entre os anos de 1993 e 2005 e esteve presente nos Campeonatos da Europa de Futebol de 1996 na Inglaterra e em 2004 em Portugal.
Em 2007 deu início à sua carreira de treinador de guarda-redes no F.K. Dinamo Moscovo, passou por vários clubes e também pela Selecção da Rússia e atualmente treina os guardiões do C.S.K.A. Moscovo.

Palmarés
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
2 Campeonatos da Rússia
2 Taças da Rússia
2 Supertaças da Rússia

18 de fevereiro de 2019

Chico Gordo

Bernardo Francisco da Silva (Chico Gordo), nasceu no dia 2 de Outubro de 1949 em Benguela, Angola.
Era ainda miúdo quando começou a jogar futebol no F.C. Lobito. Devido ao seu grande talento acabou por viajar para Portugal com apenas 16 anos para jogar nos juniores do Futebol Clube do Porto.
Na temporada de 1968/69 integrou o plantel principal azul e branco que era comandado na altura por José Maria Pedroto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 15 de Setembro de 1968 no Estádio do Bonfim, em Setúbal, onde o F.C. Porto defrontou o Vitória F.C., num jogo a contar para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1968/69 e que os sadinos venceram por 3-1.
O primeiro golo que apontou de Dragão ao peito foi no dia 6 de Outubro de 1968, também no Campeonato Nacional de 1968/69, no jogo da 5ª jornada que os portistas ganharam por 2-0 ao Varzim F.C., com Chico Gordo a fechar o marcador aos 55 minutos.
Representou o F.C. Porto durante três temporadas, mas na última época quase não jogou (disputou apenas 3 jogos), já que foi destacado para Angola para cumprir o serviço militar.
Nas épocas em que vestiu de azul e branco, Chico Gordo disputou 35 jogos oficiais e marcou 3 golos. Não conseguiu vencer nenhum título mas esteve presente em alguns jogos particulares de relativa importância, como foi por exemplo a deslocação do F.C. Porto ao Brasil, em Janeiro de 1970, a convite do São Paulo F.C. para disputar o jogo de inauguração do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, uma partida que terminou empatada 1-1.
Em Angola, Chico Gordo jogou no F.C. Moxico e sagrou-se campeão angolano em 1972/73. Com o fim da Guerra Colonial regressou a Portugal em 1974 e ingressou no Lusitânia de Lourosa F.C. onde jogou na temporada de 1974/75. Na época seguinte transferiu-se para o S.C. Braga, tendo vestido a camisola dos arsenalistas durante cinco épocas. Em 1980/81 foi contratado pelo V. Setubal, onde permaneceu duas temporadas. Em 1982/83 jogou no S.C. Beira-Mar. Passou ainda pelo A.D. Guarda, seguiu-se o C.A. Macedo de Cavaleiros da III Divisão, onde terminou a sua carreira de futebolista.
Chico Gordo faleceu no dia 22 de Novembro de 2000.

Palmarés
1 Campeonato de Angola

11 de fevereiro de 2019

Taça Confraternização Sportiva

No ano de 1923 e no período em que não se disputavam jogos oficiais em Portugal, um grupo de sócios e jogadores do Futebol Clube do Porto organizavam partidas particulares.
Esse grupo de portistas ficou conhecido como “Onze Branco” e disputou vários jogos em todo o território nacional, principalmente no norte do país.
No dia 27 de Novembro desse ano de 1923, o “Onze Branco” mediu forças com o Leça F.C. com os portistas a conquistar o troféu “Confraternização Sportiva”, uma taça que entregaram ao F.C. Porto e que quase 100 anos depois está presente no museu dos Dragões.

4 de fevereiro de 2019

Póvoas

Fernando Soares Póvoas nasceu em Luanda no ano de 1920.
Em 1941 ingressou no futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 26 de Outubro de 1941 no Campo do Bessa, no Porto, onde os Dragões visitaram e empataram 2-2 com o Leça F.C. numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto de 1941/42.
O primeiro golo que apontou de Dragão ao peito foi também no Campeonato do Porto de 1941/42, na partida da 7ª jornada, quando os portistas defrontaram o S.C. Salgueiros no Campo da Constituição mas na condição de visitante, tendo vencido os salgueiristas por 4-1 que se adiantaram no marcador e foi Póvoas a marcar o primeiro golo dos azuis e brancos aos 12 minutos de jogo.
Póvoas representou o F.C. Porto durante três temporadas, disputou 28 jogos oficiais, marcou 8 golos e conquistou 2 Títulos (Campeonato do Porto 1942/43 e 1943/44).

Palmarés
2 Campeonatos do Porto

28 de janeiro de 2019

António de Oliveira Calém

António de Oliveira Calém nasceu no dia 30 de Agosto de 1888 na cidade do Porto.
Depois de regressar, ainda jovem, de Inglaterra onde terminou os estudos na área comercial, passou a praticar desporto, principalmente o futebol tendo mesmo representado o Boavista F.C. em alguns jogos.
Pouco tempo depois da refundação do Futebol Clube do Porto por José Monteiro da Costa em 1906, Calém trocou os boavisteiros pelos portistas e disputou algumas partidas com a camisola azul e branca. No entanto o seu nome ficou ligado à história do F.C. Porto não por aquilo que fez enquanto futebolista mas sim pelo seu trabalho já mais tarde como dirigente. Por várias vezes foi Presidente da Assembleia Geral e na Direcção presidida por Eduardo Dumont Villares foi Vice-presidente. Foi de grande importância o seu contributo para a realização dos trabalhos de construção do Estádio das Antas onde marcou presença no dia da inauguração do novo recinto de jogos dos Dragões tendo feito as honras da casa ao receber o Presidente da Republica o General Craveiro Lopes.
António Calém foi também comerciante de Vinho do Porto e chegou a Vice-presidente da Federação Internacional das Industrias e Comércio de Vinhos, Aguardentes e Licores. Foi também membro do Conselho Geral do Instituto de Vinho do Porto. Presidente do Grémio dos Exportadores de Vinho do Porto. Em 1951 foi Vereador da Câmara Municipal do Porto e entre 1951 e 1954 foi Vice-presidente da Câmara Municipal do Porto.
António de Oliveira Calém faleceu no dia 27 de Maio de 1963.

20 de janeiro de 2019

Rosado

Manuel Pereira da Silva (conhecido como: Rosado), foi um guarda-redes que representou o Futebol Clube do Porto entre os anos de 1937 e 1940.
Foi na temporada de 1937/38 que ingressou nos Dragões.
A sua estreia na defesa da baliza dos azuis e brancos aconteceu em Matosinhos, no Campo de Santana no dia 22 de Maio de 1938, onde os portistas visitaram e venceram o Leixões S.C. por 8-1, num jogo que contou para a 2ª mão da 1ª eliminatória do Campeonato de Portugal de 1937/38.
Na época seguinte Rosado disputou seis jogos oficiais, contra os 24 do outro guardião portista, Soares dos Reis. Ainda assim conquistou o Campeonato Nacional e venceu o Campeonato do Porto.
Em 1939/40 praticamente dividiu a titularidade na baliza com Soares dos Reis (9 jogos) e Bela Andrasik (15 jogos), Rosado ficou-se pelas 11 partidas disputadas o que lhe possibilitou voltar a sagrar-se Campeão Nacional.
Rosado deixou o F.C. Porto no final da temporada de 1939/40. Nas três épocas em que esteve ao serviço dos Dragões disputou 18 jogos oficiais e conquistou 4 Títulos.
Logo de seguida ingressou no S.C. Campomaiorense e em 1942/43 regressou à cidade do Porto mas para vestir a camisola do S.C. Salgueiros, onde jogou durante seis temporadas, tendo terminado a sua carreira de futebolista no final da época de 1947/48.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto

14 de janeiro de 2019

Ernesto Sá

Ernesto Sá foi um futebolista que jogou nas primeiras equipas do Futebol Clube do Porto.
Os Dragões viviam os primeiros anos de vida e no ano de 1907, em Dezembro, disputaram o primeiro jogo contra um clube estrangeiro, o que foi a primeira partida desse género realizada em Portugal.
Os Espanhois do Real Fortuna de Vigo foram os convidados desse jogo histórico e Ernesto Sá foi um dos jogadores portistas a alinhar na partida. Uma partida que se desconhece o resultado final oficial.
Ernesto Sá que para além do futebol também praticou outros desportos, o que na altura era bastante usual, mas acabou por se dedicar ao desporto que começava a despontar em Portugal, o futebol.

6 de janeiro de 2019

Rubens Júnior

Rubens Rodrigues dos Santos Júnior nasceu no dia 08 de Janeiro de 1975 em Taubaté, município do estado de São Paulo no Brasil.
Foi no E.C. Taubaté que começou a jogar futebol e onde se fez jogador sénior no ano de 1995. Ainda nesse ano transferiu-se para o S.E. Palmeiras, no ano seguinte ingressou no C.A. Bragantino, em 1997 jogou no Guarani F.C., para passar a representar o Coritiba F.C. no ano que se seguiu. Em 1999 regressou ao S.E. Palmeiras e ajudou a conquistar a Taça dos Libertadores da América.
No início da temporada de 1999/2000 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A primeira vez que vestiu a camisola dos Dragões foi no dia 15 de Agosto de 1999 no Estádio das Antas, quando os portistas receberam e venceram o S.C. Beira-Mar por 3-1, numa partida que valeu para a 2ª mão da Supertaça Cândido de Oliveira, troféu que Rubens Júnior conquistou na sua estreia.
A nível de golos, o primeiro e único que apontou de Dragão ao peito foi conseguido no Estádio do Bonfim em Setubal onde o F.C. Porto derrotou o Vitória F.C. por 4-1 no dia 13 de Dezembro de 1999 e Rubens Júnior marcou o segundo tento dos portistas aos 47 minutos, uma partida que contou para a 14ª jornada do Campeonato Nacional de 1999/2000.
Rubens Júnior representou o F.C. Porto durante três temporadas, com um empréstimo ao C.A. Paranaense pelo meio. Disputou 62 partidas oficiais, marcou 1 golo e conquistou 4 Títulos, (2 Taças de Portugal e 2 Supertaças Cândido de Oliveira.
Rubens Júnior ainda continuou vinculado ao F.C. Porto até 2004 mas foi sucessivamente emprestado ao: C.A. Mineiro, Botafogo F.R. e V. Guimarães. Em 2005 transferiu-se para o Coritiba F.C. onde já tinha jogado em 1998. No ano de 2006 ingressou no S.C. Corinthians e em 2007 rumou ao C.R. Vasco da Gama onde disputou 25 partidas oficiais e terminou a sua carreira de futebolista no final desse ano.
Em 2017 aceitou o convite do E.C. Taubaté para ser Coordenador Técnico, lugar que ocupa atualmente.
No dia 25 de Julho de 2014 voltou a pisar o relvado do Estádio do Dragão e a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto para o jogo de homenagem e despedida a Deco.

Palmarés
2 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

17 de dezembro de 2018

Mendes Correia

Joaquim António Mendes Correia foi um dos primeiros futebolistas do Futebol Clube do Porto.
Depois de fazer parte do Grupo do Destino, Mendes Correia passou a integrar o F.C. Porto logo após a refundação do clube por José Monteiro da costa em 1906.
Jogador e também sócio dos Dragões, Mendes Correia, tal como os seus companheiros do extinto Grupo do Destino, participou nos primeiros jogos dos portistascontra os ingleses do Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club e também do Boavista Footballers Club.
Mendes Correia não jogou futebol durante muitos mais anos, mas deixou o seu nome ligado à história do F.C. Porto.

10 de dezembro de 2018

Marcano

Iván Marcano Sierra nasceu no dia 23 de Junho de 1987 em Santander, Espanha.
Com 11 anos começou a jogar futebol nas camadas jovens do principal clube da sua terra, o Real Racing Club de Santander. Nos anos seguintes, Marcano passou por todos os escalões de formação do emblema verde e branco até que no início da temporada de 2006/07 passou a sénior. Começou por jogar na equipa B mas depressa conquistou a titularidade na formação principal onde permaneceu até ao final da época de 2008/09. Na temporada seguinte transferiu-se para o Villarreal C.F., em 2010/11 foi emprestado ao Getafe C.F. e em 2011/12, também por empréstimo, rumou à Grécia para representar o P.A.E. Olympiacos, tendo conquistado o campeonato grego e também a Taça da Grécia. No início da temporada de 2012/13 desvinculou-se do Villarreal C.F. e transferiu-se para os russos do F.C. Rubin Kazan, permaneceu nos Tatars durante um ano e meio e venceu a Supertaça da Russia de 2012. Em Janeiro de 2014 voltou ao P.A.E. Olympiakos de novo por empréstimo e voltou a sagrar-se Campeão da Grécia.
No início da temporada de 2014/15 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 21 de Setembro de 2014 no Estádio do Dragão na recepção ao Boavista F.C., um jogo que terminou empatado a zero e que contou para a 5ª jornada do Campeonato Nacional de 2014/15.
Desde que assumiu a titularidade no eixo da defesa portista, Marcano passou a ser um dos principais jogadores do plantel, chegou a capitão e foi um dos futebolistas mais respeitados na equipa azul e branca.
Apesar de ser defesa central passou a ser um jogador importante nos lances ofensivos de bola parada e prova disso são os golos que marcou, aumentando de número a cada temporada que passava, na primeira época ficou em branco, na segunda marcou dois, na terceira chegou aos cinco e na quarta época apontou sete golos. A estreia a marcar de azul e branco teve lugar no Estádio do Dragão quando os portistas receberam e venceram o C.F. Belenenses por 4-0, apontou o último golo do jogo aos 88 minutos, uma partida que valeu para a 7ª jornada do Campeonato Nacional de 2015/16.
No final da temporada de 2017/18 deixou o F.C. Porto. Ao serviço dos portistas Marcado permaneceu durante 4 épocas, disputou 156 jogos oficiais, marcou 14 golos e sagrou-se Campeão Nacional em 2017/18.
Na temporada de 2018/19 transferiu-se para os italianos do A.S. Roma.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos da Grécia
1 Taça da Grécia
1 Supertaça da Rússia

3 de dezembro de 2018

Florêncio

Florêncio Ribeiro do Paço foi um futebolista português que representou o Futebol Clube do Porto na década de quarenta.
Ingressou nos Dragões no início da temporada de 1942/43.
A primeira vez que vestiu a camisola azul e branca foi no dia 27 de Dezembro de 1942 no Campo da Constituição onde os portistas receberam e venceram o Académico F.C. por 7-3, num jogo que contou para a 10ª jornada do Campeonato do Porto. Competição que ajudou os Dragões a vencer.
Florêncio jogou no F.C. Porto apenas na época de 1942/43. Conquistou 1 Título, disputou 9 jogos oficiais e marcou 2 golos.
Os dois golos que apontou valeram a vitória do F.C. Porto sobre o C.F. Belenenses por 3-1. Florêncio abriu o marcador aos 32 minutos e fechou a contagem aos 77 minutos, numa partida que valeu para a 10ª jornada do Campeonato Nacional.

Palmarés
1 Campeonato do Porto

26 de novembro de 2018

Luís César

Luís César nasceu no dia 21 de Fevereiro de 1944 em Santa Cruz da Trapa, uma pequena aldeia perto de S. Pedro do Sul.
Com 11 anos foi viver para a cidade do Porto para nunca mais dali sair. Estudou na cidade Invicta e terminados os estudos fez-se jornalista, passou pelo “Jornal do Desporto”, foi director da secção desportiva do “Comércio do Porto”, ainda fez relatos de futebol e de hóquei em patins na rádio “Emissores do Norte Reúnidos” e também trabalhou nas “tardes Desportivas da Renascença”.
Em 1976 deixou de lado o jornalismo para passar a ser Secretário Técnico no plantel principal do Futebol Clube do Porto.
Foi pela mão de Jorge Nuno Pinto da Costa e de José Maria Pedroto que Luís César deu entrada nos Dragões.
Homem de um grande rigor, disciplinado e de uma forte capacidade organizativa, Luís César foi durante mais de trinta anos um dos principais responsáveis pelo bom desempenho de tudo o que estava ligado ao futebol profissional dos azuis e brancos.
Viveu bem de perto muitas das grandes vitórias do F.C. Porto até se reformar em 2008.
No ano de 2016 foi homenageado com o Dragão de Ouro para a Recordação do Ano.

19 de novembro de 2018

Rui Jorge

Rui Jorge Sousa Dias Macedo Oliveira nasceu no dia 27 de Março de 1973 em Vila Nova de Gaia.
Começou a jogar futebol nas escolas do Futebol Clube do Porto com 8 anos de idade e depois de ter passado por todos os escalões de formação e de se ter sagrado Campeão Nacional de Juniores A (1989/90), B (1987/88 e 1988/89) e C (1985/86), ascendeu à categoria de sénior no final da temporada de 1990/91.
Em 1991/92 representou o Rio Ave F.C. por empréstimo dos portistas.
Na época de 1992/93 regressou ao F.C. Porto para integrar o plantel principal.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 27 de Dezembro de 1992 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Juventude de Évora por 4-0, num jogo a contar para a 5ª eliminatória da Taça de Portugal de 1992/93.
Rui Jorge esteve durante seis épocas ao serviço dos Dragões tendo conquistado 10 Títulos, pois sagrou-se Campeão Nacional por 5 vezes (1992/93, 1994/95, 1995/96, 1996/97 e 1997/98), conquistou 2 Taças de Portugal (1993/94 e 1997/98) e ganhou 3 Supertaças Cândido de Oliveira (1993, 1994 e 1996).
No final da temporada de 1997/98 deixou o F.C. Porto. Jogou de Dragão ao peito por 134 vezes tendo apontado 4 golos.
Em 1998/99 transferiu-se para o Sporting C.P.. No clube leonino esteve durante sete épocas e venceu dois Campeonatos Nacionais (1999/00 e 2001/02), 1 Taça de Portugal (2001/02) e 2 Supertaças Cândido de Oliveira (2000 e 2002). Em 2005/06 ingressou no C.F. Belenenses tendo terminado a sua carreira de futebolista no final dessa mesma época.
Rui Jorge vestiu também a camisola da Selecção Nacional por 45 vezes e marcou 1 golo. Esteve presente nos Jogos Olímpicos de 1996, Nos Campeonatos da Europa de 2000 e 2004 e no Campeonato do Mundo de 2002.
Em 2006/07 assumiu a função de treinador dos sub-19 do C.F. Belenenses, cargo que ocupou até 2010. Em 2011 passou a trabalhar para a Federação Portuguesa de Futebol como treinador dos Sub-21 Nacionais.

Palmarés
7 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
5 Supertaças Cândido de Oliveira

12 de novembro de 2018

Hermann Stessl

Hermann Stessl nasceu no dia 3 de Setembro de 1940 em Graz, Áustria.
Aos 12 anos entrou para as escolas do Grazer A.K. onde passou por todos os escalões de formação do clube da sua terra até chegar à categoria de sénior em 1957. Logo na temporada de 1957/58 integrou o plantel principal do Grazer A.K. e não demorou até agarrar o lugar no meio-campo do clube de Graz, lugar que ocupou durante doze anos, tantos como os que actuou no Grazer A.K.. Em 1969/70 jogou no F.C. Dornbirn onde conquistou o Campeonato Regional de Vorarlberg, terminando a sua carreira de futebolista no final dessa mesma época.
Na temporada de 1972/73 deu inicio à sua carreira de treinador ao assumir o comando técnico do Kapfenberger S.V.. Na época seguinte regressou ao Grazer A.K. para treinar o clube onde jogou durante quatro temporadas, tendo vencido o Campeonato da Áustria da 2ª Divisão. Entre 1977/78 e 1979/80 orientou o F.K. Austria Wien onde se sagrou Campeão da Áustria em todas essas três épocas. Ainda em 1980 teve uma breve passagem pelo futebol grego ao comandar o A.E.K. de Atenas.
No início da temporada de 1980/81 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia em jogos oficiais como treinador dos Dragões aconteceu no dia 24 de Agosto de 1980 no Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde os portistas venceram por 2-1 o Sporting C.P. numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1980/81.
Hermann Stessl que esteve duas temporadas ao serviço do F.C. Porto, conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira em Dezembro de 1981, quando os portistas derrotaram o S.L. Benfica por 4-1 no Estádio das Antas, eliminando assim uma desvantagem de 2-0 trazida uma semana antes de Lisboa.
Stessl que na primeira temporada conseguiu um 2º lugar no Campeonato Nacional (a 2 pontos do 1º), foi finalista da Taça de Portugal e venceu a Taça Associação de Futebol do Porto. Já na segunda época ficou-se pelo 3º lugar (a 3 pontos do 1º) ao passo que na Taça de Portugal ficou pelo caminho nos quartos-de-final.
No total das duas épocas, Stessl treinou os Dragões em 84 jogos oficiais, conseguiu 53 vitórias e 18 empates com 2 Títulos conquistados.
Em 1982/83 ingressou no Boavista F.C., para na temporada seguinte rumar ao V. Guimarães. Em 1985/86 regressa à Áustria e ao F.K. Austria Wien. Em 1986/87 segue para a Suíça para treinar o F.C. Zurich durante duas temporadas. Em 1988/89 assume o comando técnico dos espanhóis do Real Racing Club Santander. Na época seguinte volta ao seu país natal e passa a ser o treinador do S.C. Eisenstadt. Em 1991/92 vai orientar o Kremser S.C.. Em 1992/93 volta mais uma vez ao F.K. Austria Wien. Na temporada de 1993/94 e 1994/95 assume o lugar de treinador e conquista o Campeonato da Áustria e a Supertaça da Áustria nessas duas épocas. Na temporada seguinte transfere-se para o vizinho F.C. Red Bull Salzburgo, terminando a sua carreira de treinador no final dessa época de 1995/96.
Contudo não deixou o futebol de lado e fundou uma escola de futebol para jovens até aos 15 anos.

Palmarés como jogador
1 Campeonato Regional de Vorarlberg

Palmarés como treinador
5 Campeonatos da Áustria
1 Campeonato da Áustria 2ª Divisão
2 Supertaças da Áustria
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

5 de novembro de 2018

António Campos

António Campos foi um dos primeiros futebolistas do Futebol Clube do Porto.
Amigo de José Monteiro da Costa, acompanhou-o juntamente com outros seus colegas do Grupo do Destino quando o Engenheiro re-fundou o clube em 1906.
António Campos disputou algumas partidas que eram organizadas na altura, principalmente contra os ingleses do Boavista Footballers Club e também contra o Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club.
Apesar de não ter efectuado um grande número de jogos, António Campos deixou o seu nome na história do F.C. Porto por ter sido um dos pioneiros no futebol do clube e também de Portugal.

29 de outubro de 2018

Hélder Postiga

Hélder Manuel Marques Postiga nasceu no dia 2 de Agosto de 1982 em Vila do Conde.
Foi no Varzim S.C. que começou a jogar futebol, até ingressar nos juvenis do Futebol Clube do Porto aos 14 anos. Percorreu todos os escalões de formação dos portistas, tendo vencido o Campeonato Nacional de Juniores C em 1996/97, e o Campeonato Nacional de Juniores B em 1997/98.
Na temporada de 2001/02 integrou o plantel principal dos Dragões.
A sua estreia como sénior com a camisola azul e branca aconteceu no dia 1 de Agosto de 2001 no Estádio Jenner Park, no País de Gales, onde os portistas defrontaram o Barry Town United F.C. no jogo da 2ª mão da 2ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões de 2001/02, tendo os galeses vencido por 3-2, depois de uma semana antes terem perdido por 8-0 na partida da 1ª mão.
Já o primeiro golo que Hélder Postiga apontou com a camisola dos Dragões foi no jogo contra os suíços do Grasshopper C.Z. disputado no Estádio das Antas no dia 8 de Agosto de 2001, que contou para a 1ª mão da 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões e que terminou empatado 2-2, com Postiga a marcar o segundo golo dos portistas aos 59 minutos de jogo.
Postiga representou o F.C. Porto durante 6 temporadas, não foram consecutivas pois teve uma passagem pelos ingleses do Tottenham Hotspur F.C. em 2003/04, esteve emprestado aos franceses do A.S. Saint-Étienne entre Janeiro e Maio de 2006 e aos gregos do Panathinaikos A.O. também entre Janeiro e Maio mas de 2008.
Enquanto esteve ao serviço dos Dragões, disputou 164 partidas oficiais, marcou 49 golos e conquistou 11 Títulos: 1 Taça Intercontinental (2004/05), 1 Taça UEFA (2002/03), 4 Campeonatos Nacionais (2002/03, 2005/06, 2006/07 e 2007/08), 2 Taças de Portugal (2002/03 e 2005/06) e 3 Supertaças Cândido de Oliveira (2001/02, 2004/05 e 2006/07).
Em 2008/09 ingressou no Sporting C.P. Em 2011/12 rumou a Espanha para jogar no Real Zaragoza durante duas épocas. Em 2013/14 transferiu-se para o Valencia C.F. sendo emprestado aos italianos do S.S. Lazio ainda no decorrer dessa temporada. Em 2014/15 jogou no R.C. Deportivo Coruña. Na temporada seguinte segue para a India onde jogou no Atlético de Kolkata, mas no início de 2016 regressa a Portugal para vestir a camisola do rio Ave F.C., no entanto volta aos indianos do Atlético de Kolkata em Agosto, ainda a tempo de disputar onze jogos e sagrar-se Campeão indiano de 2016. No final desse ano decidiu terminar a sua carreira de futebolista.
Hélder Postiga foi internacional por Portugal em 71 ocasiões e marcou 27 golos. Esteve presente nos Campeonatos da Europa de 2004, 2008 e 2012 e nos Campeonatos do Mundo de 2006 e 2014.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Taça UEFA
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Índia
2 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira

22 de outubro de 2018

Taça Valais

A Taça Valais era um torneio amigável organizado pela Matchworld Football S.A. e que se disputava no verão.
A primeira edição aconteceu no ano de 2013 e os jogos foram todos disputados na Suíça, na cidade de Valais e no Estádio Tourbillon.
Foram cinco as equipas participantes: F.C. Sion da Suíça, V.L. Wolfsburgo da Alemanha, A.S. Saint-Étienne de França, Olympique Marselha de França e o Futebol Clube do Porto. O vencedor foi a equipa que conseguiu a melhor média de pontos nos jogos disputados.
Os Dragões realizaram uma partida, no dia 13 de Julho, contra o Olympique Marselha e venceram por 3-0, com golos de Izmailov, Jackson e Iturbe, somando assim 3 pontos, o que foi o suficiente para erguerem o troféu e conquistar a Taça Valais.
Foi também nesse jogos que Hector Herrera e Diego Reyes se estrearam com a camisola azul e branca, apesar de não ser numa partida de caracter oficial.
A Taça Valais ainda se disputou até 2015 mas a partir de 2016 mudou de nome e de formato, passou a chamar-se: Festival de Futebol dos Alpes, aumentou o número de clubes participantes e passou a ser disputado na Suíça e também em França.

15 de outubro de 2018

Seitaridis

Giorgios Seitaridis nasceu no dia 4 de Junho de 1981 em Pireu, Grécia.
Começou por jogar futebol nas escolas do P.A.S. Giannina e em 1998/99 passou à categoria de sénior e integrou o plantel principal do clube de Janina. Em 2000/01 transferiu-se para o Panathinaikos A.O., representou o clube de Atenas durante quatro temporadas e venceu o campeonato grego e a Taça da Grécia em 2003/04.
No início da época de 2004/05 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 20 de Agosto de 2004 no Estádio Cidade de Coimbra, onde os portistas venceram o S.L. Benfica por 1-0 no jogo da Supertaça Cândido de Oliveira.
Seitaridis apenas esteve uma temporada ao serviço do F.C. Porto mas depressa agarrou a titularidade na equipa como lateral direito e foi nessa posição que conquistou a Taça Intercontinental quando os Dragões venceram os Campeões Sul-Américanos do C.D. Once Caldas.
De Dragão ao peito Seitaridis disputou 34 jogos oficiais e conquistou 2 Títulos.
Em 2005/06 rumou à Russia para jogar no F.K. Dinamo Moscovo. Em 2006/07 transferiu-se para o Atlético de Madrid onde esteve durante três temporadas. Em 2009/10 voltou à Grécia e regressou ao Panathinaikos A.O. tendo conquistado de novo o campeonato grego e a Taça da Grécia de 2009/10. Ainda vestiu a camisola do emblema de Atenas até ao final da temporada de 2012/13 quando deu por terminada a sua carreira de futebolista.
Seitaridis representou a Selecção da Grécia por 72 vezes e marcou 1 golo. Esteve presente no Campeonato do Mundo de 2010, na Taça das Confederações de 2005 e nos Campeonatos da Europa de 2004 e 2008, tendo conquistado o troféu de Campeão Europeu em 2004.

Palmarés
1 Campeonato da Europa (Selecções)
1 Taça Intercontinental
2 Campeonatos da Grécia
2 Taças da Grécia
1 Supertaça Cândido de Oliveira

8 de outubro de 2018

Chico

Francisco Zeferino Leite Costa (Chico), foi um futebolista português que jogou no Futebol Clube do Porto na década de quarenta.
A jogar como defesa, esteve durante seis épocas ao serviço dos Dragões (1942 a 1944, 1945 a 1947 e 1948 a 1950).
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 29 de Novembro de 1942 no Campo Augusto Leça, no Porto, onde os azuis e brancos venceram o Boavista F.C. por 5-3, num jogo a contar para a 6ª jornada do Campeonato do Porto de 1942/43.
Chico conquistou por quatro vezes o Campeonato do Porto nas temporadas de: 1942/43, 1943/44, 1945/46 e 1946/47).
Nas seis épocas em que defendeu a camisola do F.C. Porto, disputou 34 jogos oficiais, 21 para o Campeonato Nacional, 12 para o Campeonato do Porto e 1 para a Taça de Portugal.
No final da temporada de 1949/50 deixou o F.C. Porto.

Palmarés
4 Campeonatos do Porto

1 de outubro de 2018

Cândido de Oliveira

Cândido Fernandes Plácido de Oliveira nasceu no dia 24 de Setembro de 1896 em Fronteira.
Órfão desde bastante criança, entrou para a Casa Pia no ano de 1905 onde começou a mostrar os seus dotes na prática do futebol. Em 1914 e com 18 anos, ingressou no S.L. Benfica onde jogou durante seis temporadas, tendo vencido por uma vez o Campeonato de Lisboa. Em 1920 deixou os encarnados e fundou o Casa Pia Atlético Clube.
Logo no ano da sua fundação em 1920/21, Cândido de Oliveira ajudou o seu novo clube a conquistar o Campeonato de Lisboa e a Taça Associação de Futebol de Lisboa, ambos sem conhecer a derrota, Um feito único e que nunca foi igualado pelos maiores emblemas da capital.
O Casa Pia A.C. foi o primeiro clube nacional a jogar em Paris, o jogo foi no Estádio Pershing contra o campeão francês, o Cercle Athletic Paris que venceu por 2-1, com o golo dos casapianos a ser marcado por Cândido de Oliveira.
Em Dezembro de 1922 o Futebol Clube do Porto solicitou junto dos dirigentes do Casa Pia A.C. o empréstimo de Cândido dos Reis, Augusto Gomes e José Maria Gralha.
Os três jogadores integraram a comitiva portista que partiu rumo a Sevilha e Gibraltar para efetuar quatro partidas amigáveis. O primeiro jogo aconteceu no último dia do ano contra o Sevilha F.C. e os campeões espanhóis venceram por 7-2, no dia seguinte os dois clubes voltaram a defrontar-se e os andaluzes repetiram a vitória, desta vez por 5-2. No dia 7 de Janeiro de 1923 e já em Gibraltar a selecção local derrotou os Dragões por 2-0, dois dias mais tarde a equipa Prince of Wales, campeão territorial e que era formada na totalidade por ingleses venceu o F.C. Porto por 6-3. Todos os golos nesses jogos apontados pelos Dragões foram marcados por Cândido de Oliveira e logo os dirigentes portistas o tentaram convencer a vestir em definitivo de azul e branco, mas Cândido de Oliveira preferiu continuar no clube que criou até terminar a sua carreira de futebolista em 1926.
Ainda nessa ano de 1926 abraça a carreira de treinador e assume o cargo de Selecionador Nacional, lugar que ocupou durante 15 anos, tendo pelo meio passado pelo C.F. Belenenses. Em 1945/46 passa a treinar o Sporting C.P., orienta os leoninos durante três temporadas e conquista por duas vezes o Campeonato Nacional e vence duas Taças de Portugal. Em 1950 ruma ao Brasil para comandar o C.R. Flamengo. No ano seguinte volta a Portugal e à Selecção Nacional.
Em Janeiro de 1953 regressa ao F.C. Porto. Treina os Dragões até ao final da época seguinte e embora não tenha conseguido nenhum título deixa boas indicações, como aconteceu em Abril de 1954 quando no dia 17 o F.C. Porto recebeu no Estádio das Antas o Real Madrid C.F. e goleou os espanhóis por 5-2.
Em 1955/56 assume o comando técnico da Académica de Coimbra, lugar que ocupou até 1958.
Cândido de Oliveira foi internacional por Portugal, vestiu a camisola das Quinas no primeiro jogo que a Selecção Nacional disputou em 1921.
Foi jornalista desportivo e em 1945 fundou o jornal “A Bola”, junto com António Ribeiro dos Reis e Vicente de Melo. E foi como jornalista e enviado-especial do jornal “A Bola” ao Campeonato do Mundo de 1958 na Suécia que sofreu uma pneumonia que originou à sua morte no dia 23 de Junho desse ano.
Em homenagem ao seu trabalho no futebol nacional, a Federação Portuguesa de Futebol deu o seu nome à Supertaça que foi criada em 1979.

Palmarés como jogador
2 Campeonatos de Lisboa

Palmarés como treinador
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal

24 de setembro de 2018

Américo de Sá

Américo de Sá nasceu no dia 4 de Outubro de 1931 na Póvoa de Varzim.
Foi o 30º Presidente do Futebol Clube do Porto, sucedeu a Afonso Pinto de Magalhães em 1972 e manteve-se no comando dos azuis e brancos até ao ano de 1982.
Sócio do F.C. Porto desde 1955, chegou a desempenhar outros cargos em anteriores direcções. Chegou também ao mundo da política onde foi deputado pelo CDS e vice-presidente na Assembleia da Republica. Ocupou ainda cargos na Câmara Municipal do Porto, como os pelouros do Desporto e do Trânsito.
Durante o seu mandato presidencial nos Dragões, que foi um dos mais longos, foi o responsável por várias obras, como a construção da Arquibancada do Estádio das Antas e do Pavilhão Gimnodesportivo.
No plano desportivo, viu os Dragões a conquistar a Taça de Portugal da temporada de 1976/77 depois de vencer o S.C. Braga por 1-0 no Estádio das Antas. Em 1977/78 o F.C. Porto sagrou-se Campeão Nacional, título que voltou a vencer na temporada seguinte. Em 1981 os portistas ganharam a sua primeira Supertaça Cândido de Oliveira.
Em Outubro de 1979 e ao vencer em Itália o A.C. Milan por 1-0, golo de Duda, o F.C. Porto obteve a sua primeira vitória como equipa visitante na Taça dos Clubes Campeões Europeus.
Todas essas conquistas já contaram com a chefia do Departamento de Futebol de Jorge Nuno Pinto da Costa que voltou a trazer para as Antas o treinador José Maria Pedroto e ambos passaram a bater o pé e a contestar o até então domínio do futebol nacional pelos clubes de Lisboa, uma tomada de posição que não era do agrado do Dr. Américo de Sá que resolveu afastar do clube tanto a equipa técnica como Pinto da Costa, mas não contava era que a grande maioria dos jogadores do clube optassem por se manter ao lado do treinador José Maria Pedroto e também de Pinto da Costa. Um caso que o obrigou a deixar a presidência do F.C. Porto.
Dr. Américo de Sá foi eleito Presidente Honorário do F.C. Porto e ainda distinguido com o Dragão de Ouro.
Foi um dos Presidentes portistas com o mandato mais longo (10 anos), e um dos mais vitoriosos com quatro Títulos Nacionais conquistados.
Faleceu no dia 22 de Setembro de 1989.

17 de setembro de 2018

Clayton

Clayton Ferreira Cruz nasceu no dia 19 de Julho de 1975 em São João do Paraíso, Brasil.
Começou a jogar futebol no Clube Atlético Mineiro, tendo passado por todos os escalões de formação do clube de minas Gerais, até chegar à categoria de sénior em 1992. No ano seguinte integrou o plantel profissional do Atlético Mineiro, equipa onde jogou durante sete temporadas, com uma breve passagem pelo Guarani F.C. em 1997 e pelo américa F.C. em 1999, ambos os casos por empréstimo. Em 1999/2000 rumou a Portugal para jogar no C.D. Santa Clara, no clube de Ponta Delgada Clayton marcou 9 golos em 13 jogos disputados e não demorou a ter os maiores clubes nacionais interessados em si.
Em Dezembro de 1999 é contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 20 de Dezembro de 1999 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o S.C. Farense por 5-0, numa partida a valer para a 15ª jornada do Campeonato Nacional de 1999/00.
Clayton representou o F.C. Porto durante três épocas e meia. Marcou 26 golos em 117 jogos oficiais. Conquistou 7 Títulos: 2 Supertaças Cândido de Oliveira, 3 Taças de Portugal, 1 Campeonato Nacional e 1 Taça UEFA.
Apesar de não ter sido um titular indiscutível na equipa azul e branca, Clayton teve um papel importante em vários jogos, como contra os alemães do Hertha de Berlim S.C. em que marcou o único golo da vitória dos Dragões, uma jogada em que passou em velocidade por quatro adversários e terminou com um toque colocado à saída do guardião germânico. Uma vitória que valeu a passagem aos Quartos-de-final da Liga dos Campeões de 1999/00.
Depois de deixar o F.C. Porto, no final da temporada de 2002/03, Clayton nunca mais festejou nenhum título. Passou sem brilho pelo Sporting C.P., F.C. Penafiel e V. Guimarães, ainda regressou ao Brasil para jogar no Sport club do Recife, mais tarde rumou ao Chipre onde jogou no Alki Larnaca, A.S. Omonia e A.E.L. Limassol, em 2011 retornou ao Brasil para jogar durante dois anos no Serrano S.C., onde terminou a carreira de futebolista no final de temporada de 2012.

Palmarés
1 Taça UEFA
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira

10 de setembro de 2018

Carlos Manuel

Carlos Manuel Gomes Dias nasceu no dia 10 de Fevereiro de 1940 em Santo Tirso.
Começou a jogar futebol nas camadas jovens do F.C. Tirsense e passou por todos os escalões de formação do clube jesuíta até chegar à categoria de sénior em 1960.
No início da temporada de 1964/65 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 18 de Outubro de 1964 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Lusitano G.C. de Évora por 1-0, num jogo que contou para a 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1964/65.
A nível de golos, estreou-se a marcar de Dragão ao peito no dia 27 de Dezembro, também num jogo a contar para o Campeonato Nacional de 1964/65, ao apontar os três golos da vitória portista sobre o Varzim S.C. por 3-1, na partida da 11ª jornada disputada no Estádio das Antas.
Carlos Manuel representou o F.C. Porto durante três épocas. Disputou 37 jogos oficiais, marcou 12 golos e conquistou por 2 vezes a Taça Associação de Futebol do Porto (1964/65 e 1965/66).
Nas três temporadas em que serviu o F.C. Porto, nunca se impôs como um titular indiscutível e no final da época de 1965/66 deixou as Antas.
Em 1966/67 regressou ao F.C. Tirsense onde jogou durante seis temporadas, para ingressar no Clube Desportivo das Aves onde jogou na época de 1973/74, tendo terminado a sua carreira de futebolista no final dessa mesma temporada.

Palmarés
2 Taças Associação de Futebol do Porto

3 de setembro de 2018

Frank Robinson

Frank Robinson foi um futebolista de origem britânica que representou o Futebol Clube do Porto nos primeiros anos de existência do clube.
À imagem de outros jogadores, seus compatriotas que actuavam em Portugal, Robinson jogava no Oporto Cricket and Lwn-Tennis Club, no entanto quando os Dragões defrontavam equipas de elevado grau de dificuldade os britânicos, assim conhecidos na época pelos adeptos portistas, vestiam a camisola do F.C. Porto.
Foi o que aconteceu por exemplo no dia 3 de Abril de 1910 quando os portistas receberam os espanhóis do Real Fortuna de Vigo, com os campeões da Galiza a serem derrotados por 2-1. Um jogo em que Frank Robinson participou e que marcou a primeira vitória do F.C. Porto sobre um clube estrangeiro.
Frank Robinson ainda vestiu por várias vezes a camisola do F.C. Porto, deixando o seu nome na história do clube azul e branco.

27 de agosto de 2018

Ernesto Pereira

Ernesto Fernando Sousa Pereira nasceu no dia 16 de Setembro de 1946 na cidade do Porto.
Começou a jogar futebol nas camadas jovens do Futebol Clube do Porto e no final da temporada de 1964/65 ascendeu à categoria de sénior.
Em 1965/66 integrou o plantel principal portista, treinado na altura pelo brasileiro Flávio Costa.
A sua estreia, como sénior, com a camisola do F.C. Porto aconteceu no dia 17 de Outubro de 1965 no Estádio do Restelo, em Lisboa, onde os portistas mediram forças com o C.F. Belenenses, numa partida que valeu para a 6ª jornada do Campeonato Nacional de 1965/66 e que os homens de Belém venceram por 2-1.
O primeiro golo que apontou de azul e branco, nos séniores, aconteceu no jogo da 4ª jornada do Campeonato Nacional de 1966/67 na recepção à Académica de Coimbra, em que o F.C. Porto não foi além de um empate 1-1 e que Ernesto Pereira inaugurou o marcador aos 70 minutos.
Nas duas temporadas em que jogou no F.C. Porto, Ernesto Pereira apenas conquistou um título, que foi a Taça Associação de Futebol do Porto na época de 1965/66. Disputou 27 jogos oficiais e marcou 2 golos.
Em 1967/68 ingressou no F.C. Tirsense onde jogou durante cinco épocas, e onde ajudou a vencer o Campeonato Nacional da 2ª Divisão. Em 1972/73 foi contratado pelo V. Guimarães onde permaneceu durante três temporadas. Em 1975/76 transferiu-se para o S.C. Salgueiros, vestiu a camisola do clube de Paranhos durante sete épocas, venceu a Taça Associação de Futebol do Porto em 1979/80 e terminou a carreira de futebolista no ano de 1982.

Palmarés
2 Taça Associação de Futebol do Porto
1 Campeonato Nacional 2ª Divisão

20 de agosto de 2018

Rui Águas

José Rui Lopes Águas nasceu no dia 28 de abril de 1960 em Lisboa.
Ainda muito jovem começou a jogar futebol nas escolas do S.L. Benfica, passou depois pelo Clube Atlético e Cultural da Pontinha e pelos sub-17 do Sporting C.P.
Em 1980 e já como sénior ingressou no G.D. Sesimbra onde jogou duas temporadas. Em 1982/83 defendeu as cores do Atlético C.P.. Na temporada seguinte transferiu-se para o Portimonense S.C. tendo jogado nos algarvios duas épocas e contribuiu para a melhor classificação de sempre no Campeonato Nacional dos Alvinegros, que foi o 5º lugar na época de 1984/85. Em 1985/86 rumou ao S.L. Benfica, jogou três temporadas no clube da Luz e conquistou os primeiros Títulos ao vencer a Taça de Portugal em 1985/86 e 1986/87 e o Campeonato Nacional em 1986/87.
No início da época de 1988/89 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 24 de Agosto de 1988 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e empataram 0-0 com o Boavista F.C. num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1988/89.
Rui Águas que no F.C. Porto ganhava onze vezes mais do que no S.L. Benfica, jogou de azul e branco durante duas temporadas. Nesse período de tempo sagrou-se Campeão Nacional em 1989/90 e disputou 80 jogos oficiais com 40 golos apontados.
No início foi olhado com alguma desconfiança, por ter chegado de um clube rival, mas com o passar do tempo e principalmente com o seu profissionalismo e empenho, acabou por conseguir o respeito dos exigentes sócios portistas que ainda o consideram um dos melhores pontas de lança que passaram pelos Dragões.
Em 1990/91 regressou ao S.L. Benfica onde jogou mais quatro épocas tendo vencido o Campeonato Nacional por duas vezes e a Taça de Portugal por uma ocasião. Em 1994/95 ingressou no C.F. Estrela da Amadora, onde fez 9 jogos oficiais. Ainda nessa temporada rumou a Itália para jogar no A.C. Reggiana, tendo terminado a sua carreira de futebolista no final dessa época.
Rui Águas representou também a Selecção Nacional por 31 vezes tendo marcado 10 golos. Marcou presença no Campeonato do Mundo de 1986.
Em 1996 assumiu o cargo de treinador adjunto na Selecção Nacional. Em 1999 passou a treinador principal do G.D. Estoril e depois pelo V. Setúbal. Em 2002/03 voltou a treinador adjunto no C.S. Marítimo, na temporada seguinte passou a exercer idêntico cargo no S.C. Braga onde esteve três épocas. Em 2007 voltou ao S.L. Benfica para trabalhar no departamento de Scouting. Em 2012/12 rumou à Arabia Saudita para assumir o cargo de técnico principal dos sub-18 do Al Hilal Saudi F.C.. Em 2014 passou a treinador da Selecção de Cabo Verde deixando o cargo no ano seguinte, mas em 2018 voltou a comandar a equipa africana depois de uma breve passagem pelos egípcios do Pharco F.C.

Palmarés
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal

13 de agosto de 2018

Araújo

Araújo foi um dos primeiros futebolistas a integrar o plantel do Futebol Clube do Porto.
Quando em 1906 José Monteiro da Costa refundou o clube, deixando cair o Grupo do Destino para abraçar o novo projeto iniciado anos antes pelo seu amigo António Nicolau de Almeida, Araújo e todos os seus companheiros passaram representar o F.C. Porto.
Os primeiros jogos eram quase sempre contra os ingleses que integravam o Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club e também o Boavista Footballers.
Araújo, que jogava como avançado, jogou com outros jogadores que entraram para a história dos Dragões como: José Bacelar, Ivo Lemos, Joaquim Freitas e António Martins.
Araújo também escreveu o seu nome nas primeiras páginas da história do F.C. Porto e do futebol português.

6 de agosto de 2018

Franco

Norberto Filipe Franco foi um futebolista que na década de quarenta passou pelo Futebol Clube do Porto.
Foi na temporada de 1944/45 que Franco representou os Dragões.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 24 de Setembro de 1944 no Campo da Constituição onde os portistas empataram 2-2 com o Leça F.C. numa partida que contou para a 2ª jornada do Campeonato do Porto.
O primeiro golo que marcou de Dragão ao peito foi também nesse jogo e aconteceu aos 45 minutos quando inaugurou o marcador.
Franco apenas esteve nessa época de 1944/45 ao serviço do F.C. Porto. Disputou 19 jogos oficiais, marcou 5 golos e conquistou o Campeonato do Porto que foi selado na última jornada com uma vitória esmagadora sobre o Académico F.C. por 11-0 e que teve o contributo de Franco que marcou o décimo golo do jogo.
Nessa única temporada que Franco representou o F.C. Porto, foi utilizado 10 vezes no Campeonato Nacional (1 golo marcado) e 9 vezes no Campeonato do Porto (4 golos marcados).

Palmarés
1 Campeonato do Porto

30 de julho de 2018

Diego

Diego Ribas da Cunha nasceu no dia 28 de Fevereiro de 1985 em Ribeirão Preto no Brasil.
Ainda criança começou a jogar futebol num pequeno clube da sua terra natal, o Comercial F.C., depois passou pelo C.A. Paulistinha e aos 11 anos entrou para as camadas jovens do Santos F.C. onde percorreu todos os escalões de formação até chegar a sénior no final de 2001. No ano seguinte integrou o plantel principal e ainda permaneceu no clube de Vila Belmiro durante três temporadas, tendo conquistado o Campeonato Brasileiro em 2002 e 2004 e tornou-se um dos principais jogadores do Santos F.C., sendo assediado por vários clubes europeus.
No início da temporada de 2004/05 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Coimbra foi onde se estreou com a camisola dos Dragões, no dia 20 de Agosto de 2004, onde venceu a Supertaça Cândido de Oliveira depois do F.C. Porto derrotar o S.L. Benfica por 1-0.
Diego jogou de azul e branco durante duas épocas. A nível nacional ganhou tudo o que havia para ganhar: 1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça Cândido de Oliveira. Mas o maior troféu que conquistou ao serviço do F.C. Porto, e da sua carreira, foi a Taça Intercontinental em 2004 que os Dragões venceram no Japão ao derrotar o C.D. Once Caldas.
Nas duas temporadas em que esteve ao serviço dos portistas, Diego disputou 63 jogos oficiais, marcou 6 golos e conquistou 4 Títulos.
Em 2006/07 transferiu-se para os alemães do Werder Bremen, onde jogou três épocas tendo vencido a Taça da Liga logo na sua primeira temporada e a Taça da Alemanha de 2008/09. Em 2009/10 ingressou nos italianos da Juventus F.C.. Na época seguinte estava de volta à Alemanha para vestir a camisola do Wolfsburg. Em 2011/12 foi emprestado aos espanhóis do Club Atlético de Madrid onde conquistou a Liga Europa. Regressou à Alemanha na temporada seguinte, mas em 2013/14 voltou a Madrid e aos Colchoneros para se sagrar campeão espanhol no final dessa época. Em 2014/15 rumou à Turquia para jogar no Fenerbahçe S.K. durante duas temporadas. Em 2016 regressou ao Brasil para vestir a camisola do C.R. Flamengo, clube onde joga actualmente.
Diego é internacional pelo Brasil e já vestiu a camisola canarinha por 37 vezes tendo marcado 4 golos. Esteve presente na Gold Cup de 2003, na Copa América de 2004 e 2007, competição que venceu e nos Jogos Olímpicos de 2008.

Palmarés
2 Copa América (Selecções)
1 Taça Intercontinental
1 Liga Europa
2 Campeonatos Brasileiros
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Espanha
1 Taça de Portugal
1 Taça da Alemanha
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça da Liga da Alemanha

23 de julho de 2018

Paulo Pombo

Paulo Pombo de Carvalho foi o 27º Presidente do Futebol Clube do Porto.
Sucedeu em 1957 a Cesário Bonito e manteve-se no comando dos portistas até ao ano de 1959.
Antes de ser eleito presidente dos Dragões, já tinha desempenhado várias funções em anteriores direcções. Em 1953, sob a presidência do Dr. Urgel Horta, foi Secretário-Geral e mais tarde integrou o Conselho Geral.
Foi durante o seu mandato que o F.C. Porto venceu a sua segunda Taça de Portugal ao derrotar no Estádio do Jamor o S.L. Benfica por 1-0 com o golo de autoria de Hernâni. Um jogo disputado no dia 15 de Junho de 1958.
Ainda durante o seu mandato os Dragões começaram a caminhada que os levou à conquista do 5º Campeonato Nacional.
Depois de ter deixado a presidência do clube, Paulo Pombo voltou, alguns anos mais tarde a desempenhar funções ligadas ao F.C. Porto. Nos finais da década de sessenta foi membro do Conselho Cultural e nos primeiros anos da década de setenta foi Director do jornal “O Porto”.
Paulo Pombo foi ainda Presidente da Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto, foi Director do jornal “O Primeiro de Janeiro”, ainda vereador da Câmara Municipal do Porto. Foi ainda um dos fundadores e membro da Orquestra Universitária de Tangos, actual Tuna Universitária do Porto e juntamente com Aureliano da Fonseca compôs em 1937 a musica “Amores de Estudante” que viria a ser um hino dos estudantes.

16 de julho de 2018

Torres

Joaquim Manuel Conceição Torres nasceu no dia 19 de Fevereiro de 1945 em Faro.
Depois de passar pelos juniores do S.L. Fuzeta, onde despertou a cobiça dos principais clubes nacionais, foi contratado pelo V. Setúbal na época de 1963/64. Nos sadinos, Torres jogou durante treze temporadas, entre 1963/64 a 1975/76 o que foi o período dourado do V. Setúbal em que venceu por duas vezes a Taça de Portugal em 1964/65 e 1966/67, e terminou o Campeonato Nacional em 2º lugar em 1971/72, 3º lugar em 1969/70, 1972/73 e 1973/74.
No início da época de 1976/77 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 4 de Setembro de 1976 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Portimonense S.C. por 3-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1976/77.
No F.C. Porto, Torres voltou a encontrar o técnico José Maria Pedroto, que já tinha sido seu treinador no V. Setúbal, mas ainda mais importante, voltou a conquistar a Taça de Portugal depois dos Dragões vencerem o S.C. Braga por 1-0 na final.
Torres representou o F.C. Porto durante quatro temporadas mas só foi utilizado em duas. Depois de na época de estreia ter vencido a Taça de Portugal não disputou nenhum jogo na temporada seguinte, já em 1978/79 foi utilizado por 13 vezes e conquistou o Campeonato Nacional, tendo ficado em branco de novo na temporada que se seguiu.
Ao serviço do F.C. Porto, Torres acabou por disputar 45 jogos oficiais e conquistou 2 Títulos.
Em 1980/81 ingressou no Amora F.C. e na temporada seguinte jogou no C.D. Nacional da Madeira, onde terminou a sua carreira de futebolista no ano de 1982.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal

9 de julho de 2018

Harry Dutton

Harry Dutton Foi um futebolista britânico que jogou no Futebol Clube do Porto nos primeiros anos da existência do clube azul e branco.
Foi nos anos de 1910 e 1911 que os Dragões tiveram vários jogadores britânicos a representar as suas cores numa formação que ficou conhecida como “equipa dos ingleses”. Com Adolphe Cassaigne a treinador, Harry Dutton jogou com Harrison, Kendal, John Jones ou Stamby Charles, entre outros.
Jogador que pertencia ao Oporto Cricket and Lawn-Tennis Club, Harry Dutton, tal como a maior parte dos seus companheiros, vestia a camisola do F.C. Porto em jogos de maior dificuldade e mais importantes como foi o caso da partida contra os espanhois do Real Fortuna de Vigo e os gauleses do Vie Au Grand Air du Médoc, de Bordéus.

1 de julho de 2018

Álvaro Pereira

Álvaro Daniel Pereira Barragán, nasceu no dia 28 de Novembro de 1985 em Montevideu, Uruguai.
Foi no ano de 2003 que se estreou como profissional de futebol ao integrar o plantel principal do C.S. Miramar Misiones, clube da sua terra natal. No emblema de Montevideu participou em 32 partidas oficiais e apontou 1 golo. Em 2006 transferiu-se para o Quilmes A.C. da Argentina onde permaneceu por duas temporadas, tendo sido utilizado em 34 jogos de carácter oficial. Já no ano de 2008 passou a vestir a camisola do A.A. Argentinos Juniors, realizou 35 partidas e marcou 11 golos. As boas exibições começaram a despertar a cobiça dos clubes da Europa e no início da temporada de 2008/09 rumou à Roménia para jogar no CRF Cluj. No clube romeno estreou-se a jogar na Liga dos Campeões e conquistou a Taça da Roménia.
Em 2009/10 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
A estreia pelos Dragões teve lugar no Estádio Municipal de Aveiro, no dia 9 de Agosto de 2008, quando os portistas defrontaram e venceram o F.C. Paços de Ferreira por 2-0, uma partida a contar para a Supertaça Cândido de Oliveira. O primeiro golo que apontou com a camisola azul e branca foi no dia 21 de Fevereiro de 2010 no Estádio do Dragão, na recepção ao S.C. Braga em que o F.C. Porto goleou os minhotos por 5-1, com Álvaro Pereira a marcar o segundo golo dos portistas.
Nas três temporadas em que representou os Dragões, Álvaro Pereira disputou 119 partidas oficiais e marcou três golos. Sagrou-se Campeão Nacional por duas vezes, conquistou a Taça de Portugal em duas ocasiões, venceu a Supertaça Cândido de Oliveira por três vezes e ajudou a ganhar a Liga Europa com uma vitória na Final da competição sobre o S.C. Braga por 1-0, no que foi a primeira final de uma competição europeia em que estiveram duas equipas portuguesas.
Em 2012/13 rumou a Itália para ingressar no F.C. Inter Milão, foi utilizado em 47 partidas oficiais pelos milaneses até ser emprestado ao São Paulo F.C. em 2014, onde disputou 45 jogos oficiais. Regressou à Argentina em 2015 para jogar pelo Club Estudiantes de La Plata, tendo sido utilizado por 38 ocasiões em jogos de caracter oficial e no início da temporada de 2015/16 voltou à Europa para jogar por empréstimo nos espanhóis do Getafe C.F.. Ainda em 2016 viajou para o Paraguai para representar o Club Cerro Porteño.
Álvaro Pereira é internacional pelo Uruguai e já vestiu por 83 vezes a camisola azul celeste, tendo-se estreado no dia 19 de Novembro de 2008 num jogo particular contra a França. Em 2011 marcou presença na Copa América que venceu, tendo mesmo apontado dois golos na competição.

Palmarés
1 Copa América (Selecções)
1 Liga Europa
2 Campeonatos Nacionais (1ª Divisão)
2 Taças de Portugal
1 Taça da Roménia
3 Supertaças Cândido de Oliveira

24 de junho de 2018

Faria

Manuel Rodrigues Faria nasceu no ano de 1923 na cidade do Porto.
Começou a jogar futebol no Lusitano de Pedrouços A.C. quando tinha 16 anos. Dois anos depois mudou de ares e passou a representar o Sporting Clube da Cruz, um pequeno clube da Paranhos.
Em 1942 e com 20 anos, ingressou no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 3 de Janeiro de 1943 no Campo de Santana em Matosinhos onde os portistas venceram o Leixões S.C. por 3-2, num jogo a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto.
Foi ainda nessa partida contra os matosinhenses que Faria marcou pela primeira vez um golo ao serviço do F.C. Porto, no caso apontou o segundo golo dos azuis e brancos aos 66 minutos de jogo e colocou o marcador em 2-1.
Faria representou os Dragões durante três temporadas, em todas conquistou o Campeonato do Porto. Disputou 30 jogos oficiais e marcou 8 golos.
Em 1948/49 transferiu-se para o S.C. Braga e na época seguinte rumou a Viseu para alinhar no Académico de Viseu F.C. onde jogou mais algum tempo.

Palmarés
3 Campeonatos do Porto

17 de junho de 2018

Fernando Peres

Fernando Peres da Silva nasceu no dia 8 de Janeiro de 1942 em Algés.
Começou por jogar futebol nas camadas jovens do C.F. Belenenses e foi no clube de Belém que se estreou a sénior em Maio de 1961. Vestiu a camisola com a cruz de cristo até ao final da temporada de 1964/65 e durante essas cinco épocas tornou-se um dos melhores futebolistas portugueses. Em 1965/66 transferiu-se para o Sporting C.P. onde permaneceu durante três temporadas, tendo conquistado o Campeonato Nacional em 1965/66. Na época de 1968/69 e depois de alguns problemas que teve em Alvalade acabou por ingressar na Académica de Coimbra, aproveitando também para concluir os estudos. No verão de 1969 regressou ao Sporting C.P. para jogar mais quatro temporadas e vencer mais um Campeonato Nacional (1969/70) e conquistar duas Taças de Portugal (1970/71 e 1972/73), no final da época de 1972/73 teve novamente problemas em Alvalade e colocou abruptamente um ponto final na sua carreira de futebolista passando a treinador no G.D. Peniche, isto na temporada de 1973/74. Mas ainda nesse ano de 1974, em Maio, voltou a jogar futebol mas desta vez no Brasil, onde vestiu a camisola do C.R. Vasco da Gama e ajudou a vencer o Campeonato Brasileiro desse mesmo ano.
Em Outubro de 1974 Peres regressou a Portugal para jogar no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 24 de Novembro de 1974 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o Atlético C.P. por 5-0, num jogo a contar para a 10ª jornada do Campeonato Nacional de 1974/75.
O primeiro golo que marcou de Dragão ao peito aconteceu no jogo da 28ª jornada, no dia 13 de Abril de 1975 no Estádio das Antas quando o F.C. Porto recebeu e empatou 1-1 com o Leixões S.C., Peres inaugurou o marcador aos 6 minutos.
Fernando Peres apenas representou o F.C. Porto durante uma época tendo disputado 19 partidas oficiais (15 para o Campeonato Nacional e 4 para a Taça de Portugal) e marcado 2 golos, ambos a contar para o Campeonato Nacional.
O seu último jogo pelo F.C. Porto aconteceu no dia 25 de Maio de 1975, curiosamente foi no Estádio que o viu nascer para o futebol, o Estádio do Restelo e foi também o seu último jogo em Portugal como futebolista.
No verão de 1975 rumou de novo ao Brasil para jogar no Sport C.R. e depois no Treze F.C., onde terminou a sua carreira de jogador no ano de 1976.
De regresso a Portugal, voltou a ocupar-se como treinador e passou por: U.D. Leiria, V. Guimarães, G.D. Estoril Praia, A.D. Sanjoanense e Atlético C.P.
Peres foi internacional por Portugal em 27 ocasiões e marcou 4 golos, esteve presente no Campeonato do Mundo de 1966.
Fernando Peres faleceu no dia 10 de Fevereiro de 2019.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Brasil
2 Taças de Portugal