24 de março de 2008

Artur de Sousa (Pinga)

Artur de Sousa (Pinga), nasceu no dia 30 de Setembro de 1909 no Funchal.
Começou a sua carreira ao serviço do Marítimo S.C. e não demorou a despertar a cobiça dos dirigentes do Futebol Clube do Porto, onde chegou nos finais do ano de 1930. A sua contratação pelo clube azul e branco esteve envolta em alguma polémica, tendo mesmo os dirigentes do clube maritimista acusado o F.C. Porto de falsificação de documentos.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 8 de Novembro de 1931 no Campo da Constituição onde os portistas venceram o Boavista F.C. por 10-2, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1931/32, e onde Pinga se estreou também nos golos ao marcar o quinto tento dos portistas.
Pinga desde cedo começou a cativar os adeptos portistas já que era dono de uma técnica invejável, tinha um fantástico domínio de bola e era um jogador completo porque tanto atacava como ajudava a defender.
Formava o grande meio-campo do Futebol Clube do Porto nos anos 30 juntamente com Acácio Mesquita e Valdemar Mota, que ficaram conhecidos como: “os três diabos do meio-dia”. O nome apareceu depois de na época do natal de 1933 o F.C. Porto ter disputado 2 jogos, o primeiro contra uma Selecção de Budapeste em que os portistas venceram por 7-4. Uma semana mais tarde foi a vez de realizar novo jogo mas desta vez contra uma das equipas mais poderosas da altura, o First de Viena. O jogo foi ao meio-dia, e o F.C. Porto venceu por 3-0. Sobre isso, Pinga disse o que pensava antes da sua despedida como futebolista: “Nós os três... Aquilo é que era jogar... Que desculpem a vaidade, mas parece-me que nunca mais se arranjam três rapazes da bola tão intimamente ligados a acertar na borracha. Se até nós, às vezes, nem sabíamos como aquilo era...”.
Foi durante muitos anos considerado como o melhor jogador português de futebol, e tinha uma grande importância para a Selecção de Portugal onde se estreou no dia 30 de Novembro de 1930 para defrontar a Selecção da Espanha. Pinga vestiu por 19 vezes a camisola das Quinas e apontou 7 golos.
Em Julho de 1946 foi a festa da despedida de Pinga com a realização de um jogo contra uma Selecção que era formada por jogadores do Sporting C.P., C.F. Belenenses, Académica de Coimbra e S.L. Benfica. Quando deixou o terreno de jogo do Estádio do Lima, estava emocionado e com lágrimas nos olhos por toda aquela multidão também emocionada, lhe estar a acenar com lenços e a gritar o seu nome.
Depois da despedida, Pinga tornou-se treinador e iniciou o percurso no Tirsense onde viveu mais um momento de glória quando a sua equipa eliminou o Sporting C.P. da Taça de Portugal. Regressou ao Futebol Clube do Porto para ser treinador adjunto e mais tarde tomou conta dos mais jovens para ensinar aquilo que tão bem tinha feito enquanto futebolista.
Pinga esteve 15 anos ao serviço do F.C. Porto, disputou 331 partidas oficiais e marcou 314 golos.
Faleceu em 1963. Esta sepultado no mausoléu do Futebol Clube do Porto no cemitério de Agramonte.

Palmarés
5 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
13 Campeonatos do Porto
3 Campeonatos do Funchal

11 comentários:

dragao vila pouca disse...

É um nome de referência do F.C.Porto, mas que as novas gerações não podem( não há nada sobre em filme)fazer uma ideia sobre a sua qualidade que dizem os mais velhos era muita.
Um abraço

MUNDO FUTBOLERO BLOG disse...

Amigo ya agrego tu blog a mis listas de links, un abrazo.

www.mundofutboleroblog.blogspot.com

Anónimo disse...

Parabéns por esta justa lembrança. Do que li, sobretudo através do saudoso jornalista Alves Teixeira(d' "O Norte Sesportivo) e Rodrigues Teles (autor da pioneira História do F C. Porto, editada em três volumes), mas também de Custódio Castro, antigo colaborador d' "O Porto" e um especialista em História do FCP, como também Luis César, dizia, o Pinga foi um caso à parte, que se tivesse jogado no Benfica era constantemente referenciado nos média...
Um Nome Portista que todas as gerações de Portistas devem conhecer e reverenciar, pelo que seu valor honrou o nosso Porto.

Armando Pinto

AZUL DRAGÃO disse...

Ouvi dizer que ( no seu tempo ) talvez tivesse sido o jogador mais habilidoso de Portugal .

Anónimo disse...

Incrível como é que na colecção "Onze + " de pequenos livros, que está a ser distribuída pelo jornal O Jogo, não tenha sido incluído o Pinga... algo de bradar aos céus!
A. P.

WRC disse...

O centenário daquele que alguns consideram o melhor jogador português de todos os tempos passou ao lado do 'mundo da bola'.

Infelizmente (escrevo isto sem ironia), não consigo deixar de pensar que se fosse um jogador da segunda circular seria mais badalado - sem faltas de respeito, pois é evidente que, p.e, os cinco violinos ou a geração benfiquista liderada por Eusébio também merecem todos os destaques e devems er dados a conhecer às novas gerações.

Por outro lado compreendo a dificuldade em conseguir informações de um tempo pré-tv e sobretudo pré-wikipedia.

Para mim que nunca o vi, nem verei pela falta de imagens, jogar Pinga esta foi uma excelente maneira de o conhecer! Obrigado

WRC disse...

O centenário daquele que alguns consideram o melhor jogador português da história passou ao lado do mundo do pontapé na bola.

Infelizmente, não consigo deixar de pensar que se fosse um ex-jogador da segunda circular teríamos todo o tipo de trabalhos sobre ele nos média. (Escrevo-o sem ressentimento, pois para mim que sou portista, também é eivdente que p.e. os cinco violinos ou a geração benfiquista de Eusébio devem ser retratadas e dadas a conhecer às novas gerações)

Por outro lado compreendo a dificuldade do actual jornalismo em escrever algo de um período pré-tv e, sobretudo, pré-wikipedia.

Para mim que não vi, nem nunca vereu pela falta de imagens, jogar Pinga esta é uma excelente forma de o conhecer. Obrigado!

CSM disse...

Grande Pinga, também símbolo maritimista. Diz-se na Madeira que hoje seria um Cristiano Ronaldo... e por certo tem uma rua com o seu nome mesmo no centro da cidade. Que pena não o poder ver jogar...

Anónimo disse...

Nunca o voi jogar no entanto privei muito tempo com. Era m/vizinho e eu Amigo do filho dele. Passei algumas tarde a ouvi-lo contar história sobre o futebol. Gostava muito da sua companhia.

Nuno disse...

O que se disse e diz sobre Artur de Sousa "PINGA" corresponde à realidade que me foi transmitida e pelo que ainda vi em jogos dos Veteranos e como treinador adjunto da equipa principal. Quase com 50 anos de idade, já não corria mas colocava a bola onde queria e como queria! "Metia" a bola nos avançados de tal modo que o mais difícil era não marcar....Vi-o a treinar o Grande Guarda-Redes Frederico Barrigana, na Constituição e já no Estádio das Antas e ainda hoje fico admirado com o que vi! Marcava livres a 2 ou 3 metros da linha da grande área e dizia: Frederico, vou meter a bola no canto - superior ou inferior - e não a defendes! O Barrigana, furioso, dizia que apostava como a defendia......mas nunca o vi conseguir defender esses livres marcados sem balanço!!! Fantástico!!! Quem hoje, seja Ronaldo ou Messi, poderá dizer a um grande Guarda-Redes isso e nunca falhar????!!!! Espero ter dado um complemento para melhor conhecerem o génio do futebol que foi este Homem!

Tomanuel disse...

Pinga,foi sem sombra de dúvidas o melhor jogador português de todos os tempos!!Contam que ele era o jogador mais completo visto até hoje!
Tenho imenso orgulho nele porque sou madeirense,sou dragão e sou familiar distante dessa grande vedeta!