2 de fevereiro de 2009

Carlos Duarte


Carlos Duarte nasceu no dia 25 de Março de 1933 em Nova Lisboa, Angola.
Representou o Futebol Clube do Porto durante as épocas de 1952/53 até 1963/64.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 12 de Outubro de 1952 no Campo dos Arcos em Setubal onde os portistas visitaram o Vitória F.C., tendo os sadinos vencido por 3-0, num jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1952/53.
Em 1955/56 sob o comando técnico de Dorival Yustrich, Venceu pela primeira vez o Campeonato Nacional e também a Taça de Portugal ao derrotar o S.C. União Torreense por 2-0 na Final.
Na época de 1956/57 o F.C. Porto estreia-se nas competições europeias ao defrontar o Athletic Club Bilbao na 1ª eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus, com Carlos Duarte a ser um dos jogadores títulares que alinhram no jogo da 2ª mão disputado no Estádio de San Mamés.
Venceu ainda a segunda Taça de Portugal na época de 1957/58 com um triunfo sobre o S.L. Benfica por 1-0.
Na temporada de 1958/59 nova vitória no Campeonato Nacional já com Bela Guttman como treinador.
Conquistou também a Taça Associação de Futebol do Porto por 8 ocasiões.
Carlos Duarte foi um extremo-direito veloz e de elevada qualidade que possuía um drible curto mas sempre com os olhos postos na baliza.
Foi ainda dos jogadores que fizeram parte da estreia do F.C. Porto nas competições europeias na época de 1956/57, num jogo contra o Athletic Bilbao a contar para a 1ª eliminatória da Taça dos Campeões Europeus.
Terminou a sua ligação aos Dragões no final da temporada de 1963/64, nas 12 épocas em que esteve nas Antas disputou 228 partidas oficiais, marcou 94 golos e conquistou 12 Títulos.
Depois de deixar o F.C. Porto jogou ainda no R.C. Deportivo Corunha e depois no Leixões S.C. onde sofreu uma grave lesão.
Carlos Duarte representou também a Selecção Nacional por 7 ocasiões.
Em 2003 foi justamente homenageado pelo Futebol Clube do Porto com um “Dragão d´Ouro” simbolizando a “Recordação do Ano”.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
8 Taças Associação de Futebol do Porto

6 comentários:

dragao vila pouca disse...

Nunca o vi jogar, mas as referências dos mais velhos eram as melhores: um grande extremo, daqueles que desiquilibrava.
Nos últimos tempos não o tenho visto, mas quando havia treinos no antigo Estádio das Antas, cheguei a encontrá-lo lá e estive até a falar com ele, sobre o F.C.Porto.
Estava com óptimo aspecto.

Um abraço

Anónimo disse...

É pena que muita gente desta nova geração nunca o tivesse visto jo- gar.

Acabou a carreira no FC Porto em 1964/65, já na fase decadente.

Mas, ainda o vimos jogar, atingin- do a nossa memória o ano de 1956.

Possuimos o «Idolos do Desporto» a si dedicado, de 1957, autografado, titulando a capa: "O extremo direi to que Monteiro da Costa descobriu para o FC do Porto".

Yustrich chamava_lhe de... "O olho de boi".

A última vez que o vimos foi a caminho de... Sevilha (em 2003).

Depois dele, no FC Porto, só Jaime Magalhães se se lhe comparou.

Anónimo disse...

Ontem, dia 6, a RTPN deu-lhe «voz» para lembrar o Porto-Benfica da inauguração do Estádio das Antas.


- que «estava em viagem no barco para cá e a ouvir a telefonia»;

- que «quando ouvi o resultado (2-8) disse: mas para onde vou? Devem ser muito fraquinhos».


Viram?

AZUL DRAGÃO disse...

Grande jogador que , ao tempo ,
fazia a diferença !

José Pereira Silva-Sócio disse...

Carlos Duarte, Hernâni, Noé, Teixeira e Perdigão ...Que maravilha de ataque !
Pena que no jogo com o Atlético de Bilbao, um espanhol nlhe tenha partido as pernas por entrada- ao que suponho - maldosa !
Só assim, grande Carlos Duarte, era possível travar-te !.
Um Dragão do Marco de Canaveses que se divertiu imenso com a sua arte de jogar futebol !
Obrigado Carlos Duarte !...

emilio pereira disse...

Vi-o jogar uma vez e era fenomenal.Chegou a ser meu treinador no Ermesinde S.C. e como pessoa era de uma extrema educação.
Homem de fino trato.Espero que esteja tudo bem com ele.