26 de abril de 2009

Vermelhinho

Carlos Manuel Oliveiros da Silva (Vermelhinho), nasceu no dia 9 de Março de 1959 em São João da Madeira.
Iniciou a carreira futebolística em 1977/78 no A.D. Sanjoanense, onde esteve durante quatro temporadas, como uma passagem pelo C.D. Paços de Brandão pelo meio. Em 1980/81 mudou-se para o R.D. Águeda onde jogou três épocas.
A meio da temporada de 1982/83 chegou ao Futebol Clube do Porto. A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 20 de Fevereiro de 1983 no Estádio das Antas onde os portistas receberam e venceram o S.C. Espinho por 3-1, num jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça de Portugal de 1982/83.
Na temporada seguinte venceu a Taça de Portugal, a Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça Associação de Futebol do Porto. Mas essa época de 1983/84 ficou marcada pela primeira presença do F.C. Porto numa Final Europeia, no caso a Taça dos Clubes Vencedores das Taças, para lá chegar os Dragões tiveram que eliminar o G.N.K. Dínamo Zagreb, Glasgow Rangers F.C., Shakhtar Donestsk F.C. e o Aberdeen F.C.. Foi precisamente no jogo da 2ª mão contra o Aberdeen F.C. que Vermelhinho ficou para sempre na memória dos adeptos portistas ao fazer um magnífico chapéu ao guarda-redes escocês desde o meio-campo, num jogo disputado num terreno difícil, numa noite de nevoeiro cerrado. Na final em Basileia, o F.C. Porto já não foi feliz e perdeu para os italianos da Juventus F.C. por 2-1.
Em 1984/85, Vermelhinho repetiu a vitória na Supertaça Cândido de Oliveira e sagou-se pela primeira vez Campeão Nacional, Título que voltou a conquistar na temporada seguinte. Em 1986/87 venceu de novo a Supertaça Cândido de Oliveira, mas a cereja no topo do bolo chegou com a conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus, à qual Vermelhinho deu o seu contributo. Na temporada de 1987/88, Vermelhinho foi emprestado ao G.D. Chaves. Ficou na história do clube transmontano que pela primeira vez disputou uma prova europeia. Na temporada seguinte regressou às Antas mas deixou os Dragões no fim dessa época. Ao serviço do F.C. Porto, Vermelhinho jogou durante 6 temporadas, conquistou 8 Títulos, disputou 123 partidas oficiais e marcou 28 golos.
Em 1989/90 transferiu-se para o S.C. Braga, seguiu-se o S.C. Espinho, e em 1992/93 voltou ao A.D. Sanjoanense onde jogou até à temporada de 1994/95, altura em que abandonou a sua carreira de futebolista. Vermelhinho foi também internacional e vestiu a camisola da Selecção de Portugal por duas vezes.

Palmarés
1 Taça dos Clubes Campeões Europeus
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

19 de abril de 2009

Tomislav Ivic


Tomislav Ivic nasceu no dia 30 de Junho de 1933 em Split, Croácia.
Foi futebolista do Hajduk Split, começando por ser extremo-esquerdo até se afirmar definitivamente a médio. Aos 34 anos terminou a sua carreira de jogador e tirou o curso de treinador, que lhe valeu, em 1968, estrear-se nessa nova função nas camadas jovens do Hajduk Split.
Cinco anos depois passou a técnico principal e venceu 3 Taças da Jugoslavia (1973, 1974 e 1976), e 2 Campeonatos (1974 e 1975).
Em 1977 transferiu-se para o Ajax F.C. e foi logo Campeão na sua primeira época ao serviço do clube holandês, no entanto na época seguinte voltou ao Hajduk Split onde foi novamente Campeão.
Em 1980/81 assumiu o comando técnico do R.S.C. Anderlecht e mais uma vez sagrou-se Campeão. Saiu do clube belga no final da época de 1981/82 e esteve na temporada seguinte sem treinar, para na temporada de 1983/84 rumar à Turquia para ser o treinador do Galatasaray S.C. No fim dessa época esteve perto de treinar o S.L. Benfica, mas bateu com a porta passadas duas semanas. Foi depois para Itália, para orientar o U.S. Avellino mas não foi bem sucedido e na temporada seguinte partiu para a Grécia onde treinou o Panathinaikos A.O. Em 1986/87 voltou à Croácia para treinar o Dínamo de Zagreb.
Na temporada de 1987/88 chegou ao Futebol Clube do Porto. No comando técnico dos Dragões, Ivic venceu a Taça Intercontinental, a Supertaça Europeia, a Taça de Portugal e ainda se sagrou Campeão Nacional com 15 pontos sobre o segundo classificado, isto quando a vitória dava 2 pontos. Saiu no final dessa temporada que também ficou marcada por alguns problemas com Fernando Gomes.
Em 1990/91 treinou o Paris S.G. para na temporada seguinte mudar-se para o O. Marselha. Em 1992/93 aceitou o convite para treinar o S.L. Benfica, mas ao fim de cinco meses foi despedido.
Na temporada de 1993/94 voltou ao Futebol Clube do Porto para substituir o brasileiro Carlos Alberto Silva. Na segunda passagem pelo clube das Antas não conheceu a felicidade da primeira e em Janeiro de 1995 colocou o lugar à disposição. Voltou à Croácia para ficar ligado à FIFA e organizar o futebol do seu país.
Ainda voltou a treinar o O. Marselha durante a temporada de 2000/01, mas no final dessa época abandonou definitivamente a carreira de treinador.
Faleceu no dia 24 de Junho de 2011 devido a problemas cardíacos.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Supertaça Europeia
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
3 Campeonatos da Jugoslávia
3 Taças da Jugoslávia
1 Campeonato da Holanda
1 Campeonato da Bélgica

5 de abril de 2009

Monteiro da Costa

António Henrique Monteiro da Costa nasceu no dia 20 de Agosto de 1928 em S.Paio de Oleiros.
Um dos chamados "pau para toda a obra", jogador polivalente, ocupou todas as posições excepto a de guarda-redes.
Alinhou frequentemente como defesa-central, evidenciando segurança e qualidade. Outras posições em que tinha alto rendimento eram as de médio-ofensivo ou avançado. Concretizava inúmeros tentos nas balizas adversárias e, nos treze anos em que serviu o F.C. Porto (1949 a 1962), só no campeonato fez 72 golos em 270 jogos.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 9 de Outubro de 1949 no Campo da Constituição onde o F.C. Porto venceu o Elvas C.A.D. por 1-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1949/50.
Em Janeiro de 1951 foi o herói da extraordinária vitória por 2-0, sobre o S.L. Benfica, no Campo Grande em Lisboa, pois marcou ambos os golos.
Actuou nas equipas excepcionais que, nos anos 50, ganharam 2 Campeonatos Nacionais e 2 Taças de Portugal. Colaborou com vários treinadores entre os quais os campeões Yustrich e Guttmann, jogou com excelentes futebolistas como Barrigana, Virgílio, Miguel Arcanjo, Osvaldo Cambalacho, Pedroto, Carlos Duarte, Jaburu, Carlos Vieira e Hernâni.
O seu nome figura na lista dos "capitães" mais carismáticos da história do Futebol Clube do Porto. Foi de uma entrega e dedicação inexcedíveis, nada regateando ao seu amado clube.
Foi ainda um dos jogadores titulares que na época de 1956/57 fez parte da equipa do F.C. Porto que se estreou nas competições europeias ao defrontar os espanhois do Athletic Club Bilbao na 1ª eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus.
Após a carreira de futebolista, nele perdurou a disponibilidade para ajudar o F.C. Porto. Em momentos difíceis da equipa aceitou comandá-la, como treinador (em parte das épocas 1974/75 e 1975/76).

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

elaborado por Fernando Moreira