19 de julho de 2009

Pedro Emanuel

Pedro Emanuel dos Santos Martins Silva nasceu no dia 11 de Fevereiro de 1975 em Luanda, Angola.
Começou por jogar futebol com 11 anos nas camadas jovens do Boavista F.C., anos 18 anos passou a sénior na temporada de 1993/94 e foi emprestado ao F.C. Marco, depois passou também por empréstimo pelo A.D. Ovarense e pelo F.C. Penafiel antes de regressar ao clube do Bessa na época de 1996/97 ainda a tempo de conquistar a sua primeira Taça de Portugal. No Boavista F.C. Pedro Emanuel permaneceu até ao final da temporada de 2000/01. Ao longo das seis temporadas em que representou o clube da Pantera, foi ganhando um lugar de destaque no plantel boavisteiro ao ponto de chegar a ser capitão de equipa. Equipa que se sagrou Campeã Nacional pela primeira vez na história do clube do Bessa em 2000/01 e que Pedro Emanuel viu dessa forma o seu nome ligado ao historial do clube axadrezado.
No início da temporada de 2002/03 transferiu-se para o Futebol clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 25 de Agosto de 2002 no Estádio das Antas onde os portistas empataram 2-2 com o C.F. Belenenses, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 2002/03.
logo na primeira época de azul e branco, Pedro Emanuel voltou a sagrar-se Campeão Nacional, ao que juntou a vitória na Taça de Portugal, conquistou ainda a Taça UEFA depois da vitória sobre o Celtic F.C. na Final de Sevilha.
Em 2003/04 repetiu a vitória no Campeonato Nacional, venceu a Supertaça Cândido de Oliveira e ainda conquistou a Liga dos Campeões.
Na temporada seguinte as vitórias continuaram com mais uma Supertaça Cândido de Oliveira e com mais um troféu internacional conquistado, neste caso a Taça Intercontinental que Pedro Emanuel teve um papel importante ao marcar o ultimo penalti no desempate por grandes penalidades. A imagem do jogador nos instantes antes da cobrança do penalti vai ficar para sempre na memoria de todos aqueles que assistiram ao jogo.
Em 2005/06 voltou a Sagrar-se Campeão Nacional e voltou a conquistar a Taça de Portugal. Na temporada de 2006/07 o azar bateu-lhe à porta ainda no decorrer da pré-época. No dia 12 de Agosto nos exercícios de aquecimento para a partida contra o Manchester City F.C., Pedro Emanuel sofreu uma lesão no tendão de Aquiles que o afastou dos relvados durante toda a temporada. Ainda assim festejou mais uma vitória no Campeonato Nacional e a conquista de mais uma Supertaça Cândido de Oliveira.
Na temporada seguinte já totalmente recuperado voltou a sagrar-se Campeão Nacional.
Em 2008/09 festejou o Tetra-Campeonato e mais uma vitória na Taça de Portugal. Apesar de já não ser utilizado com frequência era a voz de comando no balneário e uma das maiores referências do plantel, mas no final dessa temporada resolveu pendurar as chuteiras.
Pedro Emanuel esteve ao serviço do F.C. Porto durante 7 temporadas, conquistou 12 Títulos, disputou 178 jogos oficiais e marcou 1 golo.
Na temporada de 2009/10 passou a treinador dos juvenis portistas onde levou os jovens Dragões à conquista do Título de Campeões Nacionais Juniores B. Na temporada de 2010/11 voltou ao plantel principal do F.C. Porto para ser treinador-adjunto. Em 2011/12 estreou-se como treinador principal ao assumir o comando da Académica de Coimbra tendo levado os estudantes à vitória na Taça de Portugal dessa mesma temporada, no entanto os resultados menos conseguidos já na temporada de 2012/13, levaram à sua saída do clube de Coimbra em Abril de 2013. Em 2013/14 passa a treinar o F.C. Arouca onde permanece durante duas temporadas. Em 2015/16 assume o comando técnico dos cipriotas do Apollon Limassol F.C. e vence a Taça do Chipre, nessa época e a Supertaça do Chipre de 2016/17, mas em Dezembro de 2016 abandona o emblema cipriota. Regressa a Portugal e em Março de 2017 é convidado a orientar o G.D. Estoril. No dia 25 de Julho de 2014 esteve de novo no relvado do Estádio do Dragão e de novo com a camisola do Futebol Clube do Porto vestida no jogo de despedida e homenagem a Deco.

Palmarés como jogador
1 Taça Intercontinental
1 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
7 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
4 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira

Palmarés como treinador
1 Taça de Portugal
1 Taça do Chipre
1 Supertaça do Chipre

5 comentários:

dragao vila pouca disse...

O F.C.Porto é um clube reconhecido, a quem o serve com dedicação, paixão e profissionalismo. Não precisa de ser portista desde pequenino, nem andar sempre a beijar o emblema. Foi o que aconteceu com o ex-capitão Pedro Emanuel.
Coloquei com todo o prazer, a braçadeira que me foi entregue à entrada do Estádio, associando-me dessa forma, à homenagem ao Homem e ao Profissional.
-Felicidades Pedro e que das tuas mãos no futuro, possam sair jogadores e homens, se não melhores, ao menos iguais a ti.

Escrevi isto no meu blog e penso que expressa claramente o meu sentimento em relação ao Pedro.

Um abraço

Anónimo disse...

Continue, que este blog é muito apreciado por quem gosta de tudo o que representa o F C Porto.Estão de parabens o gestor e os colaboradores.

Alberto Martins Teixeira disse...

Bom dia, Pedro.
Eu,e o meu filho,Tb "Pedro Emanuel"
para além da admiração por toda a sua carreira como jogador, vimos-lhe desejar muito sucesso na sua (nova)tarefa de criar bons jogadores,mas tb cidadãos,com moral,etc.etc. Gostaria muito de comprimentar sua mãe/pai k conheci em 2005 na escola de Gondomar.Um abraço, k DEUS vos ajude. Alberto Teixeira. Em S.Paulo - Brasil

Paulo Moreira disse...

Na hora da despedida do universo azul e branco, Pedro Emanuel deixou uma mensagem aos adeptos do F.C. Porto.

“Deixo o FC Porto ao fim de nove anos que me enchem de orgulho e ao longo dos quais fiz parte de grandes momentos na história do clube. Estou a viver sentimentos contraditórios, pois sinto uma grande alegria por estes anos todos e por tudo o que vivi e, ao mesmo tempo, alguma nostalgia.

Também sinto satisfação por abraçar uma nova etapa na carreira num emblema com história no futebol português.

Quero deixar uma palavra de agradecimento a todos os Portistas e, em especial, ao presidente, à administração, a todo o staff e ao treinador André Villas-Boas, que me incentivou. Não sei o destino e o futuro, mas fico com o sentimento do dever cumprido e com a consciência de que fiz tudo para corresponder à aposta que fizeram em mim”.

Anónimo disse...

Pedro Emanuel não era um sobredotado, mas soube esperar pela hora dele e quando foi titular no Porto, foi um processo natural. Ainda conseguiu fazer e bem meia época a lateral esquerdo naquela tactica louca de Adriaanse (mas que deu resultado), não sem antes marcar o penalti vencedor a última intercontinental.

RS