28 de fevereiro de 2010

Pinho

Manuel Henriques de Pinho nasceu no dia 21 de Setembro de 1929 em Oliveira de Azeméis.
Iniciou-se no futebol nas camadas jovens do U.D. Oliveirense e em 1948/49 integrou o plantel sénior tendo assumido desde logo a titularidade.
Em 1949/50 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A sua estreia de Dragão ao peito aconteceu no dia 21 de Março de 1954 no Campo da Tapadinha em Lisboa onde os portistas foram empatar 3-3 com o Atlético C.P. numa partida a contar para a 21ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1953/54.
Começou por encontrar a forte concorrência de Barrigana. Enquanto esteve tapado na equipa de futebol principal do F.C. Porto pelo célebre "Mãos de Ferro", o jovem Pinho acedeu ao convite de Manuel Dias Saúde, seccionista no andebol do clube azul e branco, para integrar a equipa de andebol de 7. Com muitos e reconhecidos méritos, Pinho acabou sendo um notável guarda-redes da equipa de andebol, sagrando-se Campeão Regional e Nacional naquela modalidade ao serviço do F.C. Porto em 1953/54.
Com a chegada do treinador Dorival Yustrich ao comando técnico dos Dragões, em 1955, Pinho assumiu a titularidade e foi fundamental para a conquista do Campeonato Nacional de 1955/56, tal como na vitória da Taça de Portugal da mesma temporada.
Numa deslocação ao Brasil pelo F.C. Porto, Pinho foi apelidado de “Rato do Maracanã” devido às suas fantásticas defesas que realizou contra o Fluminense F.C.. Muito corajoso e arrojado na forma como se fazia pés dos adversários e muito rápido na execução de defesas, o guarda-redes Pinho surpreendia também pela sua agilidade quase felina e na forma repentista e rápida de actuar, capaz de protagonizar milagrosas intervenções. No período mais conturbado e indefinido da sua carreira no F.C. Porto, Pinho revelou-se sempre com um amplo espírito competitivo e crença nas suas capacidades. Era aplicado e nos treinos estava sempre pronto a aprender com os mais velhos e ajudar na progressão dos mais novos.
Pinho jogou no F.C. Porto até ao final da época de 1958/59 praticamente sempre como guarda-redes titular dos azuis e brancos. Nesse período venceu novamente a Taça de Portugal na temporada de 1957/58 numa final frente ao S.L. Benfica, que os portistas, venceram por 1-0.
Em 1958/59, Pinho voltou a sagrar-se Campeão Nacional, no que foi a sua última temporada com a camisola dos Dragões.
Ao serviço do F.C. Porto, Pinho conquistou 6 títulos e disputou 87 partidas oficiais.
Na temporada de 1959/60 transferiu-se para o V. Guimarães. Representou ainda o S.C. Salgueiros, Atlético C.P. e Lusitano F.C. de Vildemoinhos.
Posteriormente Pinho emigrou para França onde viveu durante muitos anos e onde viria a falecer.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
2 Taças Associação de Futebol do Porto

7 comentários:

Rogério Paulo Almeida disse...

Nessa mesma temporada de 1949/50, viria também proveniente do mesmo clube, a Oliveirense, o jogador Monteiro da Costa, um dos nossos maiores vultos futebolísticos de sempre.

Um abraço

dragao vila pouca disse...

Caro amigo, o que tu sabes. Olha, eu não sabia que o Pinho tinha jogado Andebol e sido Campeão.

Um abraço

Armando Pinto disse...

Bom artigo, onde praticamente tudo ficou dito sobre este guarda-redes que só conhecemos por fotografias e literatura alusiva, tal como em tantos casos - algo que o clube (Direcção)deveria aprofundar e preservar, havendo, como há, muitos Portistas com material histórico valioso.

Dragao de Azeméis disse...

Só agora tomei conhecimento deste blog e devo apresentar os meus mais sinceros parabéns. Acho que está um trabalho fabuloso...

Gostaria, porém, de solicitar uma pequena correcção:
Manuel Pinho emigrou para França, viveu lá muitíssimos anos... Em 2002, visitou Portugal a convite dos Dragões de Azeméis que aproveitaram para lhe prestar uma belíssima homenagem, com um jantar muito participado onde estiveram presentes Pinto da Costa e outros altos dirigentes portistas e bem assim alguns dos campeões nacionais de 1956/57 (?) sob a orientação de Yustrich...Faleceu pouco depois em França e (creio) que está sepultado em Oliveira de Azeméis.

Paulo Moreira disse...

Obrigado ao Dragao de Azeméis

Anónimo disse...

Manuel Henriques De Pinho est mon grand père ...

Anónimo disse...

Manuel Henriques De Pinho est mon grand père ...