31 de maio de 2009

José Alberto Costa


José Alberto Costa nasceu no dia 31 de Outubro de 1953 na cidade do Porto.
Foi um dos melhores extremos do Futebol Clube do Porto e de Portugal. Era um jogador muito rápido, forte fisicamente e que gostava de ir à linha e cruzar. Um clássico extremo-esquerdo! Não tinha propensão para o golo, mas era muito hábil nas assistências o que, associado à inegável qualidade técnica e à velocidade que imprimia ao jogo, provocava frequentemente o pânico nas defesas adversárias. Com Gomes e Oliveira fez parte de um trio atacante famoso do F.C. Porto.
Costa era um atleta muito bem dotado fisicamente; para além do futebol, praticou outras modalidades enquanto estudante do Liceu de Vila Real; no atletismo e no andebol demonstrou ser veloz e possuidor de vigor físico inestimável.
Iniciou a carreira de futebolista nos juvenis do S.C. Vila Real, transitando depois para os seniores. Na capital transmontana, cedo se evidenciou como jogador de auspicioso futuro.
Chegou a Coimbra – à Universidade e à Académica – no início da época desportiva de 1971/72. Na "Briosa" notabilizou-se a ponto de ser chamado à Selecção Nacional (1977/78) e de despertar o interesse dos maiores clubes portugueses.
Ingressou no F.C. Porto pela mão de Pinto da Costa (na altura, Chefe do Departamento de Futebol) e logo na primeira temporada (1978/79), em que alinhou em 24 jogos do Campeonato, se sagrou campeão nacional. A equipa, sob as ordens do "Mestre" José Maria Pedroto, obteve o "bicampeonato". Costa foi vital na conquista do título; o meio-campo portista havia perdido Ademir (Celta de Vigo) e Octávio (Vitória de Setúbal), mas a sua classe deu estabilidade e agressividade à equipa.
Seguiram-se mais cinco épocas e meia nas Antas, treinado, para além de Pedroto, por Artur Jorge e pelo austríaco Herman Stessl. E acrescentou ao seu palmarés 1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal, 2 Supertaças Cândido de Oliveira e 2 Taças Associação de Futebol do Porto. Em Basileia, Suíça, participou na primeira final europeia do F.C. Porto, em 16 de Maio de 1984, frente à Juventus F.C. na edição de 1983/84 da Taça das Taças.
O nome de José Alberto Costa ficou ligado ao chamado "verão quente" de 1980 quando um grupo de 15 jogadores, de que ele fazia parte juntamente com Lima Pereira, Oliveira, Octávio, Jaime Pacheco, Sousa, Frasco e Fernando Gomes, entre outros, se solidarizou e auto-suspendeu em defesa de Pedroto e Pinto da Costa que haviam entrado em "rota de colisão" com o Presidente Américo de Sá.
Com o advento de Vermelhinho (que se estreou, a jogar, na época 1983/84) e Paulo Futre (1984/85), perdeu preponderância na equipa azul-e-branca. Fez apenas 5 jogos (suplente utilizado) na temporada em que chegou o frenético Futre. Contudo, realça-se a influência e a autoridade de líder que Costa exerceu no balneário do F.C. Porto até à sua saída, em Janeiro de 1985, para o Vitória de Guimarães.
Na "cidade berço" realizou uma excelente época de 1985/86, apesar dos seus 32 anos.
Depois jogou uma temporada no Marítimo S.C. e, no Funchal, terminou a carreira de futebolista em junho de 1987.
Foi internacional A por 24 vezes e, ainda como jogador da Académica de Coimbra, fez a sua estreia na Selecção no dia 8 de Março de 1978, em Paris, no "amigável" disputado por Portugal frente à França.
Na 2ª internacionalização, já como jogador do F.C. Porto, marcou o golo da nossa vitória contra os E.U.A. Vestiu pela última vez a "camisola das quinas" em 28 de Outubro de 1983, no jogo de apuramento para o Euro-84 com triunfo (1-0) sobre a Polónia. José Costa não participou em qualquer grande competição internacional de selecções, jogando todavia o apuramento para os europeus de 1980 e 1984 e para o Mundial de 1982.
Costa, que dispõe de sólida formação académica (concluiu uma licenciatura na Universidade de Coimbra), encetou a carreira de treinador após terminar a de futebolista. Integrou, primeiro, os quadros da F.P.F. coadjuvando Juca, o Seleccionador Nacional (1987/89); depois os escalões de formação (1989/91) e a Selecção principal (1991/93), secundando Carlos Queirós. Com Queirós foi igualmente treinador adjunto no Sporting C.P. (1994/95), no Metro Stars de Nova York (1996), no Nagoya Grampus, Japão, (1996/97), na Selecção dos Estados Unidos (1998/99) e na Selecção dos Emiratos Árabes Unidos (1999).
Já como treinador principal prossegue a carreira no F.C. Famalicão (2.ª Liga), em Dezembro de 2001 ingressa no Varzim S.C. (1.ª Liga), passando depois pelo G.D. Chaves (2003/04). A seguir é contratado para trabalhar nos E.U.A. na "USA Seventeen Soccer Academy". Em Julho de 2008 voltou a ser escolhido por Carlos Queirós para integrar a equipa de observadores da Selecção Nacional. Em 2010 ingressou como adjunto na Académica de Coimbra, esteve depois 2 anos a comandar os iranianos do Sanat Naft Abadan Club e em 2013/14 regressou a Portugal para orientar a formação B do S.C. Braga.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
2 Taças Associação de Futebol do Porto

elaborado por Fernando Moreira

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

Bom jogador, muito bom pé esquerdo, muita raça -até de mais.

Importantíssimo no crescimento do F.C.Porto como grande clube europeu e no fim da seca de títulos.
Por falar em títulos, ontem lá veio mais um ataçinha para o Porto.

Um abraço

RicFCP disse...

O Costa é o extremo esquerdo do Porto da 1ª equipa que me recordo de ver jogar (nesse Porto, da minha infância, o Gomes era o ídolo e depois vinham Frasco e Jaime Magalhães).

O Costa era possuídor de um belíssimo pé esquerdo e um jogador "à Porto", de raça, que foi muito importante no final dos anos 70 e início dos anos 80, no príncipio do caminho que faria do FCP um dos maiores clubes do mundo (para mim, o maior/melhor clube do mundo)!

Cumprimentos

Matos Mota disse...

Fui colega e amigo do Costa no liceu de Vila Real. Nem a feijões gostava de perder, fosse no futebol, no andebol, no atletismo ou nos matraquilhos.
Vi-o jogar no Vila Real com o Fraguito que ingressou no Sporting. Dois excelentes jogadores.
Um abraço
7 de fevereiro de 2012

Gonçalo Lebre disse...

Só queria deixar aqui um agradecimento ao jogador que me fez simpatizante e depois sócio do nosso grande FCP. O meu pai, que estudou em Coimbra, fez-me de menino ser simpatizante da equipa antes de eu querer ser de um grande, e quando Costa se transferiu e eu o "acompanhei" tal era o fervor que eu tinha por este jogador, que me tornei imediatamente simpatizante do FCP.
Obrigado Costa. Grande jogador.
Gonçalo Lebre