4 de novembro de 2013

Vitor Pereira

Vítor Manuel de Oliveira Lopes Pereira nasceu no dia 26 de Julho de 1968 em Espinho.
Começou por jogar futebol nas camadas jovens do S.C. Espinho. Passou depois pelo A.A. Avança, onde se estreou como sénior em 1986/87 Na temporada seguinte rumou ao U.D. Oliveirense mas voltou ao A.A. Avanca em 1988/89. Na época de 1990/91 jogou no S.C. Esmoriz. Esteve depois duas temporadas no C.D. Estarreja. Em 1993/94 defendeu as cores do Fiães S.C.. Na época seguinte jogou no S.C. São João de Ver e em 1995/96 ingressou no A.D.C. Lobão, onde terminou a carreire de futebolista.
É formado em Educação Física através da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto. Terminou o curso de treinador de nível IV com uma média de 17,9 valores, sendo o segundo melhor da turma.
Foi nos finais da década de 90 que Vítor Pereira passou a colocar em pratica os seus conhecimentos de treino. O início deu-se no S.C. Esmoriz na época de 1997/98, seguiu-se o Gondomar S.C. e depois o C.D. Arrifanense.
Teve a sua primeira passagem pelo Futebol Clube do Porto nas épocas de 2000/01 e 2001/02 para orientar os sub-19.
Em 2002/03 orientou os sub-15 do Padroense F.C.
Regressou na época seguinte ao F.C. Porto para igualmente comandar os sub-15 portistas durante 2 temporadas, tendo levado os jovens Dragões à conquista do Campeonato Nacional em 2004/05.
Comandou de seguida a equipa principal do A.D. Sanjoanense e do S.C. Espinho.
Voltou a orientar os jovens da formação do F.C. Porto em 2007/08.
Rumou aos Açores para comandar o C.D. Santa Clara nas temporadas de 2008/09 e 2009/10.
Em 2010/11 voltou ao F.C. Porto para integrar a equipa técnica comandada por André Villas-Boas. Uma época em que os portistas só não venceram a Taça da Liga.
Na temporada seguinte assumiu o comando técnico dos Dragões e começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira. Durante a época teve que ultrapassar algumas dificuldades, tais como a vontade de alguns jogadores em abandonar o clube ou a fraca prestação nas provas europeias, mas no final conseguiu conduzir os Dragões à vitória no Campeonato Nacional.
2012/13 Teve um início idêntico à temporada anterior, ou seja, com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira. Se na Liga dos Campeões a derrota aos pés dos espanhóis do Málaga deixou um sabor amargo, tal como aconteceu na Taça da Liga, já o Campeonato Nacional teve um desfecho diferente, com uma recta final electrizante onde o acreditar e o querer consagrou os portistas como Tri-Campeões Nacionais.
Vítor Pereira é um dos três treinadores Campeões em Portugal sem ter perdido um único jogo. Um dos sete treinadores que fora Bi-Campeões pelo F.C. Porto e o único que venceu dois Campeonatos Nacionais com uma só derrota.
No final da temporada de 2012/13 e mais uma vez, deixa o F.C. Porto.
O seu destino foi a Arábia Saudita onde passou a comandar o Al-Ahli S.C., clube que orientou até Maio de 2014. Em Janeiro de 2015 ingressou no P.A.E. Olympiakos, pegou no clube grego quando estava em segundo na tabela classificativa e levou-o à conquista do campeonato grego ainda antes de terminar a temporada, ao que juntou a conquista da Taça da Grécia em Maio de 2015. No inicio da temporada de 2015/16 assumiu o comando técnico do Fenerbahçe S.K. mas acabou por não ser feliz em terras turcas e em Dezembro de 2016 assumiu o comando técnico dos bávaros do T.S.V. 1860 Munique, deixando o clube alemão no final da temporada de 2016/17.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Grécia
1 Taça da Grécia
2 Supertaças Cândido de Oliveira

7 comentários:

Armando Pinto disse...

Treinador que ficará sempre nas nossas recordações pelo que vimos e sentimos no jogo do golo do Kelvin, ao minuto 92, impondo aos mouros vermelhos uma vitória tão saborosa!
Como outros, foi um treinador que não conseguiu conquistar a simpatia duma franja de adeptos. Teve o senão de não ser bom comunicador, tendo inicialmente dificuldade em fazer passar ao público as mensagens, quando passou a treinador principal, sem conseguir dizer que queria nas entrevistas. Depois, no decurso do tempo, melhorou alguma coisa, mas sempre a fazer os ouvintes distraírem-se na atenção ao discurso.
No plano técnico, acabou por mostrar ter qualidades, embora a espaços não se tenham compreeendido certas opções. Porém foi um treinador vitorioso, para constar.

dragao vila pouca disse...

Não é o melhor treinador do Mundo, longe disso, mas herdando uma tarefa dificílima, como são sempre as épocas após grandes conquistas, conseguiu levar a água ao moinho e vencer 2 campeonatos.
Lamentavelmente muitos não tiveram isso em conta e Vítor Pereira foi sempre um mal-amado.

Abraço

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

@ Paulo

«
Vítor Pereira é um dos três treinadores campeões em Portugal sem ter perdido um único jogo. Um dos sete treinadores que fora Bi-Campeões pelo FC Porto e o único que venceu dois campeonatos com uma só derrota.
»

só estes factos deveriam merecer o respeito da massa adepta do nosso clube do coração, pelo que também (com)partilho dos lamentos dos ilustres comentadores ali em cima :D

aliás, estive para comentar aquando da data de publicação deste post, mas consciente e premeditadamente optei por aguardar.
o "silêncio" que persiste nesta caixa de comentários é (bem) revelador dessa (como afirmar...) ingratidão.

abr@ço
Miguel | Tomo II

Anónimo disse...

Um bom treinador e um mau comunicador como aquí já alguém disse, mas que conseguiu autenticos milagres, ao evitar descalabros a seguir a épocas de glória e quem está no desporto sabe que ganhar em determinadas alturas é mais fácil e ele ganhou em alturas nao muito propicias por isso vai ser sempre recordado.

André Teixeira disse...

Sem duvida um bom treinador, mas teve nas competições europeias o seu calcanhar de Aquiles.
Independentemente disso, o trabalho que fez no fc porto é para recordar: 2 campeonatos ganhos e este ultimo com um gostinho muuito especial :)

Xany Jesus disse...

Já fazem falta treinadores como este... Apesar de todas as criticas dos adeptos manteve-se firme até ao fim e levou-nos Tricampeonato.
Ficam agora as criticas a todos aqueles que duvidaram do seu valor.

Rui disse...

Deus escreve certo por linhas tortas, basta rever o minuto 92.
Ele merecia ser campeao pela sua postura.