12 de dezembro de 2010

Velez Carneiro


Velez Carneiro nasceu 1898.
Na temporada de 1914/15, inscreveu-se oficialmente no S.C. Espinho onde disputou o campeonato de 3ªs categorias. O seu jogo de estreia foi precisamente contra o Futebol Clube do Porto e saiu derrotado por 1-0.
Em 1920 Ingressou no F.C. Porto e fez parte da equipa que venceu pela primeira vez o S.L. Benfica em Lisboa por 3-2. O primeiro Campeonato de Portugal emerge na época de 1921/22 e Velez Carneiro, que jogava a meio-campo e conforme as crónicas da altura, era um jogador de elevada qualidade, é um dos loureados pela conquista do F.C. Porto. 
Ao título de Campeão de Portugal juntou ainda quatro títulos de Campeão do Porto.
No dia 18 de Maio de 1925 foi morto a tiro por Carmindo Ferreira Duarte na Travessa dos Congregados, depois de uma discussão entre os dois. Era na altura um dos ídolos dos Dragões, e isso espelhou-se no seu funeral que foi imponente. Desde a Constituição até ao cemitério de Paranhos, foram muitas as pessoas que se acotovelaram para o ultimo adeus.
No dia 22 de Maio, o “Jornal de Noticias” escrevia: “Muito antes da hora marcada para a saída do féretro já o Campo de Jogos da Constituição regurgitava de pessoas. Depois de dar a volta ao campo, o féretro, conduzido pelos jogadores do team de que o finado fazia parte, foi colocado ao centro do campo, mantendo-se o público em silêncio durante cinco minutos, que foram observados religiosamente. Findo este recolhimento que impressionou, a Direcção do F. C. Porto procedeu à colocação da bandeira do seu clube sobre o féretro. O capitão da equipa, Hall, conduzia sobre uma almofada de cetim preto as medalhas oferecidas ao falecido jogador.”

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
4 Campeonatos do Porto

Agradecimento muito especial ao Armando Pinto pela ajuda neste post

28 de novembro de 2010

António Teixeira


António Dias Teixeira nasceu no dia 16 de Setembro de 1930 em Lisboa.
Começou por jogar futebol no Águias do Alto do Pina tendo passado depois pelo G.D. Chelas, até chegar ao S.L. Benfica ainda nos escalões de formação onde se sagrou Campeão Nacional de juniores.
Estreou-se como sénior ainda no S.L. Benfica e foi no clube de Lisboa que venceu o seu primeiro Campeonato Nacional no escalão maior do futebol português. Transferiu-se depois para o V. Guimarães.
Em 1952/53 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto. Ao serviço dos Dragões conquistou o Campeonato Nacional de 1955/56, sob o comando do brasileiro Dorival Yustrich, e onde formou uma dupla atacante com outro brasileiro de nome Jaburu. Ainda nessa temporada de 1955/56 ajudou o F.C. Porto a conquistar a sua primeira Taça de Portugal.
Na época de 1957/58 repetiu a vitória na Taça de Portugal onde os portistas bateram o S.L. Benfica na Final do dia 6 de Junho por 1-0, golo de Hernâni.
O segundo Campeonato Nacional que António Teixeira venceu com a camisola do F.C. Porto foi na temporada de 1958/59, com Bela Guttmann no comando técnico.
Venceu ainda por cinco vezes a Taça Associação de Futebol do Porto em 1956/57, 1957/58, 1959/60, 1960/61 e 1961/62.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

21 de novembro de 2010

Abel


Abel Fernando Maglietti nasceu no dia 4 de Março de 1946 em Lourenço Marques; Moçambique.
Em 1967/68 fez a sua estreia a nível Professional ao serviço do S.L. Benfica, clube que representou durante três épocas e onde venceu dois Campeonatos Nacional e duas Taças de Portugal.
Em 1970/71 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto. Nas Antas esteve cinco temporadas e chegou a formar com o brasileiro Flávio a dupla atacante que ainda hoje muitos adeptos recordam.
Na época de 1975/76 representou o V.Guimarães e na temporada seguinte mudou-se para Aveiro onde foi vestir a camisola do S.C. Beira-Mar durante dois campeonatos, tendo feito parte do mesmo plantel que António Sousa, outro jogador que passou pelo F.C. Porto.
Em 1978/79 seguiu-se o F.C. Penafiel para aí jogar duas temporadas. Em 1981/82 ingressou no Rio Ave F.C. e na temporada seguinte transferiu-se para o União Sport Clube Paredes onde terminou a carreira de futebolista no final da época de 1982/83.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal

14 de novembro de 2010

Troféu Salvador Correia de Sá

No verão de 1949 o Futebol Clube do Porto viajou até Angola onde realizou 10 jogos, os quais se traduziram em outras tantas vitórias.
No dia 3 de Agosto, o Futebol Clube de Luanda, homenageou o F.C. Porto e ofereceu o Troféu Salvador Correia de Sá à comitiva portista.
O Troféu foi construído nesse mesmo ano de 1949 nas oficinas de um desportista portuense e antigo atleta dos Dragões, de seu nome Tavares da Rocha.
A Taça é encimada por uma figura em marfim que representa Salvador Correia de Sá, que foi o libertador daquele território africano.
Em volta do troféu, seis placas ostentam o nome das cidades onde o F.C. Porto disputou as partidas, (Luanda, Benguela, Huila, Bié, Malange e Congo).

7 de novembro de 2010

Gastão


Gastão Alberto Gonçalves nasceu no dia 16 de Setembro de 1930 no Rio de Janeiro, Brasil.
No seu país representou o Tupinambás J.F. (1951 e 1952) e também o Clube Atlético Mineiro (1952, 1953, 1954 e 1955), onde conquistou quatro Campeonatos de Minas Gerais.
Em 1955/56 chega ao Futebol Clube do Porto que era orientado na altura pelo seu compatriota, Dorival Yustrich.
A sua primeira temporada ao serviço dos Dragões não poderia ter corrido melhor já que se sagrou Campeão Nacional e venceu também a Taça de Portugal, com uma vitória por 2-0 sobre o S.C. União Torreense no Jamor. No campeonato foi um dos três jogadores que Yustrich utilizou em todos os jogos, os outros foram Virgílio e Osvaldo Cambalacho. Gastão contribuiu ainda com 9 golos nesse campeonato de 1955/56, sendo o 3º melhor marcador dos portistas.
Na temporada de 1956/57 conquista a Taça Associação de Futebol do Porto.
Em 1957/58 vence a segunda Taça de Portugal, desta vez ao derrotar o S.L. Benfica na final por 1-0 (golo de Hernâni) e também a segunda Taça Associação de Futebol do Porto.
Na temporada de 1958/59, a tal do Inocêncio Calabote, Gastão volta a sagrar-se Campeão Nacional.
Na época de 1959/60 repete pela terceira vez a conquista da Taça Associação de Futebol do Porto. no final dessa temporada deixou o F.C. Porto.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
3 Taças Associação de Futebol do Porto
3 Campeonatos Mineiros

31 de outubro de 2010

Paulo Ferreira

Paulo Renato Rebocho Ferreira nasceu no dia 18 de Janeiro de 1979 em Cascais.
Estreou-se como Professional na temporada de 1997/98 ao serviço do G.D. Estoril Praia, clube que representou durante três temporadas, para na época de 2000/01 ingressar no V. Setúbal e fazer assim a sua estreia na primeira divisão do futebol nacional. Nos sadinos actuou duas temporadas.
Em 2002/03 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto onde se sagrou Campeão Nacional, venceu a Taça de Portugal e sobretudo conquistou a Taça UEFA.
Na temporada seguinte, além de já se afirmar como uma certeza no panorama futebolístico nacional, começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira e repetiu a vitória no Campeonato Nacional. Mas a maior conquista até então da sua carreira estava destinada para o dia 26 de Maio de 2004 na cidade alemã de Gelsenkirchen, quando venceu a Liga dos Campeões.
Em 2004/05 foi contratado pelo Chelsea F.C. No clube de Londres esteve durante nove temporadas, onde venceu por três vezes o Campeonato de Inglaterra, quatro Taças de Inglaterra, duas Taças da Liga, duas Supertaças e voltou a conquistar a Liga dos Campeões em 2012. No final da época de 2012/13 colocou um ponto final na sua carreira.
Continuou a sua ligação ao Chelsea F.C. como Director de Relações Institucionais.
No verão de 2004 esteve presente no Campeonato da Europa de Futebol que se disputou em Portugal. Paulo Ferreira foi titular no primeiro e no último jogo da Selecção Nacional, ambos contra a Grécia que acabou por vencer os dois encontros. Marcou presença ainda no Campeonato do Mundo de Futebol de 2006 na Alemanha, no Europeu de 2008 e no Mundial de 2010 da África do Sul.
No dia 25 de Julho de 2014 esteve presente no Estádio do Dragão onde voltou a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto para o jogo de despedida e homenagem a Deco.

Palmarés
2 Liga dos Campeões
1 Taça UEFA
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
3 Campeonatos de Inglaterra
4 Taças de Inglaterra
2 Taças da Liga Inglesa
2 Supertaças de Inglaterra

24 de outubro de 2010

Tibi


António José Oliveira Meireles (Tibi), nasceu no dia 9 de Abril de 1951 em Matosinhos.
Formado nas camadas jovens do Leixões S.C. clube da sua terra, na temporada de 1969/70 estreou-se a nível Professional. No clube de Matosinhos permaneceu três épocas.
Em 1972/73 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto.
Entre 1972/73 e 1976/77 foi o dono da baliza dos Dragões muitas vezes e fez parte do plantel que venceu a Taça de Portugal em 1976/77.
Na temporada de 1977/78 foi emprestado ao Varzim S.C. e na temporada seguinte ao F.C. Famalicão, tendo regressado às Antas em 1979/80.
Ainda representou o F.C. Porto durante mais quatro épocas tendo conquistado por duas vezes a Supertaça Cândido de Oliveira e por uma vez a Taça Associação de Futebol do Porto.
Em 1983/84 mudou-se para o R.D. Águeda, na época seguinte ingressou no G.D. Mangualde, em 1985/86 e 1986/87 representou o S.C. Espinho, na temporada de 1987/88 defendeu a baliza do F.C. Maia, clube onde terminou a sua carreira.

Palmarés
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto

17 de outubro de 2010

Taça Inauguração do Estádio da Luz


No dia 1 de Dezembro de 1954, o Futebol Clube do Porto deslocou-se a Lisboa a convite do S.L. Benfica para participar na inauguração do Estádio da Luz.
Os portistas levaram 150 atletas que foram muito bem recebidos pelos adeptos adversários. Coube a Valdemar Mota empunhar o estandarte do F.C. Porto durante o desfile solene.
Antes da partida de futebol entre as duas equipas, o capitão Virgílio entregou uma placa comemorativa ao capitão benfiquista.
O F.C. Porto alinhou com: Barrigana; Virgílio e Carvalho; Pedroto, Valle e Joaquim; Carlos Duarte, Hernâni, Teixeira, Monteiro da Costa e José Maria. Jogaram ainda: Perdigão, Eleutério e Carlos Vieira.
Os Dragões venceram a partida por 3-1 com os golos da vitória a serem apontados por: Jacinto na própria baliza, Carlos Duarte e Perdigão.
Anos mais tarde, Ângelo Carvalho recordou esse dia em que esteve presente no Estádio da Luz: “É com muita satisfação que recordo esse jogo em que vencemos o Benfica por 3-1. Mas terei de começar por falar da inauguração do nosso Estádio, em que perdemos por 8-2. Foi anormal, pois estivemos muitas horas de pé a ouvir discursos e quando ao intervalo perdíamos por 3-1. O Barrigana encontrou-se indisposto e teve que ser substituído pelo Graça, e depois tudo correu tão mal que perdemos por 8-2. Ficámos muito tristes e quando fomos a Lisboa, em 1 de Dezembro de 1954, a malta, antes do jogo, prometeu vingar-se dessa derrota. Jogámos muito bem e poderíamos até ter ganho por mais, pois o Perdigão atirou uma bola ao poste que teria feito o 4-1. No fim foi uma festa, estávamos vingados. Regressamos ao Porto de comboio, saímos em S.Bento, onde nos esperava uma multidão imensa. Fomos levados em triunfo até à antiga sede, na agora Praça General Humberto Delgado e viemos à janela mostrar o Troféu que, ainda me lembro, era bastante pesado. À saída da estação o entusiasmo era tão grande que me recordo ter perdido um sapato no meio da confusão. Mas valeu a pena ficar descalço, pois foi uma vitória que ficou a compensar a derrota nas Antas e o Troféu era muito bonito. Enfim, bons tempos que tenho imenso gosto em recordar.”

10 de outubro de 2010

Raul Meireles


Raul José Trindade Meireles nasceu no Porto no dia 17 de Março de 1983.
Fez toda a formação no Boavista F.C., ainda júnior representou a Selecção Nacional de sub-16 que venceu o Campeonato da Europa disputado em Israel em 2000.
Quando se estreou, em 2001/02, como sénior foi emprestado ao C.D. Aves onde jogou durante duas temporadas, tendo regressado ao clube do Bessa em 2003/04.
Na Primavera de 2004 voltou a marcar presença no Campeonato da Europa, desta vez na Selecção Nacional de sub-21 que na Alemanha alcançou o terceiro lugar na competição. No verão desse mesmo ano voltou a representar Portugal nos Jogos Olímpicos de Atenas.
No início da época de 2004/05 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto. Ao serviço dos Dragões, Raul Meireles manteve-se durante seis épocas e ainda iniciou a temporada de 2010/11. No período de tempo em que representou o F.C. Porto, sagrou Tetra-Campeão Nacional, venceu três Taças de Portugal, três Supertaças Cândido de Oliveira e a Taça Intercontinental. Curiosamente a ultima vez que vestiu a camisola azul e branca foi no jogo em que conquistou a sua ultima Supertaça.
No dia 28 de Agosto de 2010 transferiu-se para o F.C. Liverpool. Um ano depois mudou-se para Londres, para ingressar no Chelsea F.C. No clube londrino venceu a Taça de Inglaterra e a tão desejada Liga dos Campeões no dia 19 de Maio de 2012.
Em 2012/13 rumou ao Fenerbahçe S.K onde venceu a Taça da Turquia dessa mesma época,  já na temporada de 2013/14 sagrou-se campeão da Turquia.

Palmarés 
1 Taça Intercontinental
1 Liga dos Campeões
4 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Campeonato da Turquia
1 Taça de Inglaterra
1 Taça da Turquia
1 Supertaça da Turquia

3 de outubro de 2010

Correia Dias


Manuel Belo Correia Dias nasceu no dia 24 de Março de 1919 em Ovar.
Fez toda a formação nas camadas jovens ao serviço do Futebol Clube do Porto e na temporada de 1939/40 estreou-se na equipa principal dos Dragões numa partida contra o Leça F.C. no dia 22 de Outubro de 1939, numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1939/40. 
Esteve ao serviço do F.C. Porto durante 8 temporadas tendo conquistado o Campeonato do Porto por 5 ocasiões (1942/43, 1943/44, 1944/45, 1945/46 e 1946/47).
Foi o melhor marcador do Campeonato Nacional da época de 1941/42 ao apontar 36 golos em 21 partidas.
Apesar de ser um avançado forte fisicamente, alto e bastante corpulento, Correia Dias esteve mesmo para abandonar a competição no final da temporada de 1946/47, mas o novo treinador, Eládio Vascheto, conseguiu demover o jogador dessa ideia e assim Correia Dias continuou a vestir a camisola azul e branca. Mas para isso, foi como que obrigado a receber salário, ele que nunca tinha sido remunerado e sempre tinha jogado por amor à camisola. Aceitou a condição e explicou-a numa entrevista que deu em 1948 à revista Stadium: “Eu acho o profissionalismo perfeitamente aceitável. É mesmo honroso ser profissional. Se eu precisasse do futebol acredito que receberia desde há muito. Mas, como isso não se tem dado, nunca pensei nas remunerações do clube. Agora posto o problema da disciplina e das obrigações, considerada necessária a minha inclusão na equipa do clube, nestas condições, acedi e ganho. Pronto.”
Correia Dias quando aceitou continuar a sua carreira de certeza que nunca pensou que viria a fazer parte de um dos maiores feitos da história do futebol português. A vitória do F.C. Porto contra o Arsenal F.C. no dia 7 de Janeiro de 1948 por 3-2, com dois golos de sua autoria.
Já em 1949, mais precisamente no dia 16 de Janeiro, realizou o seu último jogo como futebolista. Foi contra o S.C. Olhanense no estádio da Constituição. Nesse dia ainda marcou um golo, que foi o seu último, o 110º em 114 jogos.

Palmarés:
5 Campeonatos do Porto

28 de setembro de 2010

F.C. Porto 117 anos

Parabéns a todos os que ao longo destes 117 anos tornaram o Futebol Clube do Porto no melhor e mais prestigiado clube de Portugal

26 de setembro de 2010

Osvaldo Cambalacho

Osvaldo Marques Cambalacho nasceu no dia 12 de Setembro de 1924 no Seixal.
Foi no clube da sua terra natal que iniciou a carreira de futebolista.
Na temporada de 1951/52 ingressou no Futebol Clube do Porto, mas foi já com o técnico Dorival Yustrich no comando dos portistas que Cambalacho ganhou um lugar na defesa, depois do treinador brasileiro dispensar o até então titular Ângelo Carvalho.
Mas foi nessa temporada de 1955/56 que 16 anos depois, o F.C. Porto voltou a vencer o Campeonato Nacional e também venceu a sua primeira Taça de Portugal, que Cambalacho teve um papel importante na equipa ao ser um dos três jogadores que realizou todas as 26 partidas do campeonato nacional.
Na temporada seguinte venceu a Taça Associação de Futebol do Porto e no final da época terminou a carreira de jogador.
Passou depois a treinador tendo passado pelo Boavista F.C. em 1966 onde garantiu a subida à 1ª Divisão pelo clube do Bessa.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça Associação de Futebol do Porto

19 de setembro de 2010

Seninho


Arsénio Rodrigues Jardim (Seninho), nasceu no dia 1 de Julho de 1949 em Sá da Bandeira, Angola.
Ingressou no Futebol Clube do Porto em 1969, no entanto regressou a Angola no ano de 1972 para cumprir Serviço Militar. Enquanto esteve em terras angolanas, Seninho jogou no Coqueiros e no Moxico, onde se sagrou Campeão de Angola em 1973.
Em 1974 voltou a Portugal e ao F.C. Porto. Venceu a Taça de Portugal em 1976/77, e o Campeonato de 1977/78, conquistado 19 anos depois do último título portista. Na temporada seguinte contribuiu com 5 golos para a revalidação do campeonato.
Mas foi na Taça dos Vencedores das Taças que Seninho brilhou e ainda hoje é recordado por muitos adeptos. Em causa estava a segunda eliminatória contra o já poderoso Manchester United F.C. No jogo da primeira-mão, realizado no dia 19 de Outubro de 1977, o estádio das Antas assistiu a uma das mais brilhantes exibições dos Dragões, com o resultado final a ser uma vitória por 4-0 sobre os ingleses. Na segunda-mão em Old Trafford os ingleses dominaram por completo e marcaram 5 golos, mas não chegaram para seguir em frente porque Seninho com a sua velocidade marcou por duas vezes e colocou o F.C. Porto na eliminatória seguinte. Nas bancadas estavam dois técnicos do N.Y. Cosmos dos Estados Unidos com o objectivo de observar a maior estrela dos portistas na altura, que era António Oliveira. Mas acabaram por ficar fascinados com Seninho que contrataram por 20 mil contos.
No N.Y. Cosmos, Seninho permaneceu durante cinco anos. Em 1983 transferiu-se para o Chicago Sting para jogar mais dois anos e onde terminou a sua carreira em 1984.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
3 Campeonatos dos EUA
1 Trans-Atlantic Cup
1 Campeonato de Angola

12 de setembro de 2010

Dr. Urgel Horta



Doutor Urgel Julio Horta nasceu no dia 17 de Junho de 1896 em Felgar, Torre de Moncorvo.
Formado em medicina pela Universidade do Porto, especializado em oftalmologia e autor de várias obras literárias. Foi presidente do Futebol Clube do Porto em dois períodos: 1928/1929 e em 1951/1954.
Foi durante o seu primeiro mandato que o F.C. Porto se tornou Instituição de Utilidade Pública a 13 de Março de 1928.
Na sua segunda passagem pela presidência do clube foi inaugurado o Estádio das Antas no dia 28 de Maio de 1952, o mesmo dia em que o clube foi honrado com a visita do Chefe de Estado, general Craveiro Lopes, que colocou no estandarte do clube a Medalha de Mérito Desportivo que só fora até então atribuída aos componentes da equipa Nacional de hóquei em patins que conquistaram títulos mundiais.

5 de setembro de 2010

Bruno Alves


Bruno Eduardo Regufe Alves nasceu no dia 27 de Novembro de 1981 na Póvoa de Varzim.
Bruno Alves começou a jogar futebol nas camadas jovens do Varzim S.C., até que na temporada de 1999/2000 ingressou na equipa B do Futebol Clube do Porto. Durante três temporadas esteve na segunda equipa dos Dragões, tendo depois sido emprestado ao S.C. Farense, V. Guimarães e AEK de Atenas.
Na temporada de 2005/06 já fez parte do plantel portista e sagrou-se Campeão Nacional pela primeira vez. Á vitória no campeonato juntou ainda a conquista da Taça de Portugal.
Na temporada seguinte e com a chegada de Jesualdo Ferreira, Bruno Alves começou a ser um dos esteios da equipa e termina a época a vencer, tal como tinha iniciado, com a Supertaça Cândido de Oliveira a anteceder ao Bi-Campeonato.
Em 2007/08 foi o jogador do plantel com mais minutos no campeonato, em que o F.C. Porto se sagrou Tri-Campeão.
Nova temporada com a camisola dos Dragões e mais uma vez foi o mais utilizado pelo treinador. No fim da época conquista o Tetra.
2009/10 Começou a vencer, a Supertaça e terminou também a vencer a Taça de Portugal.
Em 2010/11 ainda vestiu a camisola do F.C. Porto na apresentação oficial aos sócios mas alguns dias depois rumou à Rússia para representar o F.C. Zenit St. Petersburg. No clube russo venceu dois campeonatos russos, a Taça da Russia e uma Supertaça da Russia. Em 2013/14 rumou à Turquia para ingressar no Fenerbahçe S.K. tendo-se sagrado campeão da Turquia nessa mesma temporada ao que juntou a conquista da Supertaça turca na temporada seguinte. Em 2016/17 viajou para Itália onde defendeu as cores do Cagliari.
Bruno Alves esteve também ao Serviço da Selecção Nacional nos Jogos Olimpicos de Atenas de 2004, nos Campeonatos da Europa de Futebol de 2008, 2012 e 2016, este ultimo disputado em França e onde Portugal se sagrou Campeão da Europa. Esteve ainda nos Campeonatos do Mundo de Futebol de 2010 e 2014. 

Palmarés
1 Campeonato da Europa Selecções (Portugal)
4 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonato da Russia
1 Campeonato da Turquia
2 Taças de Portugal
1 Taça da Russia
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Supertaça da Russia
1 Supertaça da Turquia

23 de agosto de 2010

Rui


Rui Fernando de Sousa Teixeira nasceu no dia 27 de Setembro de 1942 na Mealhada.
Deu início à sua carreira no mundo do futebol nas camadas jovens do clube da sua terra natal e depois de um curta passagem pelo C.F. Belenenses, chega no ano de 1958 aos juniores do Futebol Clube do Porto.
Começa desde logo a brilhar na baliza dos jovens Dragões e isso valeu-lhe a chamada à Selecção Nacional de juniores que em 1960 participou no Torneio Internacional da UEFA na Áustria. Em 1961 e ainda na Selecção júnior, desta vez treinada por José Maria Pedroto, Rui disputou o Campeonato Europeu que teve lugar em Lisboa e onde alcançou a vitória no torneio.
Assim não foi de estranhar que na temporada de 1961/62 e com apenas 19 anos, fizesse parte do plantel principal, mas onde encontrou a concorrência de Américo e raramente saiu do banco de suplentes. Só em 1964/65 é que o jovem guarda-redes começou a jogar com regularidade e dividiu a titularidade da baliza portista com Américo. Mas na temporada seguinte voltou ao banco de suplentes e apenas na temporada de 1969/70 é que foi novamente titular, mas isso não foi motivo para recordar durante muito tempo já que essa época o F.C. Porto utilizou mais 4 guarda-redes e terminou o campeonato em 9º lugar.
Na temporada de 1970/71 e com Tommy Docherty a treinador, Rui continuou a ser o dono da baliza o que aconteceu durante mais duas temporadas.
Em 1973/74 e com a chegada do técnico Bella Guttman, foi mais uma vez relegado para o banco de suplentes e teve que medir forças com Tibi.
1976 foi o ano do regresso de José Maria Pedroto ao F.C. Porto e também o de Rui ao banco de suplentes.
Rui ainda representou os Dragões durante as temporadas de 1977/78, onde disputou 1 jogo e 1978/79, onde não foi utilizado. Venceu ainda duas Taças de Portugal em 1967/68 e 1976/77, assim como cinco Taças Associação de Futebol do Porto (1961/62, 1962/63, 1963/64, 1964/65 e !965/66).
Rui esteve todas as 18 temporadas que realizou em sénior ao serviço dos Dragões, o que é uma raridade e um exemplo de amor ao clube.
Actualmente é treinador dos guarda-redes da equipa de Sub19.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

8 de agosto de 2010

Jesualdo Ferreira


Manuel Jesualdo Ferreira nasceu no dia 24 de Maio de 1946 em Mirandela.
Quando jovem, estudou em Chaves onde jogou nos juniores da equipa local. Mudou-se depois para Lisboa onde terminou o curso de Desporto.
Deu início à carreira de treinador em 1981/82 no União Desportiva de Rio Maior. Passou depois pelo S.C. União Torreense, Académica Coimbra, Atlético C.P., C.F. Estrela da Amadora, até chegar ao S.L. Benfica onde nas temporadas de 1992/93 e 1993/94 foi treinador adjunto.
Em 1995/96 aventurou-se no estrangeiro e viajou para Marrocos onde comandou o Association des Forces Armées Royales Rabat.
No ano de 1997 regressou a Portugal para orientar a Selecção Nacional de sub-21, lugar que ocupou até 2000.
Em 2000/01 tomou conta do F.C. Alverca, para na temporada seguinte voltar ao S.L. Benfica mas desta vez como técnico principal. Saiu do clube de Lisboa depois de eliminação na Taça de Portugal aos pés do Gondomar S.C. em pleno estádio da Luz.
S.C. Braga foi o destino seguinte de Jesualdo Ferreira, clube que treinou durante três épocas e onde conheceu algum sucesso a nível nacional.
Em 2006/07 foi contratado pelo Boavista F.C. mas ainda antes do início do campeonato rescindiu o contrato para se ligar ao Futebol Clube do Porto.
Nos Dragões manteve-se durante quatro temporadas. Venceu 3 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal e 1 Supertaça Cândido de Oliveira. Tornou-se assim o primeiro treinador português a vencer três campeonatos nacionais consecutivos e ao mesmo tempo o primeiro treinador a comandar o F.C. Porto durante quatro anos.
Os sucessos alcançados enquanto técnico do F.C. Porto valeram-lhe ainda vários prémios individuais, tais como a medalha de ouro da Autarquia de Mirandela em 2007. O Globo de Ouro para treinador do ano de 2008 e o prémio C.N.I.D. de melhor treinador no ano de 2009.
Em 2010/11 rumou a Espanha para assumir o comando técnico do Málaga C.F. No entanto a sua passagem por terras espanholas não correu da melhor forma e foi dispensado ainda antes do meio da temporada, mas ficou pouco tempo no desemprego já que poucos dias depois assumiu o comando do Panathinaikos A.O. da Grécia até ser dispensado em novembro de 2012. Ainda em 2012, regressou a Portugal para passar a ser o Coordenador Técnico de todo o futebol do Sporting C.P.. Dias depois ocupou o cargo de treinador do clube leonino. Em 2013/14 regressa ao S.C. Braga mas apenas se manteve no clube bracarense até Fevereiro de 2014. Rumou depois ao Egito para comandar o Zamalek S.C. levando o clube do Cairo a sagrar-se Campeão do Egito da temporada 2014/15. No final do ano de 2015 deixou o clube do Cairo para ingressar no Al-Sadd S.C. do Catar, onde conquistou a Taça do Catar e a Taça do Emir, ambas em 2017.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Egito
2 Taças de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Taça do Catar
1 Taça do Emir (Catar)

1 de agosto de 2010

Taça Teresa Herrera

O Torneio Teresa Herrera é um dos mais prestigiados e antigos do mundo, A primeira edição foi disputada em 1946 e teve como vencedor a equipa do Sevilha F.C.
A origem do torneio, criado pela Câmara de Corunha, foi com o objectivo de obter fundos para o Hospital Dolores, que tinha sido fundado no final do século XVIII por Teresa Margarita Herrera y Posada.
Ao longo dos anos da sua existência, o torneio tem sido disputado por grandes clubes mundiais, como o F.C. Barcelona, C.A. Peñarol, Manchester United F.C. , F.C. Bayern de Munique, Fluminense F.C., entre outros.
O Futebol Clube do Porto já teve a honra de participar no torneio por seis vezes e conquistou o troféu em 1991.
Os Dragões foram o primeiro clube português a participar na prova em 1948. Nesse ano apenas se realizou um jogo, foi contra o F.C. Barcelona e os espanhóis venceram por 2-1.
Em 1964 o F.C. Porto voltou à Galiza juntamente com o Sporting C.P., A.S. Roma e R.C. Deportivo da Coruña, e mais uma vez a formação espanhola levou a melhor com uma vitória por 2-0.
Em 1980 os restantes convidados foram o R.S. Gijón, Real Madrid F.C. e C.R. Flamengo. Desta vez os carrascos foram os madrilistas que ganharam por 2-1.
Em 1985 o F.C. Porto foi mais uma vez convidado juntamente com o Atlético de Madrid, Real Madrid F.C. e C.R. Flamengo. Os portistas vencem os brasileiros por 1-0 mas depois na final foram derrotados pelo Atlético de Madrid.
Em 1991 já a história foi bem diferente. O F.C. Porto começa por vencer o Real Madrid F.C. por 2-1 e depois na final derrotaram o R.C. Deportivo da Coruña, que tinha vencido o F.C. Ajax, e trouxeram assim a bela taça para a vitrina do estádio das Antas.
A última participação do Futebol Clube do Porto na Torneio Teresa Herrera foi em 1994. R.C. Deportivo da Coruña, U.C. Sampdoria e Real Madrid F.C. foram as equipas. Os Dragões perderam para a equipa da casa por 2-1 e no jogo de atribuição do 3º lugar foram derrotados pelos italianos por idêntico resultado.
O torneio teve desde o seu início a organização a cargo da Câmara de Corunha, a partir de 2000 a organização do evento passou para o R.C. Deportivo da Coruña.
A taça é uma réplica da Torre de Hércules que é o farol mais antigo do mundo ainda a funcionar. É o Monumento nacional espanhol mais antigo e ilustre da região da Galiza e que figura no escudo da Corunha.

11 de julho de 2010

Carlos Alberto


Carlos Alberto Gomes de Jesus nasceu no dia 11 de Dezembro de 1984 no Rio de Janeiro, Brasil.
Começou a destacar-se no mundo do futebol no Fluminense F.C. clube onde se estreou como sénior em 2002.
A qualidade do seu futebol rapidamente despertou o interesse dos principais clubes europeus e no início de 2004 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Na equipa comandada por José Mourinho, Carlos Alberto foi desde o inicio um dos principais elementos, principalmente na Liga dos Campeões onde foi o autor do primeiro golo na Final de Gelsenkirchen em 2004 em que os portistas venceram o A.S. Mónaco por 3-0 e tornou-se no mais novo jogador de sempre a marcar um golo na final da prova máxima de clubes da UEFA. Ainda nessa temporada de 2003/04, Carlos Alberto sagrou-se Campeão Nacional tendo apontado 1 golo, o único com que o F.C. Porto derrotou o Moreirense F.C. no estádio do Dragão.
A temporada seguinte começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, ganha em Coimbra depois da vitória sobre o S.L. Benfica por 1-0. Em Dezembro de 2004, Carlos Alberto voltou a viver um dos momentos altos da carreira ao vencer a Taça Intercontinental no Japão contra os colombianos do C.D. Once Caldas. Foi assim o culminar de um ano em grande em que Carlos Alberto vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto, já que em Janeiro de 2005 foi vendido ao S.C. Corinthians.
No clube de São Paulo permaneceu durante dois anos. Em 2005 venceu o Campeonato Brasileiro, mas em 2006 problemas de ordem disciplinares levaram o técnico Émerson Leão a afasta-lo do restante plantel.
Em 2007 voltou ao Fluminense F.C. onde venceu a Copa do Brasil o que em parte lhe valeu a transferência de novo para um clube da Europa, o Werder Bremen. No emblema alemão nunca se conseguiu impor e regressou de novo ao Brasil por empréstimo. Primeiro para o São Paulo F.C. depois ingressou no Botafogo F.R. e em 2009 no C.R. Vasco da Gama.
Em 2010 o clube carioca acertou com o Werder Bremen a sua transferência até 2013, mas em 2011 rumou ao Grémio de Porto Alegre por empréstimo. Em 2012 voltou ao C.R. Vasco da Gama. Em 2014 inressou no Goiás S.C. e no mesmo ano transferiu-se para o Botafogo F.R., seguiu-se o Figueirense F.C. em 2015 e 2016, para 2017 rumou ao Clube Atlético Paranaense.

Palmarés
1 Taça Intercontinental
1 Liga dos Campeões
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Supertaça Cândido de Oliveira
1 Campeonato do Brasil
1 Campeonato do Brasil Serie B
1 Campeonato Carioca
1 Copa do Brasil

4 de julho de 2010

Valdemar


Valdemar de Barros Pacheco nasceu no dia 26 de Outubro de 1943 em Lordelo, Paredes.
Iniciou-se no mundo do futebol no clube da sua terra, o Aliados Futebol Clube de Lordelo, mas ainda júnior chegou ao Futebol Clube do Porto. Na condição de júnior fez parte do plantel que disputou o Torneio Internacional de Juniores da UEFA de 1961. Nesse mesmo ano, Valdemar subiu à categoria de sénior dos portistas.
Foi emprestado durante uma temporada ao C.F. União de Lamas e em 1964 voltou às Antas, só que teve de cumprir o serviço militar obrigatório e assim foi na época de 1965/66 que voltou ao F.C. Porto e começou a ser um jogador importante na defesa dos Dragões.
O ponto alto da sua carreira foi a Final da Taça de Portugal de 1968 em que o F.C. Porto venceu o V. Setúbal por 2-1 com Valdemar a apontar o primeiro golo do jogo.
Conquistou também a Taça Associação de Futebol do Porto em 1962/63 e 1965/66.
No final da temporada de 1973/74 deixou o F.C. Porto e na temporada seguinte ingressou no S.C. Espinho onde terminou a sua carreira.

Palmarés
1 Taça de Portugal
2 Taças Associação de Futebol do Porto

20 de junho de 2010

José Mourinho


José Mário dos Santos Félix Mourinho nasceu no dia 26 de Janeiro de 1963 em Setúbal.
Filho de Félix Mourinho (um antigo guarda-redes do V.Setubal e C.F. Belenenses), como futebolista nunca se conseguiu impor e acabou por ser como treinador que alcançou a fama.
Formado em Educação Física pelo I.S.E.F. da Universidade Técnica de Lisboa. Passou pelo C.F. Estrela da Amadora e pelo V. Setúbal como preparador físico antes de fazer parte da equipa técnica do Sporting C.P. liderada pelo inglês Bobby Robson que depois se mudou para o Futebol Clube do Porto e mais tarde para o F.C. Barcelona. Permaneceu no clube catalão quando Bobby Robson saiu para o PSV Eindhoven, e passou a adjunto de Louis Van Gaal.
Em 2000/01 regressou a Portugal para assumir o comando do S.L. Benfica onde se manteve durante 9 jogos, até o clube mudar de presidente.
Ainda nessa temporada ingressou no União de Leiria para deixar o clube da cidade do lis em Janeiro de 2002 para comandar o F.C. Porto.
Chega ao Futebol Clube do Porto e logo afirma que vai ser campeão na próxima temporada. Assim disse e assim o fez já que em 2002/03 os portistas venceram o Campeonato Nacional mas também a Taça de Portugal e ainda a Taça UEFA numa épica partida contra os escoceses do Celtic F.C. Foi assim uma época em cheio de uma equipa praticamente nova com muitos jogadores que nessa temporada ingressaram no clube, casos de Pedro Emanuel, Maniche, Derlei, Paulo Ferreira e Nuno Valente.
Na temporada de 2003/04 começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira, voltou a vencer o Campeonato Nacional e ganhou a Liga dos Campeões onde deixou pelo caminho clubes como o O. Lyon, R.C. Deportivo da Coruña e Manchester United F.C. No final dessa temporada, José Mourinho decidiu abandonar o F.C. Porto de forma inglória o que não caiu bem na maioria dos adeptos portistas.
Na temporada seguinte transferiu-se para o Chelsea F.C. de Inglaterra e leva o clube londrino à vitória do campeonato 50 anos depois da última vez que foram campeões. Ainda nessa temporada ganhou também a Taça da Liga Inglessa. Em 2005/06 voltou a ganhar o campeonato e a Supertaça de Inglaterra. Na época seguinte vence a Taça de Inglaterra e de novo a Taça da Liga. Em Setembro de 2007 deixou os ingleses.
Em 2008/09 rumou a Itália para levar o Inter de Milão à conquista do campeonato e à vitória na Supertaça italiana. Na época de 2009/10 venceu a Taça de Itália, depois repetiu a vitória no campeonato nacional e voltou a conquistar a Liga dos Campeões, o que lhe valeu a entrada num grupo muito restrito de apenas 3 treinadores Campeões Europeus por 2 clubes. No final deixou os italianos para se juntar aos espanhóis do Real Madrid F.C. onde venceu a Taça de Espanha de 2010/11 o campeonato de 2011/12 e a Supertaça em 2012/13. Em 2013/14 regressou a Inglaterra e ao Chelsea F.C. Os triunfos tardaram um pouco a chegar, mas em Março de 2015 voltou a levar o clube londrino à vitória na Taça da Liga inglesa e voltou a sagrar-se Campeão de Inglaterra em 2014/15. Na temporada seguinte os maus resultados foram-se acumulando e em Dezembro de 2015 foi afastado do comando técnico do clube londrino. No inicio da época de 2016/17 assumiu o comando técnico do Manchester United F.C. e começou logo por conquistar a Supertaça de Inglaterra, seguindo-se a vitória na Taça da Liga inglesa em Fevereiro de 2017 e a conquista da Liga Europa no final da temporada de 2016/17.

Palmarés
2 Liga dos Campeões
2 Taça UEFA Liga Europa
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Campeonatos de Inglaterra
2 Campeonato de Itália
1 Campeonato de Espanha
1 Taça de Portugal
1 Taça de Inglaterra
1 Taça de Itália
1 Taça de Espanha
1 Supertaça Cândido de Oliveira
2 Supertaça de Inglaterra
1 Supertaça de Itália
1 Supertaça de Espanha
4 Taças da Liga de Inglaterra

13 de junho de 2010

Taça Intercontinental

A Taça Intercontinental foi criada por Henri Delaunay e teve a primeira edição no ano de 1960 numa disputa a duas mãos entre o Campeão Europeu, Real Madrid F.C. e o Campeão Sul-Américano, C.A. Peñarol. Os espanhóis venceram o troféu já que obtiveram três pontos nos dois jogos.
Até 1968 o vencedor era a equipa que conquistava maior número de pontos no conjunto das duas partidas e houve mesmo edições que tiveram um jogo de desempate para se encontrar o vencedor.
De 1969 a 1979 passou a decidir-se pela diferença de golos nas duas-mãos.
Entre 1980 e 2004 o evento realizou-se no Japão, muito por culpa da marca Toyota que passou a patrocinadora oficial da competição. O modelo do torneio voltou também a sofrer alterações, passando a disputar-se em apenas um jogo.
Foi precisamente neste ultimo período que Portugal voltou a ter um representante na competição, o Futebol Clube do Porto. Já antes tinha sido representado pelo S.L. Benfica, em 1961 e em 1962, mas sem sucesso.
Bem sucedidas foram as duas presenças dos Dragões em terras nipónicas já que venceram os dois encontros, em 1987 e em 2004.
Em 1987 a equipa comandada por Tomislav Ivic venceu o C.A. Peñarol por 2-1, com os golos a serem apontados por Fernando Gomes e Rabat Madjer, numa partida disputada no estádio Olímpico de Tóquio, em péssimas condições e onde o verde do relvado deu lugar ao branco da neve. Madjer foi também eleito pelos jornalistas o melhor jogador do encontro.
Em 2004 o F.C. Porto voltou ao Japão, desta vez ao estádio Internacional de Yokohama, para defrontar os colombianos do C.D. Once Caldas. O jogo foi decidido no prolongamento das grandes penalidades e onde os portistas encontraram a felicidade que parecia lhes querer fugir durante o tempo regulamentar. Mais uma vez o melhor jogador foi um portista, Maniche.
O Futebol Clube do Porto foi assim a equipa que ficou com o troféu original já que a partir de 2005 a competição voltou a ter um novo formato e uma nova taça.

30 de maio de 2010

Carlos Nunes


Carlos Ferreira da Silva Nunes nasceu no dia 20 de Dezembro de 1914.
Jogava como extremo-esquerdo e a única camisola que vestiu foi a do Futebol Clube do Porto, entre a temporada de 1932/33 e 1941/42.
Assim fez parte do plantel portista que venceu o Campeonato da I Liga em 1934/35, o que foi o primeiro campeonato nacional de futebol.
Na época de 1936/37, Carlos Nunes ajudou o F.C. Porto a vencer o Campeonato de Portugal.
Em 1937/38 e num jogo contra o Sporting C.P., Carlos Nunes entrou para a história, não só do clube como do futebol português, ao apontar 4 golos num clássico, o que nunca tinha acontecido antes. O resultado final acabou por ser uma vitória dos portistas por 10-1.
Para a época de 1938/39 a Federação extinguiu a Liga e o Campeonato de Portugal e decidiu organizar o Campeonato Nacional. F.C. Porto, Académico do Porto, Académica de Coimbra, F.C. Barreirense, Casa Pia A.C., C.F. Belenenses, S.L. Benfica e Sporting C.P., foram as equipas participantes nesse campeonato. No final os Dragões obtiveram 23 pontos, 10 vitórias, 3 empates, 1 derrota e 57 golos marcados, com 15 deles de autoria de Carlos Nunes.
Na temporada seguinte o campeonato foi alargado para dez equipas e em 18 partidas o F.C. Porto venceu por 17 vezes e sagraram-se Bi-Campeões Nacionais. Nessa temporada Carlos Nunes já poucas vezes jogou e terminou a sua carreira pouco depois.
Venceu também o Campeonato do Porto por 8 vezes.
Carlos Nunes representou ainda a Selecção Nacional por três vezes.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisãp (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato da I Liga
8 Campeonatos do Porto

23 de maio de 2010

Gabriel


Gabriel Azevedo Mendes nasceu no dia 30 de Maio de 1954 em Miragaia no Porto.
Estreou-se na equipa principal do Futebol Clube do Porto na temporada de 1974/75. Esteve ao serviço dos Dragões durante nove épocas onde foi sempre (á excepção do ultimo ano), o dono do sector direito da defesa portista.
Conquistou a Taça de Portugal em 1976/77 e sagrou-se Bi-Campeão Nacional em 1977/78 – 1978/79. Ainda venceu mais duas Supertaças Cândido de Oliveira.
Em 1980/81 conquistou a Taça Associação de Futebol do Porto.
Na época de 1982/83 perdeu a titularidade para o jovem João Pinto e apenas realizou 8 jogos. No final dessa temporada optou por sair do F.C. Porto para jogar no Sporting C.P., clube que representou por quatro épocas, no entanto sem nunca conhecer o sucesso que viveu nas Antas, tendo apenas vencido uma Taça Associação de Futebol de Lisboa, em 1984/85.
Em 1987/88 transferiu-se para o S.C. Covilhã. Disputou nove partidas e no final do campeonato colocou um ponto final na carreira.
Gabriel vestiu também a camisola da Selecção Nacional por 20 vezes.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
2 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça Associação de Futebol do Porto
1 Taça Associação de Futebol de Lisboa

16 de maio de 2010

Soares dos Reis


Manuel Soares dos Reis nasceu no dia 11 de Março de 1911 em Penafiel.
Foi o primeiro guarda-redes internacional do Futebol Clube do Porto.
Dono da baliza dos Dragões durante oito temporadas, desde 1933/34 a 1943/44.
Venceu por nove vezes o Campeonato do Porto e fez parte do plantel portista que venceu o primeiro Campeonato da I Liga em 1934/35 e foi ainda Campeão de Portugal em 1936/37 e Campeão Nacional em 1938/39.
Em 1986, quando já contava com 76 anos, contou: “A maior parte dos jogadores não aparecia aos treinos. Uns porque trabalhavam, outros porque se alimentavam mal e não podiam esbanjar as energias que guardavam para os jogos oficiais”.
“Para mim era terrível jogar fora de casa. O publico estava junto de nós e tratava-nos do piorio. Tínhamos de jogar em duas frentes, defendendo os remates dos avançados e os do público. E os destes eram, muitas vezes, bem mais dolorosos”.
“O lugar de guarda-redes foi sempre ingrato. Depois dele, só há a baliza, o golo. Uma coisa posso dizer: não havia «frangos» nem «chapéus». O guarda-redes saia mais da baliza do que sai hoje. Eu era decidido: ou ia ou não ia”.
Depois de deixar o futebol ainda continuou ligar ao F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato da 1ª Liga (Portugal)
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Porto

9 de maio de 2010

Alfredo Murça


Alfredo Manuel da Silva Murça nasceu no dia 17 de Janeiro de 1948 na Costa da Caparica.
Deu início à sua carreira de futebolista no Grupo Desportivo dos Pescadores da Costa da Caparica para depois se mudar para o C.F. Belenenses onde se estreou na equipa principal na época de 1968/69. No clube de Belém jogou durante seis temporadas tendo-se sagrado vice-campeão na época de 1972/73.
Em 1974/75 transferiu-se para o Futebol Clube do Porto. Vestiu a camisola dos Dragões durante sete temporadas onde fez parte do plantel que colocou um ponto final no jejum de 19 anos sem os portistas ganharem o campeonato. Em 1977/78 e 1978/79 sagrou-se Bi-Campeão Nacional e já antes tinha vencido uma Taça de Portugal na temporada de 1976/77. Conquistou ainda a Taça Associação de Futebol do Porto em 1980/81.
Na temporada de 1981/82 mudou-se para o V. Guimarães onde jogou durante mais 3 época, até terminar a sua carreira de futebolista em 1983/84.
Voltou a passar pelo F.C. Porto como treinador adjunto.
Faleceu no dia 24 de Agosto de 2007 após doença prolongada.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça Associação de Futebol do Porto

2 de maio de 2010

Custódio Pinto


Custódio João Pinto nasceu no dia 9 de Fevereiro de 1942 no Montijo.
Começou a jogar futebol no C.D. Montijo, até que em 1961/62 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
Vestiu a camisola dos Dragões durante dez temporadas (1961/62 a 1970/71).
Esteve presente na noite de 16 de Setembro de 1964 numa partida em que o F.C. Porto venceu o Olimpique de Lyon por 3-0 e que marcou a primeira vitória da equipa portista nas competições europeias.
Foi o capitão dos portistas durante muito tempo e foi nessa condição que ergueu a Taça de Portugal de 1968 no Jamor onde o F.C. Porto derrotou o V. Setúbal por 2-1, com golos de Valdemar e Nóbrega.
Venceu por 5 vezes a Taça Associação de Futebol do Porto (1961/62, 1962/63, 1963/64, 1964/65 e 1965/66).
Custódio Pinto foi ainda junto com Américo e Alberto Festa um dos três “magriços” das Antas que marcaram presença no Campeonato do Mundo de Futebol de 1966.
No final de 1970/71 rumou ao V. Guimarães, mas para trás deixou dez temporadas com a camisola azul e branca. Disputou 242 jogos no campeonato e marcou 80 golos.
No fim da temporada de 1974/75, e quando ainda representava os vimarenenses, colocou um ponto final na carreira.

Palmarés
1 Taça de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

25 de abril de 2010

Carlos Alberto Silva


Carlos Alberto Silva nasceu no dia 14 de Agosto de 1939 em Bom Jardim de Minas, no estado de Minas Gerais no Brasil.
Formou-se na Universidade Federal de Minas Gerais em educação física e em 1978 estreou-se como treinador pelo Guarani F.C. Na temporada de 1978/79 levou o clube de Campinas à vitória no campeonato brasileiro, o que é um feito inédito até aos dias de hoje.
Depois passou pelo São Paulo F.C., Atlético M.G., Santa Cruz F.C., Sport C.R., Cruzeiro E.C. Em 1987/88 foi o técnico da Selecção do Brasil e conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 1987.
Em 1990/91 rumou ao Japão para orientar o F.C. Nippon Tokyo Verdy tendo-se sagrado Campeão do Japão.
Em 1991/92 chegou a Portugal para comandar a equipa do Futebol Clube do Porto. No final dessa temporada sagrou-se Campeão Nacional. Na temporada seguinte começou por conquistar a Supertaça Cândido de Oliveira e terminou a vencer novamente o Campeonato Nacional.
Regressou em 1993/94 ao Brasil para treinar o Cruzeiro E.C. Depois o S.C. Corinthians e o S.E. Palmeiras. Em 1996/97 voltou à Europa, desta vez para viajar até Espanha onde orientou o R.C. Deportivo de La Coruña. Voltou novamente ao Brasil para comandar o Goiás E.C. Seguiu-se o regresso ao Guarani F.C. com uma passagem pelo Santos F.C. pelo meio. Em 2002/03 regressou ao campeonato português para treinar o C.D. Santa Clara dos Açores onde esteve durante duas temporadas. Voltou depois ao Brasil onde ainda treinou o América F.C. e o Atlético, ambas as equipas de Minas Gerais.
No final da temporada de 2004/05 deu por terminada a sua carreira de treinador.
Faleceu no dia 20 de Janeiro de 2017.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Supertaça Cândido de Oliveira
3 Campeonatos Pernambucano
2 Campeonatos Paulistas
1 Campeonato do Brasil
1 Campeonato do Japão
1 Campeonato Mineiro
1 Medalha de Ouro Jogos Pan-Americanos

18 de abril de 2010

Estádio das Antas



O Estádio das Antas foi a casa do Futebol Clube do Porto durante 51 anos.
Estávamos em 1933 e o actual Campo da Constituição começava a ficar pequeno para as necessidades do F.C. Porto. Assim numa Assembleia Geral apareceu a proposta para a construção de um novo estádio.
A opção pela aquisição de 48 mil metros quadrados na antiga Quinta de Salgueiros, oficializada em 8 de Setembro de 1948 e registada com o preço de 1440 contos.
Entre o início das obras e a sua inauguração, a 28 de Maio de 1952, decorreram dois anos e 101 dias, tempo durante o qual o estádio deu emprego a 350 operários, apoiados por duas máquinas escavadoras e transportadoras de terra, cada uma a fazer o trabalho de 100 homens, como se dizia na altura.
Notável foi o movimento associativo que se gerou e cresceu em torno desse grande desígnio de dar ao F.C. Porto uma nova casa. Para além do esforço de sócios dedicados, que ofereciam tempo, imaginação e dinheiro, a empreitada foi uma vontade colectiva que extravasou das portas da cidade para todo o distrito, com o desfile de dois “cortejos de materiais” reunindo 104 viaturas (62 camionetas, 37 automóveis e 10 furgonetas), com a Maia a marcar a distancia com as suas 45 camionetas e automóveis ajoujados de material para o estádio.
Ficou de resto conhecida como a “Direcção do Milagre” a equipa liderada por Urgel Horta (presidente), Ivo de Araújo, Amadeu Arroyo, Alberto Ruela, Moreira de Sousa, Torcato Plácido e João Carlos Pinto de Freitas, nata de um punhado de homens que na retaguarda aplainavam vontades, arranjavam fundos e congregavam fervor clubistico e regional.
Para a festa da inauguração foi convidado o S.L. Benfica, estiveram ainda clubes da cidade e do Norte. No mento mais solene da inauguração do Estádio das Antas, o Presidente da Republica, general Craveiro Lopes, colocou na bandeira do clube a Medalha de Mérito Desportivo.
No dia 1 de Junho de 1952 realizou-se o primeiro jogo oficial contra o Sporting C.P., com a vitória do FC porto por 2-0.
Em 1960 foi inaugurada a pista de ciclismo e dois anos mais tarde foi a inauguração da luz articifial.
Em 1976 foi construída a arquibancada que fechou a Porta da Maratona.
1986 Foi o ano em que o estádio voltou a sofrer alterações com o rebaixamento do campo e o desaparecimento da pista de atletismo e o aumento de 30.000 lugares.
Houveram ainda jogos memoráveis como o do dia 19 de Outubro de 1977 em que o F.C. Porto venceu o Manchester United F.C. por 4-0. A 6 de Outubro de 1986 os Dragões venceram o F.C. Barcelona por 3-1 com Juary a fazer um Hat-Trick. Ainda os 4-0 ao S.L. Benfica com 4 golos do Lemos e também contra o S.L. Benfica, aquele empate a 1-1 no dia 28 de Maio de 1978. Mais recentemente a primeira-mão contra a S.S. Lazio em que a equipa de José Mourinho venceu por 4-1, mas que podia ter sido por muito mais.
No total foram realizados 1002 partidas, com 803 vitórias, 119 empates e 80 derrotas.
Taça de CampeãoNacioanl, Taça de Portugal, Supertaça Nacional e Europeia, Taça UEFA, Taça dos Campeões Europeus e Taça Intercontinental. Todos esses troféus passaram pelo Estádio das Antas a festejar vitórias do F.C. Porto.
Mas o Estádio da Antas teve o seu dia fatídico. 16 de Dezembro de 1973, 13ª jornada, 13º minuto de jogo, Fernando Pavão caiu no relvado e não mais se levantou.

11 de abril de 2010

Duda

José Francisco Leandro Filho (Duda), nasceu no dia 4 de Agosto de 1947 em Maceió, Brasil.
Estreou-se a nivel profissional em 1970 jogando pelo S.C. Recife, clube que representou ainda em 1971. No inicio da temporada de 1971/72 transferiu-se para o V. Setúbal treinado na altura por José Maria Pedroto. Na primeira temporada com a camisola dos sadinos, Duda foi vice-campeão e também o melhor marcador da equipa, “título” que conquistou também nas duas épocas seguintes sempre ao serviço do V. Setúbal.
Em 1975/76 rumou a Espanha para ingressar no Sevilha F.C.
Em 1976/77 chegou ao  Futebol Clube do Porto onde reencontrou o técnico Pedroto.
Logo na primeira época de Dragão ao peito, Duda ajudou a conquistar a Taça de Portugal num jogo em que o F.C. Porto derrotou o S.C. Braga por 1-0 na Final disputada no Estádio Das Antas.
Nas duas temporadas seguintes sagrou-se Campeão Nacional e foi um dos principais jogadores do plantel portista.
Duda ficou também na memória dos adeptos pelos golos que marcou na primeira-mão da segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças, contra o Manchester United F.C. Os portistas venceram esse jogo por 4-0 com um “hat-trick” de Duda e ainda um golo apontado por Oliveira. Na segunda-mão disputada em Manchester, os ingleses venceram por 5-2 o que não foi suficiente para impedir que o F.C. Porto estivesse na  eliminatória seguinte.
Na temporada de 1979/80, Duda voltou a estar em destaque. Na primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus, os Dragões defrontaram o A.C. Milan. O primeiro jogo disputado no Estádio das Antas acabou empatado a zero. Na segunda-mão a equipa orientada por José Maria Pedroto carimbou o passaporte para a ronda seguinte através de um golo de Duda. Essa foi a primeira vitoria dos portistas fora de casa em jogos a contar para a Taça dos Clubes Campeões Europeus.
Na temporada de 1980/81 conquistou a Taça Associação de Futebol do Porto.
Em 1981/82, Duda regressou ao V. Setúbal para aí jogar mais uma temporada para depois, em 1982/83, ingressar no C.F. Oliveira do Douro onde terminou a sua carreira no final dessa temporada.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Taça Associação de Futebol do Porto

4 de abril de 2010

Artur


Artur Duarte de Oliveira nasceu no dia 27 de Dezembro de 1969 em Rio Branco, Brasil.
Iniciou-se no futebol no Rio Branco F.C., para em 1992 se estrear na equipa principal do Clube do Remo.
Foi nesse ano de 1992 que Artur rumou a Portugal para ingressar no Boavista F.C. Nos axadrezados manteve-se durante quatro temporadas e conquistou 1 Supertaça Cândido de Oliveira logo na primeira época, onde marcou 1 golo contra o Futebol Clube do Porto no jogo da primeira-mão disputado no Estádio das Antas.
As exibições de Artur ao serviço do Boavista F.C. começaram a despertar a atenção dos clubes mais importantes e no início da temporada de 1996/97 transferiu-se para o F.C. Porto.
Com a camisola azul e branca dos Dragões, Artur continuou a brilhar tanto a nível interno como nos jogos internacionais. Na Liga dos Campeões de 1996/97, esteve em grande principalmente em S. Siro onde o F.C. Porto venceu o A.C. Milan por 3-2 com Artur a marcar o primeiro golo portista.
A nível interno sagrou-se Tri-Campeão ao serviço dos Dragões e venceu uma Taça de Portugal, onde foi o autor de um dos três golos com que os portistas venceram o S.C. Braga na final e ainda venceu 2 Supertaças Cândido de Oliveira.
Em 1999 voltou ao Brasil para jogar pelo Esporte Clube Vitória, onde foi Bi-Campeão baiano nas temporadas de 1999 e 2000. Ainda conquistou uma Taça do Nordeste em 1999. Em 2001 Mudou-se para o Botafogo F.R. Em 2002 passou pelo Figueirense F.C., para em 2004 regressar ao Clube do Remo onde ainda venceu mais um campeonato paraense no que foi a sua última época como jogador.
Em 2007 estreou-se como treinador pelo Rio Branco F.C. (tal como tinha acontecido como jogador), e venceu o campeonato estadual. Depois seguiu-se o C.M. Ananindeua, o Clube do Remo onde voltou a ganhar o campeonato estadual em 2008, depois o Castanhal E.C. e o São Raimundo E.C. onde venceu o Campeonato Brasileiro Serie D. Seguiram-se o Cametá S.C. o Atlético Acreano, o Galvez E.C.. Em 2012 regressou ao Rio Branco F.C. mas como director técnico, mas ainda no mesmo ano voltou ao Galvez E.C. Em 2013 regressou ao Rio Branco F.C. 

Palmarés como jogador
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Taça de Portugal
2 Campeonatos da Bahia
1 Campeonato Estadual
1 Taça do Nordeste

Palmarés como treinador
1 Campeonato Brasileiro Serie D
2 Campeonatos estaduais

21 de março de 2010

Walsh


Michael Anthony Walsh nasceu no dia 13 de Agosto de 1954 em Chorley, Lancarshire; Republica da Irlanda.
Estreou-se como profissional na época de 1973/74, com 19 anos, no Blackpool F.C. clube onde permaneceu durante cinco temporadas e onde marcou 72 golos em 180 partidas disputadas, o que lhe valeu a transferência em 1978/79 para o Everton F.C. No entanto no clube de Liverpool acabou por não ser feliz e na época seguinte mudou-se para o Queens Park Rangers F.C.
Em 1980/81 chegou ao Futebol Clube do Porto. Vestiu a camisola dos Dragões durante seis temporadas onde apontou muitos golos, alguns deles importantes como o que marcou na Ucrânia frente ao F.C. Shakthar Donetsk para os quartos-de-final da Taça dos Vencedores das Taças de 1983/84 e que valeu a passagem do F.C. Porto às meias-finais da prova.
No total das seis temporadas em que representou o F.C. Porto, Walsh venceu dois Campeonatos Nacionais, uma Taça de Portugal, quatro Supertaças Cândido de Oliveira e duas Taças Associação de Futebol do Porto.
Em 1986/87 transferiu-se para o S.C. Salgueiros, seguiu-se o S.C. Espinho em 1987/88 e na época seguinte representou o Rio Ave F.C., onde terminou a sua carreira de futebolista.
Walsh teve também oportunidade de representar a Selecção da Irlanda por 21 ocasiões onde apontou 3 golos, um deles contra a U.R.S.S. que valeu a vitória dos irlandeses por 1-0 e que deu a qualificação para o Mundial de Futebol de 1986 no México.
Mike Walsh é actualmente agente de jogadores e esteve directamente ligado à transferência de Paulo Ferreira do V. Setúbal para o FC Porto em 2002.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
4 Supertaças Cândido de Oliveira
2 Taças Associação de Futebol do Porto

14 de março de 2010

Campo da Constituição


O Campo da Constituição foi o segundo recinto do Futebol Clube do Porto, que foi inaugurado no dia 1 de Janeiro de 1913.
Na assembleia-geral do dia 12 de Julho de 1912 foi dado o aval para a construção do campo, num terreno alugado por 350 escudos por ano.
A sede do clube passou a funcionar na Constituição em Novembro de 1912, e apesar da data de inauguração ter sido no dia 1 de Janeiro de 1913, a inauguração oficial foi entre os dias 26 e 28 do mesmo mês.
Em 1914 foi inaugurado no mesmo espaço um ringue de patinagem, que deu lugar a um campo de ténis, três anos mais tarde.
Com o decorrer dos anos e com o crescimento do Futebol Clube do Porto, o Campo da Constituição acabou por ser insuficiente para as necessidades do clube que por diversas vezes teve que recorrer ao Estádio do Lima.
Durante quase meio século, o Campo da Constituição foi palco de encontros inesquecíveis. Por lá passaram o R.C. Celta de Vigo, Real Madrid F.C., Real Múrcia C.F., R.C. Deportiva Corunha (entre outros), sempre com muitas histórias para contar
Em 1952 o F.C. Porto passou para o novo Estádio das Antas. No entanto o Campo da Constituição nunca deixou de servir o clube.
Durante anos a fio foi “berço dos mais jovens talentos futebolísticos” e assistiu-se, no seu primeiro ringue de cimento, a grandes duelos de hóquei em patins, voleibol, andebol e basquetebol, tudo modalidades de casa sempre cheia.
Seguindo a máxima de que na vida “nada se perde, tudo se transforma” o velhinho Campo da Constituição de piso poeirento e bancadas de madeira, transformou-se numa moderna Constituição, onde continua a desempenhar na plenitude, o seu papel primordial de tantos anos, que é o de servir o futebol de formação e as escolas de futebol Dragon Force.

7 de março de 2010

Afonso Pinto de Magalhães


Afonso Pinto de Magalhães nasceu no dia 31 de Março de 1913.
Foi o 31º Presidente do Futebol Clube do Porto, entre 1967 a 1972.
Homem ligado aos negócios, começou com uma casa de câmbios na Praça das Flores que mais tarde transformou no Banco Pinto de Magalhães. Ainda colaborou com a Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto e com o Círculo de Cultura Teatral. Foi também Afonso Pinto de Magalhães que lançou o Lar do Comércio, uma instituição que apoiava a Terceira Idade.
Como dirigente do F.C. Porto começou por ser Presidente do Concelho Fiscal em 1955/56 e 1965/66.
Foi ele o responsável pela vinda de Dorival Yustrich.
Em 1965 o clube estava afundado em dívidas e Pinto de Magalhães mais Cesário Bonito e Ponciano Serrano conseguiram atenuar essas dívidas.
Em 1967 assumiu a presidência do clube e logo trata de organizar uma campanha com a finalidade de chegar aos trinta mil sócios, isto quando o F.C. Porto não tinha nem vinte mil. Passados apenas alguns meses o objectivo estava alcançado.
Foi no seu mandato que foram construídas as piscinas, os pavilhões e a sala de troféus, sem esquecer o mausoléu do clube no cemitério de Agramonte onde repousam muitas das antigas glórias do F.C. Porto.
No entanto no futebol não conseguiu atingir o sucesso esperado e viu apenas a conquista de uma Taça de Portugal em 1968 no estádio do Jamor contra o V. Setúbal.
Em 1972 deu o seu lugar ao Dr. Américo de Sá.
No ano de 1975 viajou até ao Brasil e por lá permaneceu até 1979, altura em que regressou a Portugal e juntamente com Belmiro de Azevedo fundou a Sonae.
Faleceu no dia 29 de Janeiro de 1984.

28 de fevereiro de 2010

Pinho

Manuel Henriques de Pinho nasceu no dia 21 de Setembro de 1929 em Oliveira de Azeméis.
Iniciou-se no futebol nas camadas jovens do U.D. Oliveirense e em 1948/49 integrou o plantel sénior tendo assumido desde logo a titularidade.
Em 1949/50 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto onde encontrou a forte concorrência de Barrigana. Enquanto esteve tapado na equipa de futebol principal do F.C. Porto pelo célebre Barrigana, o jovem Pinho acedeu ao convite de Manuel Dias Saúde, seccionista no andebol do clube azul e branco, para integrar a equipa de andebol de 7. Com muitos e reconhecidos méritos, Pinho acabou sendo um notável guarda-redes da equipa de andebol, sagrando-se campeão regional e nacional naquela modalidade ao serviço do F.C. Porto em 1953/54. Com chegada de Yustrich ao comando técnico dos Dragões, Pinho assumiu a titularidade e foi fundamental para a conquista do Campeonato Nacional de 1955/56, tal como na vitória da Taça de Portugal da mesma temporada.
Numa deslocação ao Brasil pelo F.C. Porto, Pinho foi apelidado de “rato do Maracanã” devido às suas fantásticas defesas que realizou contra o Fluminense F.C.
Muito corajoso e arrojado na forma como se fazia pés dos adversários e muito rápido na execução de defesas, o guarda-redes Pinho surpreendia também pela sua agilidade quase felina e na forma repentista e rápida de actuar, capaz de protagonizar milagrosas intervenções. No período mais conturbado e indefinido da sua carreira no F.C. Porto, Pinho revelou-se sempre com um amplo espírito competitivo e crença nas suas capacidades. Era aplicado e nos treinos estava sempre pronto a aprender com os mais velhos e ajudar na progressão dos mais novos.
Pinho jogou no F.C. Porto até ao final da época de 1958/59 praticamente sempre como guarda-redes titular dos azuis e brancos. Nesse período venceu novamente a Taça de Portugal na temporada de 1957/58 numa final frente ao S.L. Benfica, que os portistas, venceram por 1-0.
Em 1958/59, Pinho voltou a sagrar-se Campeão Nacional, no que foi a sua última temporada com a camisola dos Dragões.
Na temporada seguinte transferiu-se para o V. Guimarães. Representou ainda o S.C. Salgueiros, Atlético C.P. e Lusitano F.C. de Vildemoinhos.
Posteriormente Pinho emigrou para França onde viveu durante muitos anos e onde viria a falecer.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal
2 Taças Associação de Futebol do Porto

21 de fevereiro de 2010

Taça Arsenal

No dia 6 de Maio de 1948 escreveu-se uma das mais brilhantes páginas da história do Futebol Clube do Porto.
Os Dragões receberam a visita do Arsenal F.C. de Londres que se deslocou a Portugal para realizar duas partidas de carácter particular. O primeiro jogo foi no estádio Nacional no dia 3 de Maio contra o S.L. Benfica em que os ingleses venceram por 4-0. Não faltou quem dissesse após o jogo que se em Lisboa os ingleses tinha ganho por 4-0, no Porto iriam vencer por muitos mais. Mas a história iria ser bem diferente.
Nesse dia 6 de Maio, a cidade do Porto vestiu-se de gala para receber aquela que era considerada por muitos como a melhor equipa do mundo na altura. No estádio do Lima, o F.C. Porto agigantou-se e aos 20 minutos de jogo vencia por 3-0 com golos apontados por Araújo e dois de Correia Dias. O Arsenal F.C. ainda reduzio a desvantagem para 3-2, no entanto não foram capazes de impedir a grande vitória do Futebol Clube do Porto.
Foi um resultado e um jogo que aqueles que tiveram o privilégio de assistir de certeza que nunca esqueceram. De modo que um ano depois desse jogo, um grupo de sócios e adeptos portistas trataram de angariar fundos para a construção de um troféu digno daquela vitória para depois o oferecer ao F.C. Porto.
O majestoso troféu foi concebido na Ourivesaria Aliança e desenhado pelos escultores Marinho Brito e Albano França. O troféu consiste em duas peças, um relicário e uma taça totalmente de prata.
O relicário que pesa cerca de 120 quilos e mede 2,80 metros, é uma espécie de caixa assente em quatro dragões de prata, com quatro portas de cristal. O relicário é rematado com um grupo escultório constituído por uma figura de atleta, de joelho em terra, dominando um leão, que tem uma bola junto dele. Na mão direita o atleta ergue um facho, enquanto que na mão esquerda segura a bandeira do F.C. Porto. Por detrás dele, dominando toda a peça, a figura da vitória.
A taça de prata é constituída por três figuras esculturais de mulher, erguendo-se nas pontas dos pés, segurando a taça, circundada por três dragões dominados por três atletas que procuram alcançá-la para beberem dela o vinho da vitória.
Na sua construção gastaram-se 130 quilos de prata.
Para a concretização desse troféu, que era o maior em todo o mundo, os portistas gastaram cerca de 200 contos, na antiga moeda, em 1949, o que foi uma fortuna.
Ficam os nomes dos 6 impulsionadores desse projecto: Eduardo Soares, José Moreira, Ivo Araújo, Manuel Ferreira, Elói da Silva e Torcato Plácido.

14 de fevereiro de 2010

Ademir


Ademir Vieira nasceu no dia 21 de Outubro de 1951 em São Paulo; Brasil.
Estreou-se a nível profissional no Esporte Clube Santo André, até que foi contratado pelo S.C. Olhanense no início da época de 1972/73.
Em 1975/76 chegou ao Futebol Clube do Porto onde jogou durante três temporadas tendo vencido a Taça de Portugal de 1976/77 e sagrou-se Campeão Nacional em 1977/78. Foi ele o autor do golo que fez as bancadas do Estádio das Antas explodirem de alegria quando apontou o golo que empatou o jogo aos 83 minutos contra o S.L. Benfica na penúltima jornada do campeonato e que valeu o título.
Na temporada de 1978/79 esteve com um pé no Boavista F.C. mas acabou por viajar para Espanha onde representou o R.C. Celta de Vigo durante cinco épocas.
Em 1983/84 regressou a Portugal e ao S.C. Olhanense. Depois ainda passou pelo Louletano D.C. e terminou a carreira no Imortal D.C. em 1987.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal

7 de fevereiro de 2010

Kulkov


Vassily Sergeyevich Kulkov nasceu no dia 11 de Junho de 1966 em Moscovo; Rússia.
Estreou-se como futebolista profissional em 1986 no F.C. Presnya de Moscovo. Em 1988 mudou-se para o F.C. Alania de Vladikavkaz e em 1989 foi contratado pelo F.C. Spartak Moscovo tendo vencido nesse ano o campeonato da U.R.S.S.
Chegou a Portugal no início da temporada de 1991/92 para vestir a camisola do S.L. Benfica. Representou o clube de Lisboa durante três épocas onde venceu a Taça de Portugal de 1992/93 e o Campeonato Nacional de 1993/94.
Na temporada seguinte transferiu-se juntamente com o seu compatriota e colega de equipa, Sergei Yuran, para o Futebol clube do Porto.
Kulkov rapidamente ganhou a titularidade na equipa orientada por Bobby Robson e no final da temporada festejou mais um título de Campeão. No final dessa época deixou os Dragões para regressar à Rússia e ao F.C. Spartak Moscovo.
Nas Antas apenas esteve um ano mas deixou espalhada a sua classe nos relvados nacionais e é hoje ainda um jogador recordado pelos adeptos portistas.
Em 1995/96 Kulkov voltou a deixar a Rússia para se mudar para Inglaterra onde representou o Millwall F.C. Voltou novamente à Rússia e mais uma vez ao F.C. Spartak Moscovo em 1996. No ano seguinte transferiu-se para o F.C. Zenit onde esteve durante dois anos. Em 1999 mudou-se para o Krylya Sovetov de Samara onde venceu a Taça da Rússia.
No início da temporada de 1999/2000 regressou a Portugal para ingressar no F.C. Alverca, onde teve a companhia do seu compatriota Sergei Ovchinnikov. No final dessa temporada Kulkov colocou um ponto final na sua carreira de futebolista.
Em 2002/03, estreou-se como treinador-adjunto no F.C. Maritimo Velense. Regressou depois à Russia onde manteve o mesmo cargo em alguns clubes por onde já passou.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da União Soviética
1 Taça de Portugal
1 Taça da Russia

31 de janeiro de 2010

Quaresma


Ricardo Andrade Quaresma Bernardo nasceu no dia 26 de Setembro de 1983 em Lisboa.
Começou por jogar futebol aos 7 anos no Desportivo Domingos Sávio de Campo de Ourique. Mais tarde ingressou nas escolas do Sporting C.P. e na temporada de 2000/01, com 17 anos estreou-se na equipa principal. Na época seguinte, ainda em Alvalade, sagrou-se pela primeira vez Campeão Nacional e conquistou a sua primeira Taça de Portugal. A temporada de 2002/03 apenas trouxe a vitória na Supertaça Cândido de Oliveira, no entanto no final dessa época apareceu o F.C. Barcelona que o levou para Espanha.
No clube da Catalunha não se conseguiu impor e acabou por perder a confiança do treinador. No final dessa temporada de 2003/04 regressou a Portugal para ingressar no Futebol Clube do Porto.
Com a camisola azul e branca dos Dragões, Quaresma jogou durante quatro temporadas tendo se sagrado por três vezes Campeão Nacional, venceu uma Taça de Portugal, duas Supertaças Cândido de Oliveira e ainda ajudou na conquista da Taça Intercontinental em 2004. Foi ainda futebolista do ano nas épocas de 2004/05 e 2005/06.
No início da temporada de 2008/09 transferiu-se para o Inter de Milão mas nunca conheceu a mesma felicidade que teve no F.C. Porto e no inicio do ano de 2009 rumou a Inglaterra, emprestado pelo clube italiano, para representar o Chelsea F.C. Apenas disputou 4 encontros mas ainda esteve na vitória da Taça de Inglaterra. No final da temporada regressou a Itália para festejar a conquista do campeonato pelo Inter de Milão.
Em 2009/10 voltou a sagrar-se Campeão pelo Inter, e venceu também a Taça de Itália e conquistou a Liga dos Campeões.
Em 2010/11 rumou à Turquia para representar o Besiktas J.K. onde conquistou a Taça da Turquia na primeira época ao serviço do clube de Istambul. Já em janeiro de 2013 e quando não era tido em conta pelo clube turco, rescindiu o contrato e ingressou no Al-Ahli Club, do Dubai, clube que representou até ao final do ano de 2013.
Em Janeiro de 2014 regressou ao F.C. Porto e provou que ainda tinha muito para dar. Não conquistou nenhum título neste seu regresso mas deixou  a sua marca em muitas partidas, como por exemplo no jogo contra o F.C. Bayern Munique que os Dragões venceram por 3-1 na primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões de 2014/15.
No inicio da temporada de 2015/16 rumou de novo à Turquia para voltar ao Besiktas J.K., tendo vencido o campeonato turco no final dessa época.
Quaresma já representou a Selecção de Portugal por diversas vezes. Esteve presente nos Campeonatos do Mundo de futebol de 2006 e 2010 e nos Campeonatos da Europa de futebol de 2008 e 2016, este ultimo disputado em França e onde Portugal se sagrou Campeão da Europa.

Palmarés
1 Campeonato da Europa de Selecções (Portugal)
1 Liga dos Campeões
4 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos de Itália
1 Campeonato da Turquia
2 Taças de Portugal
1 Taça de Inglaterra
1 Taça de Itália
1 Taça da Turquia
3 Supertaças Cândido de Oliveira