10 de dezembro de 2012

João Nunes

João César Nunes, foi um médio/extremo esquerdo que vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto na década de 1920.
Segundo as crónicas antigas, era um jogador de elevado nível técnico como tático. Essas suas qualidades valeram-lhe a titularidade na equipa portista que conquistou o Campeonato de Portugal por duas vezes.
A primeira aconteceu na temporada de 1921/22. No primeiro campeonato organizado pela F.P.F. os Dragões defrontaram o Sporting C.P. na final.
O primeiro jogo disputou-se no Campo da Constituição, no dia 4 de junho de 1922, tendo a vitória sorrido ao F.C. Porto por 2-1. Uma partida que teve o apito inicial 15 minutos depois da hora marcada, o atraso deveu-se à falta de João Nunes, que segundo disseram na época, tinha ido à romaria do Senhor de Matosinhos.
O segundo jogo da final já teve lugar em Lisboa e teve como vencedor a formação leonina, assim foi preciso disputar-se a finalíssima.
No dia 18 de junho as duas equipas voltaram a medir forças, desta vez no Estádio do Bessa. O F.C. Porto venceu por 3-1 e assim João Nunes foi um dos primeiros Campeões de Portugal.
Na época de 1924/25 a história foi quase a mesma. O Sporting C.P. de novo como adversário na final do Campeonato de Portugal que se disputou em Viana do Castelo, no campo de Monserrate. De novo o F.C. Porto venceu, desta vez por 2-1. E de novo João Nunes a sagrar-se Campeão.
João Nunes foi um dos poucos jogadores do Futebol Clube do Porto que venceram os dois primeiros campeonatos da história do clube.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por quatro vezes.
Mais tarde foi ainda dirigente do F.C. Porto e também da Associação de Futebol do Porto.

Palmarés
2 Campeonato de Portugal
4 Campeonato do Porto

26 de novembro de 2012

Demol

Stéphane August Demol nasceu no dia 11 de março de 1966 em Watermael-Boitsford; Bélgica.
Depois de fazer a toda formação futebolística no R.S.C. Anderlecht, Demol estreou-se na equipa principal do clube da cidade de Bruxelas na temporada de 1984/85. Representou a formação belga durante quatro temporadas onde conquistou por três vezes o campeonato da Bélgica, também por igual numero a Supertaça belga e por uma vez venceu a Taça da Bélgica.
Em 1988/89 rumou a Itália para representar no Bologna F.C. tendo disputado 22 partidas oficiais e apontou 2 golos.
Na temporada de 1989/90 ingressou no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 19 de Agosto de 1989 no Estádio das Antas quando os portistas receberam e venceram o C.D. Nacional da Madeira por 2-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional de 1989/90.
Nas Antas esteve apenas uma época, mas foi um dos principais jogadores utilizados pelo técnico Artur Jorge no sector defensivo dos Dragões, tendo conquistado o Campeonato Nacional e para o qual contribuiu com 11 golos apontados, tendo mesmo sido o terceiro melhor marcador da equipa no campeonato.
Na temporada seguinte vestiu a camisola do Toulouse F.C. de França, para a meio da época de 1991/92 regressar à Bélgica para jogar pelo Royal Standard de Liège, clube pelo qual venceu de novo a Taça da Bélgica de 1992/93.
Em 1993/94 mudou-se para o Cercle Brugge K.S. mas a meio dessa mesma época voltou a Portugal para vestir a camisola do S.C. Braga. Na temporada seguinte o seu destino foram os gregos do Panionios G.S. Depois os suíços do F.C. Lugano. Nas épocas de 1996/97 e 1997/98 voltou a França para jogar pelo S.C. Toulon. Em 1998/99 regressou de novo ao seu país para defender as cores do F.C.V. Dender. Na temporada seguinte mudou-se para o S.K. Halle, clube onde colocou um ponto final na carreira futebolística.
Representou também a Seleção da Bélgica por 38 vezes e marcou presença no Campeonato do Mundo de 1986 no México.
Em 2006/07 ingressou na equipa técnica da selecção belga como treinador-adjunto. Em 2008/09 estreou-se como treinador principal ao assumir o comando técnico dos cipriotas do Ethnikos A.S. Achnas, passou ainda pelo Aris Limassol F.C. na temporada de 2009/10 e na época seguinte orientou os gregos do P.A.S. Giannina, em 2011/12 regressou à Bélgica para treinar o F.C. Brussels e em 2013 rumou à Tailandia para comandar o BEC Tero Sasana F.C.

Palmarés
3 Campeonatos da Bélgica
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
3 Supertaças da Bélgica
2 Taça da Bélgica

19 de novembro de 2012

Jerónimo Faria

Jerónimo de Sousa Faria, primo de Acácio Mesquita e também de Carlos Mesquita, foi um dos mais importantes jogadores do Futebol Clube do Porto na década de 30.
Ingressou nos Dragões na temporada de 1927/28 e estreou-se no dia 22 de Abril de 1928, quando os portistas visitaram o Sport Progresso num jogo a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto que terminou com a vitória do F.C. Porto por 6-2.
Em 1931/32 Conquistou o Campeonato de Portugal ao derrotar o C.F. Belenenses por 2-1 no segundo jogo da final realizada no campo do Arnado em Coimbra. No primeiro encontro as duas equipas terminaram empatadas 4-4.
Defesa de excelente qualidade, foi um dos pilares na formação portista que conquistou na temporada de 1934/35 o Campeonato Nacional sob o comando técnico de Joseph Zsabo.
Na época de 1936/37 e de novo em Coimbra, voltou a ganhar o Campeonato de Portugal depois dos portistas vencerem o Sporting C.P. por 3-2.
Em 1938/39 e 1939/40 sagrou-se Bi-Campeão Nacional.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por doze vezes.
Durante os treze anos em que esteve ao serviço dos Dragões como jogador, Jeronimo Faria viveu grandes momentos e grandes jogos de futebol. Em Janeiro de 1930 os espanhóis do R.C. Celta de Vigo sairam derrotados do Campo da constituição por 6-2. Um ano mais tarde foi o R.C. Deportivo de La Coruña que saiu vergado também do Campo da Constituição por um resultado de 6-0. Em Julho de 1931 os brasileiros do C.R. Vasco da Gama perderam por 2-1 no Estádio do Lima, essa foi a primeira vitória de um clube português sobre uma equipa brasileira. Já em Maio de 1933 foi a vez do S.L. Benfica regressar a casa com uma pessada derrota por 8-0, um jogo a contar para os quartos-de-final do Campeonato de Portugal de 1932/33. Em Julho de 1935, no Campo do Ameal o campeão espanhol Real Betis foi derrotado por 4-2. No dia 22 de Março de 1936 o Sporting C.P. levou na bagagem 10 golos com que os portistas os despacharam para a Capital.
Depois de deixar o futebol, foi dirigente do F.C. Porto.

Palmarés
3 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonato de Portugal
13 Campeonatos do Porto

12 de novembro de 2012

Carlos Mesquita

Carlos Pereira Mesquita, o “Carlitos” que participou nos grupos infantis do Futebol Clube do Porto e neste se fez atleta dos mais notáveis, no futebol, no hóquei em campo e no atletismo, contribuiu também para a conquista de Campeonatos Regionais e Nacionais.
Membro de uma família inteiramente portista, desde o seu pai, velho dirigente do clube, da Associação e da Federação, até ao seu irmão, o inesquecível Acácio Mesquita, passando pelo seu primo, Jerónimo Faria, Campeão Nacional, pôde o correto Carlos Mesquita salientar-se como praticante habilidoso e considerado pela critica e pelos adeptos.
A estreia com a camisola azul e branca foi no dia 26 de Outubro de 1930, no Campo do Ameal onde os portistas venceram o S.C. Salgueiros por 3-2, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Regional do Porto da época de 1930/31.
Jogando a avançado do centro, interior, ou extremo da equipa de honra de futebol, Carlos Mesquita honrou o F.C. Porto na final do Campeonato Nacional de 1931/32 em Coimbra, pelo grande golo que proporcionou ao seu irmão Acácio, e também nos vários desafios contra valorosas equipas estrangeiras. Como a vitória sobre o R.C. Deportivo Coruña por 6-0 no Campo da constituição no primeiro dia do ano de 1931, e a primeira vitória de uma equipa portuguesa sobre um clube brasileiro, no caso o C.R. Vasco da Gama que saiu derrotado por 2-1 do Estádio do Lima no dia 26 de Julho de 1931. Já em 1935 foi a vez do campeão espanhol, o Real Betis de Sevilha sair vergado do Campo do Ameal por um resultado de 4-2.
Carlos Mesquita conquistou ainda por 6 vezes o Campeonato do Porto (entre 1930/31 a 1935/36).
Quando estudante, Carlos Mesquita fez parte de equipas escolares. Ao abandonar a pratica do desporto foi dirigente do clube e contribuiu também para a propaganda da construção do Estádio das Antas.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
6 Campeonatos do Porto

Texto retirado, com a devida autorização, do blog memoriaazul.blogspot.pt

5 de novembro de 2012

João Lopes Martins

João Lopes Martins é considerado o atleta mais eclético e completo da história do Futebol Clube do Porto.
Entre as décadas de 20 e 40, jogou nas equipas de futebol, basquetebol, andebol, râguebi, hóquei, ainda participou nos campeonatos de natação e atletismo e também chegou a jogar ténis, sempre com a camisola do F.C. Porto.
Começou a jogar futebol ainda nos infantis e chegou à equipa principal na época de 1927/28.
Estreou-se na equipa principal dos Dragões no dia 19 de Março de 1933 no Campo da Constituição onde o F.C. Porto derrotou o Académico do Porto por 8-1, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1932/33.
Jogou quatro temporadas e conquistou o Campeonato do Porto por quatro vezes.
No basquetebol foi internacional, depois treinador e mais tarde assumiu os comandos da secção da modalidade no clube.
No andebol de 11, sagrou-se tetra-campeão nacional entre as temporadas de 1938/39 e 1941/42.
Em atletismo sagrou-se campeão regional na modalidade de salto à vara.
No Rugby conquistou o Campeonato Regional da temporada de 1932/33.
Esteve presente na inauguração do Estádio das Antas, no dia 28 de maio de 1952, com o ex-atleta Mota Freitas e o porta-estandarte e antigo futebolista e atleta olímpico Waldemar Mota.
Foi considerado o atleta numero 1 do Futebol Clube do Porto.
Faleceu aos 85 anos quando era o sócio numero 6 do clube.

Palmarés
4 Campeonatos do Porto

29 de outubro de 2012

Anderson

Anderson Luís de Abreu Oliveira nasceu no dia 13 de Abril de 1988 em Porto Alegre; Brasil.
Com cinco anos entrou para as escolas do Grémio onde fez toda a formação até chegar a profissional com apenas dezasseis anos. Apesar de muito jovem, foi um dos jogadores fundamentais no clube de Porto Alegre, principalmente em 2005, ano em que o Grémio disputou a Sério B.
Ainda em 2005, esteve presente, ao serviço da selecção brasileira, no Campeonato do Mundo de sub-17 que se realizou no Peru. O Brasil chegou à final do torneio mas viu os mexicanos vencerem a competição. O melhor jogador do Mundial foi Anderson.
No dia 6 de Janeiro de 2006 e com apenas 17 anos chega a Portugal para ingressar no Futebol Clube do Porto.
O então treinador, Co Adrianse decidiu que ainda era cedo para o jovem integrar a equipa principal e deu-lhe guia de marcha para a equipa B. Dessa forma a estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 29 de Janeiro, numa partida realizada em S. Mamede de Infesta contra a equipa local. Mas não foi preciso esperar muito para ver Anderson vestir a camisola principal azul e branca, isso aconteceu no dia 6 de Março no Estádio do Dragão quando o F.C. Porto recebeu e venceu o C.D. Nacional por 3-0.
No final dessa época, Anderson não só festejou a vitória no Campeonato Nacional como a conquista da Taça de Portugal.
 2006/07 Parecia ser a temporada da sua afirmação na formação portista que começou com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira depois da vitória sobre o V. Setúbal por 3-0, com Anderson a apontar um dos golos. No entanto na 8ª jornada os Dragões recebiam o S.L. Benfica. Aos trinta minutos de jogo, uma entrada mais dura do grego Katsouranis sobre Anderson, valeram ao jogador brasileiro a perna partida e meia época perdida. O regresso aos relvados aconteceu precisamente contra os lisboetas no jogo da segunda volta, ainda bem a tempo para celebrar a conquista do Bi-Campeonato.
No final dessa temporada o Manchester United F.C. envia a Portugal o seu técnico-adjunto, Carlos Queirós, para contratar o jogador brasileiro por 31,5 milhões de euros.
Anderson rumou assim a Inglaterra e deixou nos adeptos portistas um pouco de tristeza já que não teve tempo para mostrar tudo aquilo que se lhe adivinhava.
No clube de Manchester, além de jogar numa posição mais recuada e de algumas lesões que o atormentaram, perdeu um pouco da magia que espalhava nos relvados, ainda assim juntou ao seu palmarés 1 Campeonato do Mundo de Clubes, 1 Liga dos Campeões, 4 Campeonatos de Inglaterra, 2 Taças da Liga e 5 Supertaças.
Em 2013/14 rumou a Itália para vestir a camisola da A.C.F. Fiorentina, mas voltou a Manchester na temporada seguinte. Em 2015 regressou ao Brasil para ingressar no S.C. Internacional, onde permaneceu dois anos e em 2017 rumou por emprestimo, ao Coritiba F.C.
Anderson já representou também a Selecção do Brasil por diversas vezes. A estreia aconteceu em 2007 na Copa América que se realizou na Venezuela e que os brasieliros venceram. Em 2008 esteve presente nos Jogos Olímpicos de Pequim onde conquistou a medalha de bronze.

Palmarés
1 Campeonato do Mundo de Clubes
1 Liga dos Campeões
1 Copa América
1 Medalha de Bronze (J.O. 2008)
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira
4 Campeonatos de Inglaterra
2 Taças da Liga (Inglaterra)
5 Supertaças de Inglaterra
1 Campeonato do Brasil Serie B

22 de outubro de 2012

Alfredo Pais

Alfredo Joaquim Pais nasceu no dia 11 de fevereiro de 1922 em Manaus, Brasil.
Apesar de ter nascido em terras brasileiras, este defesa central tinha nacionalidade portuguesa e ingressou ainda jovem no Futebol Clube do Porto, no início da temporada de 1942/43.
A estreia com a camisola portista aconteceu no dia 3 de Janeiro de 1943 no Campo de Santana em Matosinhos, onde os Dragões venceram o Leixões S.C. por 3-2, num jogo a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1942/43.
Alfredo Pais Vestiu a camisola do F.C. Porto durante onze épocas, com a qual viveu momentos de glória. Um deles foi a brilhante vitória dos portistas sobre o Arsenal F.C.. Os ingleses eram na época considerados como a melhor equipa do mundo e estavam em Portugal para realizarem dois jogos. O primeiro foi em Lisboa onde golearam o S.L. Benfica, alguns dias depois, a 6 de maio, deslocaram-se à cidade Invicta para medir forças com os portistas, aos 20 minutos de jogo os azuis e brancos já venciam por 3-0, os londrinos ainda reduziram para 3-2 mas não conseguiram impedir o triunfo dos companheiros de Alfredo Pais que assim entraram para a história do clube ao escreverem uma das suas mais brilhantes páginas.
Outro momento alto na carreira de Alfredo Pais enquanto jogador do F.C. Porto aconteceu no dia 28 de maio de 1952, dia da inauguração do Estádio das Antas. Alfredo Pais conquistou também por 5 vezes o Campeonato do Porto e a Taça Associação Futebol do Porto em 1947/48. No final da temporada de 1952/53 deixou o F.C. Porto e terminou a sua carreira.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto
1 Taça Associação de Futebol do Porto

15 de outubro de 2012

Artur Augusto

Artur Augusto nasceu no dia 15 de março de 1904 em Lisboa.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da época de 1921/22, vindo do S.L. Benfica.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 4 de Junho de 1922, numa partida contra o Sporting C.P. a contar para a Final do Campeonato de Portugal, em que os Dragões venceram por 2-1 e sagraram-se Campeões de Portugal, no que foi o primeiro campeonato do género organizado no país. Venceu ainda nessa temporada o Campeonato do Porto.
Jogador considerado polivalente, já que podia ocupar lugares diferentes em campo e sempre com a mesma qualidade.
E foi essa mesma qualidade que fez dele o primeiro jogador internacional do F.C. Porto, no dia 18 de dezembro de 1921. Precisamente na estreia da Seleção Nacional em partidas entre nações, contra a Espanha em Madrid.
Na temporada de 1922/23 continuou a vestir a camisola dos Dragões e voltou a conquistar o Campeonato do Porto.
Regressou depois a Lisboa para ingressar no Carcavelinhos F.C., mas uma doença nos olhos e mais tarde outra de maior gravidade, acabaram por lhe ser fatal.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto

fonte: longara.blogspot.pt de Armando Pinto

8 de outubro de 2012

Adolph Cassaigne

Adolph Cassaigne, francês, foi o segundo treinador que passou pelo Futebol Clube do Porto.
Adolph fora treinador em França e orientava, na cidade do Porto, os amadores de futebol da Escola de Marinheiros da Corveta Estefânia.
Depois de uma conversa com o então presidente portista, José Monteiro da Costa, tudo ficou decidido e passou a comandar a formação portista em 1907, tendo substituído o italiano Catullo Gadda.
Adolph Cassaigne elogiou a ordem dos rapazes do clube, a sua disciplina, a sua vontade e ofereceu-se para treinar obsequiosamente os praticantes, o que encheu todos de uma enorme alegria.
Os ensinamentos do técnico francês produziram os seus efeitos e os grupos azuis e brancos acusaram imediatos e visíveis progressos.
Na temporada de 1921/22, foi Adolph Cassaigne quem levou os portista à conquista do primeiro campeonato de Portugal.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
7 Campeonatos do Porto

fonte: A Bola

28 de setembro de 2012

Futebol Clube do Porto 119 Anos


Parabéns ao Futebol Clube do Porto, o clube mais bem sucedido de Portugal, pelos seus 119 anos de história.

24 de setembro de 2012

Aviva Stadium


O Aviva Stadium é um moderno estádio situado em Dublin na Irlanda no mesmo local onde existia o antigo Lansdowne Road. O actual nome do recinto é resultado de uma parceria com a duração de dez anos, que foi assinada em 2009 pelo Grupo Aviva, uma das maiores empresas seguradoras do Reino Unido.
Conhecido também como Dublin Arena, tem capacidade para cerca de 51.700 espactadores.
O estádio começou a ser construído em 2007 e ficou pronto três anos mais tarde para ser inaugurado no dia 14 de Maio de 2010.
É neste estádio que a Selecção Nacional da Irlanda, tanto de futebol como de râguebi, disputam a maior parte das suas partidas.
Apesar de ainda ter poucos anos, o Aviva Stadium já entrou para a história do futebol português, isto porque no dia 18 de Maio de 2011, foi o palco da Final da Liga Europa que colocou frente a frente, pela primeira vez numa final europeia, dois clubes portugueses, nomeadamente o Futebol Clube do Porto e o Sporting Clube de Braga.
Os Dragões venceram a partida por 1-0, com um golo de autoria de Radamel Falcao, e trouxeram pela sétima vez na sua história um troféu internacional para a cidade do Porto.

16 de setembro de 2012

Hulk

Givanildo Vieira de Souza (Hulk), nasceu no dia 25 de julho de 1986 em Campina Grande, Brasil.
Com apenas 15 anos chegou a Portugal para jogar no Vilanovense F.C..
Em 2002 regressou ao Brasil onde ingressou nos Júniores do São Paulo F.C..
No ano seguinte mudou-se para o E.C. Vitória onde permaneceu por três temporadas e onde venceu o Campeonato Baiano.
Em 2004, já como sénior, rumou ao Japão onde jogou no Kawasaki Frontale, Consadole Sapporo e no F.C.N. Tokyo Verdy
No início da temporada de 2008/09, regressou a Portugal para jogar no Futebol Clube do Porto.
Nos Dragões, onde permaneceu quatro temporadas completas, e ainda no início da época de 2012/13 onde participou em 3 partidas e apontou 2 golos, conquistou quatro Supertaças Cândido de Oliveira, três Taças de Portugal, quatro Campeonatos da Liga Portuguesa e uma Liga Europa onde o F.C. Porto derrotou o S.C. Braga em Dublin em maio de 2011.
Em setembro de 2012 foi transferido para o F.K. Zenit Sankt-Peterburg, no que foi a maior transferência nacional de sempre e a quinta maior do mundo. Sagrou-se Campeão da Russia em 2014/15, venceu a Supertaça da Russia em 2015/16 e a Taça da Russia também em 2015/16. No verão de 2016 rumou à China para vestir a camisola do Shangai SIPG F.C.
Pela Selecção do Brasil esteve presente nos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres onde conquistou a medalha de prata, tendo apontado um golo na final que foi insuficiente para vencer a medalha de ouro.
Já em Junho de 2013 conquistou a Taça das Confederações no Brasil. Marcou presença também no Campeonato do Mundo de 2014 no Brasil.

Palmarés
1 Liga Europa
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato da Russia
3 Taças de Portugal
3 Supertaças Cândido de Oliveira
1 Campeonato Baiano
1 Taça da Russia
1 Supertaça da Russia
1 Taça das Confederações
1 Medalha de Prata Olímpica

trabalho elaborado por Ivo Silva

10 de setembro de 2012

Porcel

Antonio Jose Porcel nasceu no dia 13 de junho de 1925 em Buenos Aires na Argentina.
Começou por jogar no clube da sua cidade o C.A. Huracán. viajou depois para o México onde defendeu a camisola do Club Puebla tendo-se transferido depois para o Club Leon onde conquistou o campeonato mexicano por três vezes. Depois atravessou o Atlântico e chegou a Portugal para jogar no S.C. Covilhã, mais tarde rumou a França para ingressar no F.C. Metz.
Em 1953 regressou a Portugal para vestir a camisola do Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 18 de Outubro de 1953 no Campo da Estrela em Évora onde os portistas defrontaram o Lusitano Ginásio Clube de Évora (vitória 3-0 para os alentejanos), num jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1953/54.
Apesar de não ter conquistado nenhum título ao serviço dos Dragões, Porcel pode-se orgulhar de no dia 17 de abril de 1954, ter participado numa partida de caráter particular, na qual o F.C. Porto venceu o Real Madrid C.F. onde atuava o seu compatriota Di Stéfano, por 5-2. No final do encontro os espanhóis ficaram espantados pelo facto do F.C. Porto ocupar o quinto lugar no campeonato já que mostraram qualidade para serem campeões.
Qualidade que ficou bem patente no dia 1 de dezembro do mesmo ano de 1954 quando o F.C. Porto se deslocou a Lisboa a convite do S.L. Benfica para a inauguração do Estádio da Luz. Os Dragões venceram por 3-1 e trouxeram para a cidade do Porto o Troféu Cosme Damião, um dos fundadores do clube lisboeta. Um outro caso, desta vez mais caricato e algo dramático, aconteceu no final do campeonato nacional de 1953/54. Os Dragões jogavam no terreno do Atlético C.P. e Porcel durante quase uma hora fez figura de corpo presente, sangrando do nariz, Sacrifício para livrar a mulher de trabalhos, que estava à beira da gravidez.
Porcel acabou por ser afastado do F.C. Porto no início da temporada de 1955/56 pelo novo treinador, o brasileiro Dorival Knippel (Yustrich), por ousar discutir os seus métodos e o seu trabalho e rumou ao S.C. Salgueiros.
Ao serviço do F.C. Porto, Porcel disputou 36 partidas oficiais e marcou 2 golos.
Regressou mais tarde à Argentina.

27 de agosto de 2012

Almeida

João Luis Pinto de Almeida nasceu no dia 25 de setembro de 1943 em Mafamude, Vila Nova de Gaia.
Começou a jogar futebol nas camadas jovens do Varzim S.C.
Em 1960/61, ainda júnior, ingressou no Futebol Clube do Porto e integrou o plantel principal na temporada seguinte.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 13 de Outubro de 1963 no Estádio das Antas onde os portistas venceram o Leixões S.C. por 4-0, numa partida a contar para a 2ª mão da 2ª eliminatória da Taça de Portugal da época de 1963/64.
Nas Antas permaneceu até ao final da época de 1968/69. Foram oito temporadas onde conquistou a Taça de Portugal em 1968 e a Taça Associação de Futebol do Porto em 1961/62, 1962/63, 1963/64, 1964/65 e 1965/66.
Foi um dos titulares da equipa portista que obteve a primeira vitória nas competições europeias, no dia 16 de Setembro de 1964, ao derrotar o Olimpique Lyonnais por 3-0 no Estádio das Antas, num jogo a contar apra a 1ª mão da 1ª eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças.
Em 1969/70 transferiu-se para o F.C. Barreirense, clube onde atuou durante duas temporadas.
Mudou-se para o S.C. Farense em 1971/72 para jogar quatro anos nos algarvios.
Em 1975/76 ingressou no F.C. Famalicão e depois rumou ao S.C. Mirandela onde jogou mais duas épocas e onde terminou a sua carreira no final da temporada de 1978/79.

Palmarés
1 Taça de Portugal
5 Taças Associação Futebol do Porto

13 de agosto de 2012

Lourenço

José Lourenço Ferreira Barbosa nasceu no dia 16 de Setembro de 1921 em Paranhos, Porto.
Vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto entre as temporadas de 1942/43 a 1947/48.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 11 de Outubro de 1942 no Campo do Bessa, onde os portistas venceram o Boavista F.C. por 3-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1942/43.
Venceu o Campeonato do Porto por cinco vezes e por uma ocasião a Taça Associação de Futebol do Porto. Disputou 117 partidas oficiais e apontou 64 golos.
Lourenço viu o seu nome ficar associado a vitórias importantes dos Dragões, tais como em Valência onde os portistas venceram por 1-0 a equipa local e principalmente no dia 6 de Maio de 1948 quando no estádio do Lima os ingleses do Arsenal F.C., rotulados como melhor equipa do mundo, saíram derrotados por 3-2 e assim Lourenço e os restantes jogadores azuis e brancos escreveram uma das mais gloriosas paginas da historia do F.C. Porto.
Depois de deixar os Dragões, Lourenço ingressou no Boavista F.C., clube pelo qual se sagrou Campeão Nacional da II Divisão e mais tarde no Sporting Clube da Cruz, onde terminou a sua carreira.
Lourenço faleceu no dia 9 de Dezembro de 2011.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto
1 Taça Associação de Futebol do Porto

6 de agosto de 2012

Carlos Vieira

Carlos dos Santos Vieira nasceu no dia 11 de abril de 1928 em Oliveirinha, Aveiro.
Depois de dar nas vistas ao serviço do S.C. Beira-Mar, ingressou no Futebol Clube do Porto na temporada de 1948/49. Vestiu a camisola azul e branca durante sete temporadas e terminou a sua ligação ao clube no final da época de 1954/55.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 19 de setembro de 1948 no Campo da Constituição, onde os portistas venceram o Elvas C.A.D. por 3-1 numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1948/49. Um jogo que ficou na história do futebol nacional porque se passou a usar pela primeira vez camisolas numeradas de 1 a 11, por deliberação da Federação Portuguesa de Futebol.
Extremo-esquerdo muito veloz, chegou a jogar a guarda-redes numa partida contra o S.L. Benfica no campo da constituição, depois de Barrigana ter sido expulso por agredir um adversário. Vieira defendeu um penalti e tudo o resto até ao final do jogo.
Nesse mesmo ano, 1950, foi ele o autor do único golo do encontro com os brasileiros do Santos F.C. Os brasileiros andavam em digressão por Portugal e dessa forma saíram derrotados pela primeira vez.
A 16 de dezembro de 1951 o F.C. Porto recebia o S.L. Benfica no Estádio do Lima e Vieira apontou os três golos da vitória portista sobre os lisboetas.
No dia 17 de abril de 1954, viveu mais um momento de júbilo, quando os Dragões receberam e venceram o Real Madrid C.F. por 5-2.
Carlos Vieira foi ainda Campeão Nacional dos 100, 200, 4x100 e 4x200 metros.

30 de julho de 2012

Osvaldo Silva

Osvaldo Silva nasceu no dia 13 de março de 1934 em Belo Horizonte, Brasil.
Chegou a Portugal e ao Futebol Clube do Porto em 1957 por intermédio do técnico brasileiro Dorival Yustrich.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 22 de Setembro de 1957 no Campo das Covas em Torres Vedras onde os portistas venceram o Torreense por 1-0, precisamente com um golo apontado por Osvaldo Silva aos 36 minutos, a partida contou para a 3ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1957/58.
Logo na sua primeira temporada de azul e branco conquistou a Taça Associação de Futebol do Porto e também a Taça de Portugal, que seria a segunda da história do F.C. Porto, depois de uma vitória sobre o S.L. Benfica por 1-0, com golo de Hernâni.
Na temporada 1958/59, ajuda a vencer o Campeonato Nacional, festejado em Torres Vedras, apesar de um tal… Inocêncio Calabote. No final dessa temporada, Osvaldo é dispensado pelo técnico Bella Guttmann que por sua vez deixa o clube e ruma a Lisboa para ingressar no S.L. Benfica.
Ao serviço do F.C. Porto, Osvaldo Silva jogou durante duas temporadas, conquistou 3 Títulos, disputou 41 partidas oficiais e marcou 23 golos.
O Leixões S.C. foi o destino de Osvaldo Silva desde a temporada de 1959/60 a 1961/62. Quando os matosinhenses visitaram a equipa então orientada pelo treinador húngaro que o tinha dispensado das Antas, Osvaldo depois de marcar o golodo empate do Leixões, correu até ao banco de suplentes do adversário e atirou a sua camisola à cara de Guttmann.
Em 1960/61, conquistou a sua segunda Taça de Portugal depois dos leixonenses vencerem o F.C. Porto em pleno estádio das Antas por 2-0 tendo sido o autor do primeiro golo da partida.
Na época de 1962/63 ingressa no Sporting C.P. Serviu o clube de Alvalade durante quatro temporadas, onde venceu duas Taças Associação de Futebol de Lisboa, uma Taça de Portugal, um Campeonato Nacional e uma Taça dos Vencedores das Taças.
Em 1966/67 rumou ao S.C. Olhanense onde acumulou a função de treinador com a de jogador. Cargo de repetiu na temporada seguinte mas desta vez no Académico de Viseu F.C. clube onde terminou a sua carreira de futebolista, nessa mesma temporada.
Regressou em 1972/73 ao Sporting C.P. para treinar os juniores. Dois anos mais tarde passou como adjunto pela equipa principal e depois da temporada de 1974/75 chegou a treinador principal dos leões. Em 1976/77 voltou ao Académico de Viseu F.C. para ser o treinador e já nos anos noventa retornou a Alvalade para orientar os sub-12 leoninos.
Osvaldo Silva acabou por falecer no dia 15 de Agosto de 2002.

Palmarés
1 Taça dos Vencedores das Taças
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
3 Taças de Portugal
2 Taças Associação de Futebol de Lisboa
1 Taça Associação de Futebol do Porto

23 de julho de 2012

Atraca

João Eleutério Luisa Atraca nasceu no dia 10 de Julho de 1940 em Faro.
Foi nos escalões de formação do S.C. Farense que Atraca iniciou a sua carreira de futebolista.
Na temporada de 1959/60 e já ao serviço do Louletano D.C. estreou-se como sénior. Na época seguinte regressou ao S.C. Farense.
Em 1961/62 ingressou no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 26 de Maio de 1963 no Estádio do Mar em Matosinhos onde o F.C. Porto venceu o Leixões S.C. por 2-0, num jogo que valeu para a 2ª mão da 3ª eliminatória da Taça de Portugal da época de 1962/63.
Atraca representou os portistas durante oito épocas. Conquistou a Taça de Portugal em 1968, com uma vitória na final do Jamor sobre o V. Setúbal por 2-1. venceu ainda a Taça associação de Futebol do Porto por quatro ocasiões, entre 1962/63 a 1965/66.
Nos oito anos que passou nas Antas, disputou 158 partidas oficiais. Marcou 3 golos e venceu 5 Títulos.
Em 1969/70 voltou ao clube de Faro para no final dessa temporada festejar pela primeira vez a subido do clube algarvio à 1ª divisão nacional. Ainda se manteve no S.C. Farense até à temporada de 1972/73, mas acabou por abandonar o clube depois de alguns conflitos com o treinador.
Na época de 1973/74 ingressou no S.C. Odemirense, clube que actuava no campeonato distrital e onde Atraca assumiu o cargo de treinador-jogador, sagrando-se campeão distrital.
Na temporada seguinte e quando ainda representava o clube de Odemira, foi vitima de um acidente de viação que lhe custou a vida.

Palmarés
1 Taça de Portugal 4 Taças Associação de Futebol do Porto

16 de julho de 2012

António Morais

Antonio da Rocha Morais nasceu no dia 30 de dezembro de 1934 em Vila Nova de Gaia.
Começou por jogar futebol nos escalões de formação do C.D. Candal.
Ainda junior ingressou no Futebol Clube do Porto, ainda a tempo de se sagrar Campeão Nacional dessa categoria, o que aconteceu pela primeira vez na história do clube em 1952/53.
A sua estreia na equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 14 de Outubro de 1956 no Estádio das Antas quando os portistas receberam e venceram o Sporting C.P. por 2-0, num jogo a contar para a 5ª jornada do Campeonato Nacional da época de 1956/57.
Representou os portistas durante seis épocas, tendo conquistado o Campeonato Nacional de 1958/59, a Taças de Portugal em 1957/58 e cinco Taças Associação de Futebol do Porto em 1956/57, 1957/58, 1959/60, 1960/61 e 1961/62. No final do campeonato de 1961/62 deixou o F.C. Porto.
Ao serviço do F.C. Porto, António Morais disputou 46 partidas oficiais, apontou 19 golos e conquistou 7 Títulos.
Em 1962/63 ingressou no S.C. Braga, mais tarde mudou-se para o F.C. Tirsense onde colocou um ponto final na sua carreira de futebolista.
Em 1967/68 passou a treinador-adjunto de José Maria Pedroto no F.C. Porto. Em Abril de 1968 assumiu o cargo de treinador principal dos portistas depois de Pedroto ter sido afastado do comando da equipa. Voltou a acompanhar Pedroto no V. Setúbal, depois no Boavista F.C., tendo regressado ao F.C. Porto em 1975/76. No início da década de oitenta teve uma passagem de duas temporadas pelo V. Guimarães. Voltou às Antas em 1982/83 e depois da grave doença de Pedroto voltou a assumir o comando técnico dos Dragões e assim esteve no banco de suplentes a orientar a equipa na primeira final europeia do F.C. Porto em 1984. Como treinador principal dos Dragões, António Morais conquisou a Supertaça Cândido de Oliveira de 1983 e a Taça de Portugal em Maio de 1984.
Ainda em 1984 fez parte da Comissão Técnica da Seleção Nacional no Campeonato da Europa de França, onde Portugal chegou às meias-finais.
Em 1985/86, já como treinador principal, esteve no V. Guimaães, seguiu-se o Rio Ave F.C. e depois o Sporting C.P.
Na temporada de 1988/89 orientava o Leixões S.C. quando faleceu num acidente de viação no dia 1 de Julho de 1989.

Palmarés como jogador
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Taça de Portugal
5 Taças Associação de Futebol do Porto

Palmarés como treinador
1 Taça de Portugal
1 Supertaça Cândido de Oliveira

9 de julho de 2012

Vitor Guilhar

Vitor Augusto da Veiga Guilhar nasceu no dia 12 de outubro de 1913 em São Tomé e Príncipe.
Depois de uma passagem pelo Boavista F.C. ingressou no F.C. Porto na temporada de 1936/37.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 31 de Janeiro de 1937 no Campo do Ameal onde os Dragões empataram a dois com o Sporting C.P., numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1936/37.
Guilhar esteve ao serviço dos Dragões durante doze temporadas tendo vencido um Campeonato de Portugal, dois Campeonatos Nacionais, nove Campeonatos do Porto e uma Taça Associação de Futebol do Porto.
Defesa de elevada estatura, participou em 264 partidas oficiais e apontou 11 golos, nos 12 Títulos conquistados.
Guilhar vestiu ainda a camisola da Seleção Nacional em duas partidas, ambas contra a Seleção da Espanha no ano de 1941.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Porto

2 de julho de 2012

Estádio Arena AufSchalke


Inaugurado em 2001 em Gelsinkirchen, na Alemanha, o Arena AufSchalke, ou Veltins Arena, é o estádio que serve de casa ao F.C. Schalke 04.
Com capacidade para 61.481 espectadores, com um tecto retratil e que tem a possibilidade de fechar por completo todo o recinto e ainda com o deslizamento de todo o relvado para fora do estádio para este poder apanhar uma maior quantidade de ar, o Arena AulSchalke é um dos mais modernos estádios em todo o mundo.
Em 2004 foi o palco escolhido pela UEFA para a realização da final da Liga dos Campeões e frente a frente estiveram o Futebol Clube do Porto e o A.S. Mónaco.
Os Dragões apoiados por mais de metade dos adeptos que encheram o estádio, venceram de forma categórica a formação francesa por 3-0, com golos de Carlos Alberto, Deco e Alenitchev e trouxeram pela segunda vez na história do emblema portista o mais cobiçado troféu do futebol europeu.

25 de junho de 2012

Carlos Pereira

Carlos de Jesus Pereira nasceu no dia 3 de Setembro de 1910 na Madeira.
Chegou ao Futebol Clube do Porto (proveniente do vizinho Boavista F.C.), na temporada de 1933/34.
A estreia com a camisola portista teve lugar no Campo da Constituição no dia 19 de Novembro de 1933 quando os Dragões receberam o Leixões S.C. num jogo que terminou empatado 2-2 e que contou para a 2ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1933/34.
Permaneceu oito temporadas, ininterruptas, ao serviço do F.C. Porto. Nesse período de tempo ajudou a conquistar três Campeonatos Nacionais (1934/35, 1938/39 e 1939/40), o Campeonato de Portugal na época de 1936/37, onde os Dragões defrontaram e venceram o Sporting C.P. por 3-2 na final disputada em Coimbra a 4 de Julho de 1937. E ainda seis Campeonatos do Porto (1933/34, 1934/35, 1935/36, 1936/37, 1937/38 e 1938/39).
A todos esses Títulos Nacionais, Carlos Pereira juntou várias vitórias importantes, tais como a vitória sobre o S.L. Benfica por 8-0 numa partida a contar para os Quartos-de-Final do Campeonato de Portugal de 1932/33. Ainda os 3-0 com que os austriacos do First Viena sairam derrotados do Campo do Ameal em Janeiro de 1934. A vitória sobre o Atlético de Madrid por 4-1 no dia 17 de Janeiro de 1934. Já em Abril de 1935 foi o Wacker de Viena que saiu vergado do Campo do Ameal por uns 5-2. Em Setembro de 1935 foi o campeão espanhol Real Betis de Sevilha que regressou a Espanha depois de uma goleada sofrida no Campo do Ameal por 5-2. Em Março de 1936, vitória histórica sobre o Sporting C.P. por 10-1, jogo disputado no Campo do Ameal.
Na temporada de 1940/41 rumou a Lisboa para ingressar no C.F. Unidos tendo terminado a carreira no final dessa mesma temporada.
Carlos Pereira representou também a Seleção Nacional por 13 vezes.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão
1 Campeonato de Portugal
6 Campeonato do Porto

fonte: Dragões de Azul Forte – Fernando Moreira

18 de junho de 2012

Pedro Themudo

Pedro Themudo nasceu no dia nasceu no dia 21 de outubro de 1907.
Filho de um tenente-coronel, Pedro Themudo também seguiu a carreira militar onde chegou a oficial do exército.
A sua carreira de futebolista, ao serviço do Futebol Clube do Porto, durou dez temporadas, entre 1924/25 até 1933/34. A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 4 de Janeiro de 1925, numa partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato do Porto onde os portistas defrontaram e venceram o Sport Progresso por 3-2.
Pedro Themudo conquistou os Campeonatos de Portugal de 1924/25 e 1931/32 e também dez Campeonatos do Porto.
Themudo que era um defesa central de elevada estatura (diz-se que cerca de dois metros), representou ainda a Seleção Nacional. Foi apenas numa partida, contra a Itália num jogo particular no dia 1 de dezembro de 1929 em Milão, tendo os italianos vencido por 6-1.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal 10 Campeonatos do Porto

11 de junho de 2012

Troféu Juan Acuña

O Trofeu Juan Acuña era um torneio de pré-época, organizado pelo R.C. Deportivo de La Coruña, para homenagear aquele que foi considerado o melhor guarda-redes do clube. Juan Acuña.
Conhecido como Xanetas, jogou toda a sua carreira no clube da Galiza. Fez a estreia em 1940 e retirou-se em 1959. Foi por quatro vezes o guardião menos batido do campeonato entre as temporadas de 1941/42, 1942/43 e 1949/50, 1950/51.
O torneio teve inicio no ano de 1989 e a ultima edição aconteceu em 2007. Foi sempre disputado entre o R.C. Deportivo e outro clube convidado, à exepção do ano de 2005 em que se realizou um triangular entre a formação principal e a equipa B da casa e os ingleses do Birminghan City, já em 2006 foi disputado por duas equipas de veteranos do clube organizador e em 2007 voltou à formatura original.
Nos 18 anos em que se disputou o troféu, o Futebol Clube do Porto foi por duas vezes convidado. A primeira vez foi em 1996 e a segunda em 2003. Das duas vezes os Dragões trouxeram o belo troféu para casa.
Em 1996 a partida terminou empatada 1-1 e a vitória foi decidida na marcação de grandes penalidades.
Em 2003 o resultado foi 2-0 com Benny McCarthy e Edgaras Jankauskas a serem os autores dos golos.